Archive for the Curiosidades Category

Setembro

Posted in Curiosidades with tags , , , , , on setembro 7, 2016 by Psiquê

4220729

Chegou setembro e com ele um sentimento gostoso,

florido…

Um mês que sempre me traz alegrias e paz,

que apesar de passar voando…

e, por vezes, significar estamos mais próximos do final do ano…

me faz sentir a esperança e a alegria de viver.

Ahh, setembro…como eu gosto de você!

Anúncios

As Sufragistas

Posted in Comportamento, Curiosidades with tags , , , , , , , , , , , , , , on fevereiro 13, 2016 by Psiquê

Talvez não tenhamos consciência de que os direitos garantidos por lei, que temos hoje, são resultados de muita luta. Direitos, este que, ainda hoje não é extensivo a muita gente ao redor do mundo.

fotografia-de-monitoramento-de-militantes-sufragistas-detidas-por-atacarem-museus-e-obras-de-arte-departamento-de-registro-criminal-1914-1447273355748_615x470

Recentemente em visita ao Museu de Artes de São Paulo  (MASP), conheci a instalação “Elementos de beleza: Um Jogo de Chá Nunca é Apenas um Jogo de Chá“, da artista Carla Zaccagnini.

“A obra é inspirada no livro homônimo da artista, de 2012, sobre as sufragistas, que defendiam o direito de voto para as mulheres nas eleições políticas, em Londres e Manchester, nos anos 1910. Material de arquivo, fotografias, recortes de jornal e registros criminais fazem parte da obra.

A exposição retrata os ataques que as sufragistas fizeram às obras de arte como forma de protesto, procurando desvendar as razões desse protesto envolvendo a arte como marca de sua posição política.

Nas paredes, há representações de molduras, sem as obras, fazendo menção às obras atacadas, como “Vênus ao espelho” (1647-1651), de Diego Velázquez (1599-1660), que recebeu diversos golpes de cutelo. A pintura foi restaurada e, atualmente, se encontra em exibição na National Gallery, Londres.

“Elementos de beleza: Um jogo de chá nunca é apenas um jogo de chá” já foi apresentada na National Portrait Gallery, de Londres, e em outros museus do Reino Unido, Holanda e Argentina.

Nascida em Buenos Aires, em 1973, Carla Zaccagnini é mestre em poéticas visuais pela USP e participou da 8ª Bienal de Berlim (2014), na Alemanha, da 9ª Bienal de Xangai (2012), na China, e da 28ª Bienal de São Paulo (2008), no Brasil.”

Para completar o mês incrível, fui assistir ao filme As Sufragistas (Sufragette) dirigido por Sarah Gavron e com um elenco maravilhoso. Apenas ao assistir ao trailer me encantei, depois de assistir então…

https://www.youtube.com/watch?v=R8le4sZHRdE

Apesar de contar uma história que se passou há mais de cem anos, sua atualidade e “carga de urgência e necessidade de mudança é completamente atual. Em uma época na qual igualdade de salários, representatividade e respeito figuram entre os principais objetos de luta das mulheres – que, frequentemente, costumam ser taxadas de “exageradas” pelos preconceituosos de plantão -, este longa vem para mostrar que, há pouco tempo (ao menos numa perspectiva histórica), esta mesma luta era voltada ao direito ao voto”.

“(…) As Sufragistas acerta em cheio ao instigar, acima de tudo, o incômodo no telespectador em frente à injustiça contra as mulheres e ao mostrar que, apesar de todas as conquistas, que a luta ainda continua”. Imperdível! Maravilhoso! Obrigatório para todas nós mulheres e homens defensores da igualdade de direitos e de gêneros. Corram para o cinema mais próximo para assistir.

VOTE FOR WOMEN!

Leia mais aqui: Omelete

Transformações

Posted in Curiosidades with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , on janeiro 31, 2016 by Psiquê

900x0 (28)

O Espartilho foi criado há bastante tempo… No ano que vem ele fará 10 anos de existência e, ao longo desses anos, muita coisa aconteceu, muita coisa mudou…

Embora sob um olhar mais apressado o nome Espartilho possa remontar uma época em que as mulheres tinham menos liberdade e autonomia sob si próprias e suas vidas, desde sua criação este blog sempre teve compromisso com a liberdade, as angústias, inquietações, alegrias, prazeres e escolhas femininas. Não é à toa que seu subtítulo diz respeito à tentativa de entender o Universo Feminino. Ocorre que ao longo desses anos, ele também amadureceu e introduziu outros temas também importantes e interessantes e hoje, questiono se não deveria abordar a questão feminina sob uma ótima ainda mais ampla e profunda, incluindo temas que dizem respeito às discussões sobre teoria de gênero, liberdade, direitos e respeito, muito respeito.

Como aqui sempre foi um espaço nosso, convido vocês, meus amados leitores, a acompanhar e compartilhar um pouco dessa inquietude que envolve o tema, dado que vivemos em uma sociedade ainda repleta de insegurança e preconceitos em relação ao respeito às identidades que não se enquadram em padrões conservadores pré-estabelecidos e concebidos como “normais”.

Mais do que entender o “universo feminino”, buscamos entender as prisões, anseios e liberdades possíveis às mulheres, em um mundo em constante transformação. Entender os papeis que, muitas vezes, inconscientemente reproduzimos: com muitos “deveres” considerados femininos, que nada mais são do que a expressão de um pensamento explicita ou implicitamente machista. Já passou da hora de nossa luta ser majoritária e barulhenta, não  há mais tempo a perder. Somos iguais – em direitos, deveres, capacidade e habilidades – e toda e qualquer outra afirmação é preconceituosa e machista.

Seja bem-vindo 2016!

Posted in Curiosidades on dezembro 30, 2015 by Psiquê

900x0 (11)

2015 está terminando, muita coisa boa e muita coisa ruim aconteceu neste ano, mas eu diria que o saldo é positivo. Foi um ano de amadurecimento e crescimento. Confesso, entretanto, que foi um ano de muita decepção: com o povo brasileiro, com surtos de ignorância e intolerância, comportamentos que julgava não ser comum em nosso país, tornaram-se figurinha repetida.

Minha esperança para 2016, é que consigamos crescer ainda mais e extirpar atitudes preconceituosas, mesquinhas, reacionárias, misóginas, homofóbicas, racistas e intolerantes em geral. Pensar diferente e abir-se ao diálogo, nos faz crescer.

Por um novo ano com mais amor, respeito, igualdade e tolerância.

Isso é o que quero para 2016. Chegue logo e seja bem-vindo!

 

Vintage Sound – Imperdível! Postmodern Jukebox

Posted in Cultura e Arte, Curiosidades with tags , , , , , , , , , , , , on novembro 3, 2015 by Psiquê

Neste ano tive a oportunidade de conhecer o trabalho bem legal da banda Postmodern Jukebox. Não sei quando ou se farão um show no Brasil, mas espero que o façam em breve. Para quem gosta de uma pegada mais Vintage, com um ar de Rockabilly e ou das Big Bands de Jazz dos anos 50, a mistura deles é apaixonante. Há versões mais legais do que seus originais.

Recomendo fortemente uma visita à página deles no You Tube ou nas outras redes sociais (Facebook).

Enjoy.

O machismo revestido de cavalheirismo

Posted in Comportamento, Curiosidades, Desrespeito with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , on setembro 2, 2015 by Psiquê

Recentemente a página Não me Kahlo publicou um texto que reflete muito algumas conversas que já tive com meu marido em que ele sempre defendeu que cavalheirismo é uma forma de machismo e que algumas mulheres resistem a repreender alguns “cavalheirismos” por pura conveniência e não por convicção.

Eis que me deparo com o texto desta página que adoro e acompanho frequentemente. Compartilho com vocês o texto.

42150946484319873_yZ5jjyde_c

O texto ‘O machismo revestido de cavalheirismo‘, foi publicado no último dia 31.08.2015 e é de autoria de Ana Pompeu.

“A Câmara dos Deputados é, em número de frequentadores, uma cidade. Com tamanha circulação de pessoas, é comum que a espera por elevadores forme filas. Há cerca de duas semanas, dos seis elevadores disponíveis, um estava em manutenção, dois são exclusivos para parlamentares, um preferencialmente de serviço, os outros para uso comum. Em uma quarta-feira, dia de trabalho intenso no Congresso, uma grande fila se formou num dos andares do anexo IV da Casa. Um deputado chegou, chamou o elevador pelo interfone e fez o anúncio: “quem quiser me acompanhar, venha comigo! Mas só as mulheres hein?”, e riu. Boa parte das mulheres da fila se sentiu lisonjeada e o acompanhou.

O episódio virou uma discussão com os colegas de trabalho. Um dizia que era um absurdo, machismo travestido de cortesia. “Faltou dizer que só as bonitas poderiam seguir com ele. Ele chamaria as da limpeza pra ir junto?”. Outro questionou se não era exagero. “Só foi gentil. Hoje, quem é gentil recebe respostas atravessadas de mulheres que entendem como machismo”, lamentou o colega realmente sempre muito cortês.

O Congresso Nacional, como um retrato da política brasileira, é dominado por homens, brancos e engravatados. Cada ato dito gentil, como o do deputado em questão, reforça o papel das mulheres na Casa — bem como na política, nas esferas de decisão e poder do país. A nossa função é estética, acessória. Somos bibelôs para mera apreciação masculina. Com educação, o recado é dado.

Gentileza não faz distinção de sexo, raça, classe, estética. E, se mulheres cansadas da convivência diária com agressões variadas, não aceitam aquelas gentilezas pretensiosas revestidas de fingida inocência, são taxadas de exageradas. “O feminismo decretou o fim do romantismo e da cortesia”. O que me parece óbvio, no entanto, é que o cavalheirismo jamais teria tido espaço em uma sociedade em que homens e mulheres estivessem em posições iguais.

Mesmo sem a intenção para tal, a ideia por trás da conta paga no restaurante, da porta do carro aberta, mesmo do casaco cedido no frio é a da fragilidade da mulher. Mulheres são cidadãs de segunda classe que precisam da tutela masculina em cada setor da vida. Mas não todas as mulheres. O cavalheirismo não se repete com a empregada que carrega várias sacolas de compras nas mãos. A porta não é aberta para ela com a mesma frequência que para a patroa.

Certa vez, a psicanalista Regina Navarro Lins, questionando o cavalheirismo em um de seus textos, pontuou:

Que tipo de homem deseja proteger uma mulher? Certamente não seria um que a vê como uma igual, que a encara como um par. Mas aquele que se sente superior a ela. E como disse a atriz americana Mae West em um dos seus filmes: “Todo homem que encontro quer me proteger… não posso imaginar do quê”.

A gentileza pode vir, o homem pode se portar como um cavalheiro, mas a conta não deixa de aparecer. Ela sempre chega. O braço masculino está sempre presente. Não necessariamente grosseiro e pesado. Ele pode ser delicado nesses momentos. Mas, dentro de uma rotina, as flores podem se tornar desculpa ou recompensa para outro tipo de comportamento.

A solicitude também pode facilmente se transformar em descrédito. E isso aparece em situações das mais diversas. A mulher não tem condições de entrar em discussões profundas sobre política. A mulher não tem condições de entender o problema do próprio carro na oficina mecânica. A mulher não consegue fazer a própria declaração de imposto de renda. Logo nenhuma opinião feminina tem valor.

É o chamado machismo benevolente. Aquele que pressupõe que mulheres são seres inferiores. Tão inferiores que, num tempo não tão distante do nosso, em 1929, o Canadá ainda não considerava mulheres como… pessoas! Como diz o agora saudoso Eduardo Galeano no livro Os Filhos dos Dias, elas até se achavam pessoas, mas a lei não tinha a mesma opinião. O movimento de mulheres da época precisou se articular para vencer a Suprema Corte de Justiça para, a partir do dia 18 de outubro, serem, aos olhos da lei, pessoas!

Talvez não seja exagero imaginar que a luta feminista se arraste tão lentamente nas esferas macro por uma percepção de inferioridade feminina ainda tão arraigada no cotidiano das nossas relações. E o cavalheirismo é mais uma faceta, ardilosa, por se passar por gentileza. Por anos, a visão de que as mulheres não conseguem ser independentes e precisam do apoio masculino para as tarefas mais triviais fixou no inconsciente coletivo que, por consequência, não seriam merecedoras de direitos civis e políticos. É o subsídio cultural para as exclusões nos outros campos.

Não peço pelo fim da gentileza. Nada mais elegante que gentileza. Um ato cortês pode mudar o dia de alguém. Mas como não refletir, como não ponderar e como não ficar reticente e mesmo contrária ao cavalheirismo, aquele que só se apresenta de um gênero ao outro? Se quisermos ter voz na política, na academia, na família, temos de dar nossos próprios passos sozinhas. E sermos consideradas capazes para tal. Sem presença ou amparo masculino.

*Ana Pompeu é natural de Uberlândia, entende quando falam em tradicional família mineira. Em Brasília, a capital das linhas planejadas e do céu infinito, se tornou jornalista pela Universidade de Brasília (UnB). E também feminista. Os dois perfis eternamente em construção.

Água com limão

Posted in Curiosidades, Saúde with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , on agosto 18, 2015 by Psiquê
By Tomasz Dziubinski

By Tomasz Dziubinski

Não tenho conhecimento técnico-científico para saber se beber água com limão todos os dias traz todos estes benefícios, mas que o sabor compensa o teste e que algum bem deve trazer, eu aposto.

Compartilho então alguns dos benefícios que são atribuídos a este hábito, que a meu ver, pode valer a pena pagar para ver…

Adicionar limão à água não só sacia a sede melhor do que qualquer outra bebida, mas também nutre o nosso corpo com vitaminas, minerais e oligoelementos que são absolutamente indispensáveis. Limão com água pode ser considerado o melhor impulsionador de energia natural. Quando acordamos de manhã, nossos tecidos corporais são desidratados e necessitam de água para empurrar para fora as toxinas e rejuvenescer as células. Em outras palavras, esta “limonada caseira” ajuda a eliminar toxinas internas, regulação adequada dos rins e as funções do aparelho digestivo, forçando-os a trabalhar da forma mais tranquila possível.

  • Água com limão contém eletrólitos que hidratam o corpo. Como limões contêm boa quantidade de eletrólitos como potássio, cálcio e magnésio.
  • Água com limão é bom para as articulações, reduzindo a dor nas articulações e músculos.
  • A água morna com limão ajuda a digestão como limão contém ácido cítrico. Interage com outras enzimas e ácidos que facilmente estimulam a secreção de suco gástrico e digestão. O fígado produz mais enzimas com ajuda da água com limão do que de qualquer outro alimento.
  • Água com limão limpa o fígado. O suco de limão estimula o fígado a liberar toxinas.
  • Água com limão ajuda a combater infecções do trato respiratório, dores de garganta e inflamação das amígdalas. Isto é devido às propriedades anti-inflamatórias do limão.
  • A água morna com limão ajuda a regular o movimento natural do intestino.
  • Água com limão é indispensável para o trabalho normal do metabolismo. Desde limão é um poderoso antioxidante, que protege o corpo contra os radicais livres e fortalece o sistema imunológico.
  • Água com limão auxilia no bom funcionamento do sistema nervoso (limão tem um alto teor de potássio). Depressão e ansiedade muitas vezes são o resultado dos baixos níveis de potássio no sangue. O sistema nervoso necessita de uma quantidade suficiente de potássio para assegurar sinais sustentáveis para o coração.
  • Água com limão limpa seu sangue, vasos sanguíneos e artérias.
  • Água com limão pode ajudar a baixar a pressão arterial.
  • A ingestão diária de um limão pode reduzir a pressão sanguínea elevada em 10%.
  • Água com limão cria um efeito alcalinizante no corpo. Mesmo se você beber imediatamente antes de uma refeição, ele pode ajudar seu corpo a manter um alto nível de pH. Quanto mais alto o pH, mais o seu corpo é capaz de combater doenças.
  • Água com limão é bom para a pele. A vitamina C no limão, melhora a nossa pele , e ajuda no rejuvenescimento do corpo. Beber água com limão regularmente (a cada manhã) vai melhorar a condição de sua pele.
  • Água com limão ajuda a diluir o ácido úrico, que se acumulado causa dor nas articulações e gota.
  • Água com limão é benéfico para mulheres grávidas. Desde que limões são carregados com vitamina C, ele age como um adaptogênico ajudando o corpo a lidar com vírus tais como constipações. Além disso, a vitamina C ajuda a formação de tecido ósseo do feto. Ao mesmo tempo, devido ao seu elevado teor de potássio, uma mistura de água com limão ajuda a formar as células do cérebro e do sistema nervoso do bebe.
  • Água com limão alivia a azia. Para isso, misture uma colher de chá de suco de limão em meio copo de água.
  • Água com limão ajuda a dissolver os cálculos biliares, pedras nos rins, pedras pancreáticas, e depósitos de cálcio.
  • Água com limão ajuda na perda de peso. Limões contêm fibra pectina, que ajuda a suprimir ânsias de fome. Estudos têm comprovado pessoas com uma dieta alcalina melhor perderam peso mais rápido.
  • Água com limão ajuda com dor de dente e gengivite.
  • Água com limão previne o câncer. Isto é devido ao fato de que os limões são um alimento altamente alcalinos. Vários estudos descobriram que o câncer não pode prosperar em um ambiente alcalino.

Originalmente publicado aqui.