Arquivo para bem-estar

Vida e presente

Posted in Comportamento with tags , , , , , , , , , , , , , , , , on maio 18, 2016 by Psiquê

42dd11aec326fd2e6e4bba2852cdf018

A vida da gente é sempre uma escolha e devemos estar conscientes de que depende de nós decidirmos por caminhos que nos permitem buscar a felicidade. Existem algumas decisões que funcionam, a meu ver, como presentes que nos damos.

Nos amarmos e respeitarmos nossos limites, são os pontos mais importantes. A partir daí, estaremos mais preparados para enfrentar as intempéries da vida. Parece clichê, mas, independente de sua crença, sempre que agradecemos ao longo da vida, uma sucessão de outros motivos de gratidão parecem se suceder.

Há decisões que tomo diariamente que funcionam como um presente para mim mesma, dentre elas:

  • cuidar da minha saúde física e mental,
  • estar ao lado de pessoas que me fazem bem e que amo,
  • fazer exercícios diariamente (ainda que muitas das vezes o depois seja muito mais importante para o meu bem-estar do que o durante – afinal, sou humana),
  • conhecer e praticar yoga (atualmente pelo menos 3 vezes por semana),
  • praticar pilates,
  • me analisar e procurar, dentro das minhas limitações me conhecer e melhorar,
  • ter consciência de que uma boa alimentação e boas escolhas fazem bem ao meu organismo,
  • ler bastante, estudar e escolher bons programas que me façam aprender e refletir,
  • buscar relações equilibradas e respeitosas, procurando entender o outro e evitando pensar somente no meu lado da história,
  •  lutar por um mundo melhor e uma vida mais justa…

É obvio que nem todas as coisas que acontecem em nossa vida dependem de nós, mas grande parte delas é influenciado por nossas escolhas. E com base nisso, temos o dever que sempre tentar fazer as melhores escolhas possíveis.

 

 

Desafio Cócoras

Posted in Comportamento, Saúde with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , on novembro 17, 2014 by Psiquê
A red skirt - Pablo Picasso, 1901

A red skirt – Pablo Picasso, 1901

Interessante, quando eu era pequena ouvia as pessoas comentando: como essa menina gosta de ficar agachada (de cócoras). Para mim, esta é uma posição confortável e de descanso para a coluna e para as pernas. Não é à toa que me apresentaram o Desafio Cócoras, lançado pelo fisioterapeuta Pablo Santurbano e eu adorei!!!!

A jornalista Carol Pires, da revista Piauí, publicou uma matéria bem legal sobre os benefícios de ficar na posição e sobre o desafio lançado em janeiro pelo fisioterapeuta. A matéria intitulada Acocorai-vos uns aos outros – Uma terapia paleolítica. O desafio é ficar 5 minutos por dia na posição que é ótima para a coluna. Quem sobre de dores na lombar, trabalha muito tempo sentado e busca o bem-estar, recomendo que aceite o desafio. Parece que é bom para o funcionamento do intestino e para evitar prisão de ventre, dentre outros benefícios à saúde.

16_2130-alt-zcocoras8

Comum entre pessoas – como eu – que devem têm um pezinho nos nossos ancestrais indígenas… Orientais e algumas tribos africanas, ainda mantém esta boa prática para a saúde do corpo. Quem sabe nós ocidentais, que mudamos tantos nossos hábitos primitivos não devamos nos inspirar neles…

“No Facebook, até o final de outubro, 495 pessoas haviam curtido o Desafio Cócoras. As únicas orientações são relaxar a coluna e distanciar um pouco os pés para que o tronco possa descer o mais baixo possível. Essa é a posição adotada pelos primatas para manipular alimentos e objetos no chão, e que o homem ocidental foi abolindo da rotina. Não são poucos os que não conseguem se acocorar. Para esses, o conselho é levantar e tentar de novo.

Alguns participantes custam a ficar na posição (provavelmente “por falta de dorsiflexão”, explica Santurbano) e calçam os calcanhares com livros, manobra admitida pelo desafio. (…)

O esforço vale a pena: reorganiza e relaxa a coluna, diminui as pressões nos joelhos, organiza os membros inferiores para a corrida, regula o intestino e facilita o parto. “As pessoas pensam que é uma postura de transição, mas é mais que isso. Se você não fica bem de cócoras, não vai caminhar nem correr bem.”

Está lançado o desafio, comecei ontem e quero passar a praticar todos os dias, dentro das várias práticas que integram meu ritual de cuidados diários, vamos experimentar?

Quantas dentro de nós?

Posted in Comportamento with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , on novembro 8, 2014 by Psiquê

6dfc95a2776e5e9378c5f90d32fe40db

Quantas versões de nós mesmas cabem e coabitam dentro de nós? Isso pode parecer, um pouco psicodélico à primeira vista, mas não tem nada disso…

Todas nós sabemos que convivemos com “várias versões” de nós mesmas, todos os dias…

A menina, a mulher, a amante, a erótica, a mãe, a profissional, a filha, a medrosa, a corajosa, a ousada, a sonhadora, a realista… Existem momentos em que uma fala mais alto do que a outra, nos domina mais, direciona nossos pensamentos e atitudes, mas todas estão lá juntas, latentes, pulsando em nossos peitos…. Querendo dar conta de tudo, ser melhor em relação “à outra” .

Tenho aprendido a domar um pouco essa cobrança feminina pelo bom desempenho em todos os lados, buscando priorizar o bem estar, mas confesso que isso é um exercício constante.

Reconheço também que acho incrível e amo saber que todas “essas versões de mim” convivem neste corpinho.

Sou mulher, sou várias, sou uma, sou todas e amo ser assim.

Uma boa noite minhas lindas!

Seu corpo, seu templo, sua responsabilidade!

Posted in Comportamento, Estética e Beleza, Saúde with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , on fevereiro 24, 2014 by Psiquê

51d3dcbfae1827b820f60198b692dddf (1)

Muitas vezes escuto as pessoas reclamarem que precisam comer coisas saudáveis e não gostam, que estão com sobrepeso, mas não conseguem parar de comer doces, gorduras, frituras, pães, refrigerantes, açúcares diversos…

Somos responsáveis por tudo o que fazemos com nosso corpo, e apesar de muitas vezes não estarmos imunes ao estresse e à correria do dia a dia, podemos sim, exercer nosso controle sobre aquilo que ingerimos, sobre o movimento que fazemos com o corpo, sobre hábitos bons e ruins aos quais nos submetemos.

Há alimentos que tenho total consciência que não me fazem bem e que, se não posso, eliminá-los, posso ao menos reduzi-los. Tudo aquilo que ingerimos refletirá na saúde do nosso corpo!

Se bebemos água, sucos naturais, frutas, alimentos saudáveis e com pouco ou nenhum glúten, produtos com baixo teor de lactose (principalmente nos casos de intolerância a estes dois últimos itens), sei que meu corpo reagirá muito melhor…Então por que insistir em comer farinha demais, ingerir bebidas alcoólicas em excesso, comer açúcar e gordura além da conta, se meu corpo fica muito melhor sem esses ingredientes?

É preciso ter consciência de que somos responsáveis por aquilo que ingerimos e pelo que queremos do nosso corpo. As sensações que buscamos, a saúde que almejamos, o bem-estar que desejamos depende de tudo aquilo que consciente ou inconscientemente oferecemos ao nosso corpo.

Não adianta nos encher de alimentos que sugam nossa energia e nossa saúde e querer ter uma boa digestão, boa circulação, o intestino funcionando bem, a pele livre de acne e alergias. Se queremos manter boa saúde, peso ideal, pernas sem inchaço, eliminar a retenção de líquido, manter o intestino funcionando bem, ter um sistema digestivo em bom funcionamento, precisamos atentar para aquilo que colocamos em nosso corpo.

Quando entendemos que devemos tratar nosso corpo, como nossa morada, nosso templo, nosso refúgio, teremos consciência de que somos totalmente responsáveis por tudo o que colocamos nele e consequentemente pelas reações que ele apresenta.

É fundamental assumir a responsabilidade por tudo aquilo que fazemos com o nosso corpo para termos uma relação melhor com ele. A vida é feita de escolhas e muitas vezes, é uma questão de mudança de perspectiva e de hábitos. Se sei que algo me traz uma satisfação imediata, mas logo trará mal estar, arrependimento, má digestão, gases, asia, dores de cabeça ou dores em geral, por que abrir mão de me sentir bem no longo prazo?

Vamos pensar a respeito? Que hábitos saudáveis você tem para compartilhar conosco?

5888f1106b681a17edbebcf1f9dd1df1

Leia também:

Seu corpo – seu templo

Nosso corpo, nosso templo

O corpo é seu templo

Seu corpo, templo de sua alma

Seu corpo, seu templo, seu prazer

Espelho

Posted in Comportamento with tags , , , , , , , , , , , , , , , , on novembro 16, 2013 by Psiquê

034bde84a8c7ac4dedde826f060d6038

Hoje o dia foi perfeito! Uma data importante a ser celebrada, festejada entre amigos com simplicidade, mas muito curtida. Porém, no final do dia, me deparei com uma atitude patética onde palavras ofensivas e comportamentos abusivos, fizeram eu ter ainda mais certeza de que amigos, nós escolhemos para estar ao nosso lado. E esses devem ser cultivados e preservados.

Triste é saber que muitos de nós ao ofender, esquece de que a vida é um espelho e que todo o mal que nutrimos e propagamos faz mal a nós mesmos, reflete sobre nossa vida, nossa saúde, nosso bem-estar. Não vale a pena nutrir sentimentos pequenos, mesquinhos, egoístas. Muitas vezes, o silêncio, que costuma ser mal interpretado é o melhor antídoto para a maldade.

Vamos olhar primeiro para dentro de nós, para nossas atitudes, antes de apontar o dedo para os outros.

Ame gratuitamente, agradeça pela vida, por cada dia, por cada manhã, por cada oportunidade, pois assim, aumentamos ainda mais as bençãos que atraímos para nossa vida.

Um lindo e abençoado domingo!

Yoga transforma seu corpo

Posted in Comportamento, Saúde with tags , , , , , , , , , , on outubro 29, 2013 by Psiquê

Yoga transforma seu corpo

Embora o yoga tenha entrado na minha vida, muito mais pelo trabalho integral que proporciona ao meu corpo, mente e espírito, há transformações físicas comprovadas depois de iniciada a prática.

“Desconstrua seus heróis, um a um.
Cairá das alturas de si mesmo,
mas descobrirá uma grandeza em caminhar com os pés descalços
e uma satisfação em apreciar brilhos nos olhos.” (Tales Nunes)

No gráfico abaixo, é possível encontrar algumas ideias de mudança proporcionada pela prática. É evidente, ao sair da aula, a percepção de que houve ganhos na diminuição do estresse, aumento da flexibilidade, redução da pressão arterial (dependendo dos movimentos rs), diminuição da ansiedade, redução do risco de ataque cardíaco, dentre outros ganhos). Eu saio bem mais leve da aula, e lamento que seja apenas 1h30 por semana. Leia mais aqui.

Eu venho praticando há apenas 7 meses, mas os ganhos depois de cada aula, são incríveis.


BodyOnYoga

Tranquilidade

Posted in Comportamento with tags , , , , , , , , , , , , , , , on fevereiro 3, 2013 by Psiquê

333477547377793674_DyUVwPMZ_c

No mês passado tirei 4 curtos, porém deliciosos, dias de férias, ocasião em que fiquei hospedada em um Hotel Fazenda, com direito a massagem relaxante, sauna e piscina. Aparentemente, ‘luxos’ bem modestos e simples, mas que fizeram uma enorme diferença em minha vida…

Venho de jornadas muito tensas e pesadas de trabalho e parar um pouquinho para não pensar em nada e relaxar, por mais que tenha sido por apenas alguns dias, levam à reflexão sobre a necessidade de simplesmente se dar um tempo.

Resolvi, desde então a cada 15 dias dar um upgrade nas minhas massagens estéticas, incluindo uma sessão de massagem relaxante, cuidando da coluna, dos pés, do relaxamento…

Chego agora a cogitar a possibilidade de também incluir minutinhos de relaxamento diários para tentar diminuir a tensão geral do dia a dia.

Esses pequenos momentos dedicados ao nosso próprio bem estar não têm preço e trazem uma mudança profunda nas prioridades do nosso cotidiano.

Se você conhece técnicas simples de relaxamento e descanso, partilhe conosco.

Um beijo e boa semana!

O encanto da Dança do Ventre

Posted in Comportamento, Curiosidades, Estética e Beleza, Saúde with tags , , , , , , , , , , , , , , , , on abril 20, 2008 by Psiquê

Ventre Poético – Cris Passinato

derrama cada verso em meu colo
faz que eu sinta o seu maior valor
o germinar do poema no ventre
sem mais nada calar
cada palavra floresce contente
com prazer do calor do amar
impossível de os sentidos conseguir controlar
vem, meu amor, me faz suar
o cantar do seu poetar.

Apesar de estar há um ano parada – o que lamento diariamente – por vários motivos: restrição financeira, falta de tempo, pouca disponibilidade para dedicar-me aos ensaios, etc; a dança do ventre me fascinou desde o primeiro contato. Esse tema já estava pensado desde o início do blog, mas ontem sem saber sobre o que escrever o Léo sugeriu que o abordasse.

Quando me refiro ao encanto, não estou me reportando ao interesse masculino ou fetiches que os homens podem carregar em relação à dança do ventre. Não tem nada a ver com eles. A dança exerce um verdadeiro encanto sobre a feminilidade. Ela aflora a sensibilidade, auto-estima e feminilidade. Quando estamos movimentando os quadris parece que um misto de hormônios, psicológico e físico desencadeiam juntos um bem-estar e uma satisfação incríveis. Não sei explicar. Só sei que não vejo a hora de voltar. O que preciso deixar de lado é o meu estresse em querer perfeição técnica e voltar a fazer por puro prazer.

Meninas experiemente: vocês entenderão desde o início tudo isso que eu tentem expressar em relação à essa dança.

Em entrevista ao Portal Terra Mulher, Lulu Sabongi – uma diva da dança do ventre no Brasil – resume o encanto que mencionei:

“A dança do ventre mexe com a fantasia e o emocional, estimulando o corpo e acabando com as inibições. Quem acha que tem o corpo feio, vai descobrir uma silhueta linda, num processo natural”, diz a professora de dança do ventre, Lulu Sabongi. A matéria ainda destaca que através da dança a guerreira, que faz tripla jornada de trabalho, pode deixar a feminilidade aflorar e consegue atingir a naturalidade, livrando-se do estresse e colocando as pressões do dia-a-dia bem longe de toda a delicadeza permitida ao universo forte e sensível das mulheres.

Veja alguns dos benecícios da dança do ventre:

  1. Desenvolve a auto-estima;
  2. Estimula a memória, a concentração e a atenção;
  3. Aumenta a confiança no seu potencial individual;
  4. Resgata a feminilidade;
  5. Ativa a circulação, aumenta os reflexos e alivia as tensões;
  6. Aumenta a flexibilidade e alongamento;
  7. Auxilia em problemas menstruais, hormonais e partos, diminuindo cólicas, equilibrando as funções sexuais e facilitando contrações e dilatações;
  8. Trabalha músculos, enrijecendo e tonificando;
  9. Atua diretamente no centro de energia do corpo, que se encontra no ventre, distribuindo a mesma de forma equilibrada.

Para saber mais sobre a dança, clique:

Aischa Hortale

Khan el Khalili

Kahina Belly Dance

Lulu Sabongi

O que mais já se falou a respeito:

Dança do Ventre melhora a auto-estima e o prazer

Dança do Ventre era um ritual privado

Dança do ventre, a dança do momento

Dança do Ventre: saiba como ela pode te auxiliar

Você sabe viver bem?

Posted in Comportamento, Geral, Maternidade, Profissão, Relacionamento, Saúde with tags , , , , , on fevereiro 23, 2008 by Psiquê

nu-photo-ilya-handramai.jpg

Responder a essa pergunta é algo muito particular…

Não há fórmula certa para se viver bem, cada um sabe suas metas, seus limites e seus prazeres. Mas a revista Marie Claire desse mês trouxe esse tema para debate e convidou uma série de pessoas para responder a essa pergunta nos seguintes aspectos da vida:

  • Relação Qualidade de Vida versus Trabalho;
  • A harmonia na vida a dois;
  • Saúde e bem-estar.

Cada um sabe em que ponto da vida e que tipo de equilíbrio pode levar ao reconhecimento pessoal de que se vive bem. Para você viver bem significa saber compartilhar o trabalho com um relacionamento gostoso, estável? Ou conciliar sucesso profissional com uma boa saúde e beleza? Os três grandes pilares da discussão foram: vida profissional, vida a dois e saúde.

Nesse cenário, homens e mulheres passam a se preocupar em alcançar a qualidade de vida em diferentes aspectos da vida cotidiana.Os três pilares supracitados preocupam quase todos nós. Como encontrar o equilíbrio e satisfação nessas três áreas é a pergunta que não quer calar. Alguns depoimentos me chamaram atenção e resolvi citá-los aqui:

“As mulheres perseguem suas metas e parecem lidar melhor com as frustrações.” Rosi Campos, atriz.

No bar, eles contam piada, falam de futebol e realmente relaxam. Já as mulheres, quando se encontram, falam sobre problemas – de casa, do trabalo, no amor…” Mônica Waldvogel, jornalista

“Muitas já não querem a posição máxima dentro da empresa. Sabem que os postos de destaque vão exigir viagens, horas a mais de trabalho, muita dedicação. Esse é o conflito feminino de hoje.” Jorge Forbes, psicanalista

“A base de uma relação é a auto-estima, a maneira como cada pessoa se vê. Quando a auto-estima é baixa, a pessoa tende a ser passiva ou até agressiva.” Ana Maria Rossi, psicóloga

“Sou a favor das pequenas gentilezas no dia-a-dia de um casamento. É aí que a relação se renova. Estou falando de gestos de carinho, coisas banais como lembrar de comprar o peito de peru que ele gosta…Ninguém precisa pendurar faixa na rua para declarar seu amor.” Silvia Popovic, jornalista

“Um dia, me dei conta de que podia fazer escolhas. Gosto de praia, de andar descalço na areia. Hoje moro na praia: isso, para mim, é qualidade de vida.” Pedro Kupfer, iogue

Não tenha medo do medo. Observe o que ele faz com você, como muda seus batimentos cardíacos, sua respiração. Relaxe na dor. Lembre-se: ‘Tudo o que eu luto contra gruda em mim’. Monja Coen, zen-budista.

O segredo está no EQUILÍBRIO, como em vários posts aqui o Espartilho frisamos isso. Resta a cada saber qual é o seu ponto de equílibrio para viver com qualidade de vida. Ah, e uma boa dose de auto-estima, otimismo, esperança e prazer não faz mal nenhum nessa luta, pelo contrário, só ajuda.

Um beijo e até a próxima.