Arquivo para chuva

Não tem preço…

Posted in Comportamento with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , on janeiro 18, 2013 by Psiquê

Mark Avgust

Foram apenas 4 dias…
Quatro deliciosos dias de folga, de falta de sinal no celular… poucos, mas agradáveis dias em que pude desfrutar da oportunidade de não ter que ficar presa em frente ao computador, em uma sala fechada, entre 4 paredes, mas solta numa fazenda, com direito a caminhadas matinais, massagem relaxante, sauna e piscina…coisas simples, mas sem preço.

Esse é o resultado de querer se desligar por um momento, pequeno que seja, do dia a dia na cidade, das pressões, dos afazeres, do trabalho, das notícias, do estresse, do trânsito, dos barulhos, do ar condicionado. Em troca, um pouco de chuva, muito mato, lama, bichinhos, insetos, sol, vento, cheiro de terra e boa comida…

Sou urbana, adoro a cidade e as maravilhas que ela oferece, as tecnologias, o conforto, mas isso ganha muito mais sabor, quando associado a uma escapadinha para o meio do mato de vez em quando.

Que venham as próximas férias, sejam elas vividas minimamente como esses 4 dias ou plenas, com direito a um mês inteiro. O importante é viver cada minutinho com entrega e prazer.

Obrigada meu Deus!

Do teu cheiro

Posted in Erotismo, Poesia Erótica with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , on janeiro 6, 2013 by Psiquê

668589_11

Do teu cheiro

(Autoria de Ademir Antonio Bacca)

O gosto da tua pele sal impregnado em meus lábios que me mata de sede à beira da fonte dos teus prazeres.
O teu gosto na minha boca mel que sacia meus desejos na hora derradeira do medo de te perder em meio aos lençóis.
O teu cheiro impregnado no meu corpo perfume raro que nem a chuva leva de mim…

 

Aprendizagem

Posted in Comportamento with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , on dezembro 7, 2011 by Psiquê

Jeito de Mato – Paula Fernandes

De onde é que vem esses olhos tão tristes?
Vem da campina onde o sol se deita
Do regalo de terra que o teu dorso ajeita
E dorme serena, no sereno sonha

De onde é que salta essa voz tão risonha?
Da chuva que teima, mas o céu rejeita
Do mato, do medo, da perda tristonha
Mas, que o sol resgata, arde e deleita

Há uma estrada de pedra que passa na fazenda
É teu destino, é tua senda, onde nascem tuas canções
As tempestades do tempo que marcam tua história
Fogo que queima na memória e acende os corações

Sim, dos teus pés na terra nascem flores
A tua voz macia aplaca as dores
E espalha cores vivas pelo ar
Ah..Ah…Ah…
Sim, dos teus olhos saem cachoeiras
Sete lagoas, mel e brincadeiras
Espumas ondas, águas do teu mar
Ah..Ah…Ah…
êeh laiá ..

Essa música me inspirou, não apenas por ter a letra linda e sua sonoridade e melodia apaixonantes, mas porque esta ter sido uma semana por um lado calma, por outro atribulada pelo acúmulo de obrigações e,…

…mais uma vez, desafiadora. Uma semana em que parece difícil lidar com o ser humano, com suas fraquezas, vaidades, medos e inseguranças. Dificuldade de entender a resistência de semelhantes em contar com a ajuda do outro, por puro temor em não se sentir mais útil ou perder espaço. Confesso estar bem cansada dessas situações, apesar de consciente de que são importantes para o amadurecimento. A meu ver todas as pessoas tem seu espaço e suas virtudes podem ser mostradas, sem que a presença do novo ofusque o seu brilho.

Paciência, serenidade, fé…virtudes necessárias para enfrentar tais desafios…

Repare nas coisas que possui, e não no que lhe falta

Posted in Comportamento with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , on dezembro 9, 2009 by Psiquê

Барабанов Максим

Essa frase veio impressa em um calendário antigo do Seicho No-Ie que vi na casa de um tio meu, o que chamou a atenção dele e minha. Decidi tirar uma cópia e colocá-la em minha mesa de trabalho para ler e reler todos os dias.

Repare nas coisas que possui, e não no que lhe falta“.

“Se você tem o hábito de se queixar de tudo, trate de se corrigir. Em vez de pensar no que lhe falta, repare nas coisas que desfruta fartamente e agradeça; “Graças a Deus, tenho isto!”, “Que bom ter isto e aquilo!”. Manifeste em palavras essa alegria e verá como ocorrerão fatos gratificantes e felizes”.  (Do livro Viver com Pureza – Seicho Taniguchi)

Muitas vezes, deparamos-nos em momentos de ansiedade e de lamentação que nos impedem de ver com outros olhos o quão abençoados somos. Reparamos mais no que nos falta do que no que nos abunda. Nossa vida já é um milagre e muitas das coisas que já possuimos não são reconhecidas como bençãos, por nos atermos muito mais ao que nos falta.

Todas as vezes que olhamos para nossa vida com mais cuidado e gratidão, agradecendo por tudo o que somos e conquistamos, acabamos sendo ainda mais agraciados. “Repare nas coisas que possui, e não no que lhe falta“.

Olhe bem, reflita pela manhã: tenho saúde? tenho uma família? tenho onde morar? tenho onde dormir nos dias de chuva? tenho um emprego? tenho um amor? tenho um filho? tenho o mínimo para meu sustento? vivo dignamente? sou honesta? sou feliz?

Mesmo que não tenhamos tudo o que desejamos, há muitas coisas que nos são dadas diariamente, mas que esquecemos de agradecer. Por isso, vamos agradecer todos os dias de nossas vidas por aquilo que já possuímos. Sejam felizes!

Tocando em Frente

Posted in Geral with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , , on agosto 31, 2008 by Psiquê

Photo by Klaus Kraiger

Acaba de aflorar em mim um espírito sertanejo, mas acho essa música linda. (Pode ser brega, mas é linda!)

Ótimo começo de semana para vocês, essa que promete ser agitadíssima, mas introduz o mês mais lindo do ano: Setembro. Mês das flores, da primavera, das esperanças, dos sorrisos, do meu aniversário, dos virginianos!

TOCANDO EM FRENTE

Ando devagar porque já tive pressa
E levo esse sorriso porque já chorei demais
Hoje me sinto mais forte, mais feliz, quem sabe
Eu só levo a certeza de que muito pouco eu sei

Eu nada sei

Conhecer as manhas e as manhãs,
o sabor das massas e das maçãs
É preciso amor pra poder pulsar,
é preciso paz pra poder sorrir
É preciso chuva para florir

Penso que cumprir a vida seja simplesmente
Compreender a marcha e ir tocando em frente
Como um velho boiadeiro levando a boiada
Eu vou tocando os dias pela longa estrada eu vou
Estrada eu sou

Conhecer as manhas e as manhãs,
o sabor das massas e das maçãs
É preciso amor pra poder pulsar,
é preciso paz pra poder sorrir
É preciso chuva para florir

Todo mundo ama um dia, todo mundo chora

Um dia a gente chega, no outro vai embora
Cada um de nós compõe a sua história
E cada ser em si carrega o dom de ser capaz
De ser feliz

Conhecer as manhas e as manhãs,
o sabor das massas e das maçãs
É preciso amor pra poder pulsar,
é preciso paz pra poder sorrir
É preciso chuva para florir

Ando devagar porque já tive pressa
E levo esse sorriso porque já chorei demais
Cada um de nós compõe a sua história
E cada ser em si carrega o dom de ser capaz
De ser feliz

Autores: Almir Sater e Renato Teixeira

Mau humor apaga o brilho dos olhos

Posted in Comportamento, Estética e Beleza with tags , , , , , , , , , , , , , , , , on março 16, 2008 by Psiquê

mulher-1.jpg

“As pessoas que se comprazem no sofrimento, que gostam de sentir-se infelizes e fazer aos outros infelizes, jamais poderão orgulhar-se de sua beleza. O mau humor, o sentimento de frustração, a amargura marcam a fisionomia, apagam o brilho dos olhos, cavam sulcos na face mais jovem, enfeiam qualquer rosto. Essa é a razão porque a mulher, que cultiva a beleza, deve esforçar-se para ser feliz. Felicidade é estado de alma, é atmosfera, não depende de fatos ou circunstâncias externas.” Clarice Lispector

Muitas vezes tenho vontade de dizer isso às pessoas, mas quando não tenho intimidade para tanto, fico quieta. O que posso fazer é dizer isso para mim todos os dias para evitar ser conduzida pelo mau humor.

Ontem foi um desses dias. Chuva, poças, atraso, engarrafamento, ônibus e carros jogando água sobre quem estava andando na calçada, lugares lotados, filas, mas repetia para mim mesma: de que adiata ficar de mau humor? O jeito é ter paciência e avisar que vai chegar atrasada, fugir da poça para não se molhar, escolher um restaurante não muito cheio, etc.

Há quem acorde todos os dias reclamando da vida e se vendo como a mais injustiçada das vítimas dessa vida… É difícil uma pessoa com tais pensamentos não contribuir para que sua vida seja mais repleta de desastres e inconvenientes ainda.

A vida é uma benção, os problemas acontecem com todo mundo, mas cabe a nós sabermos se tiraremos deles algum aprendizado ou apenas um peso insuportável que se acumula todos os dias. Só podemos mudar a nós mesmos e vale a pena mudar essa postura diante da vida.

Como disse Heloísa Pérrisé em sua coluna de hoje no TDB: Não adianta a gente perder tempo reclamando da vida. Eu detesto. Reclamar é solução para pessoas que não conseguem pensar. Tem que agir. Crias soluções inteligentes. Se pega trânsito todos os dias a solução é aprender a usar esse tempo morto.

Quando você não pode com o inimigo, alie-se a ele, completa Pérrissé. Se estiver naqueles mega engarrafamentos diários, leia um livro, ouça uma música, grave sua aula e ouça no mp3, reze, relaxe, faça uma meditação. Porque de outro jeito a gente adoece e conserva um mau humor o dia todo.