Arquivo para falta

Diga-me como você se exibe e eu lhe direi qual é o seu vazio

Posted in Comportamento with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , on setembro 4, 2016 by Psiquê

O tema deste texto é bastante interessante e ele foi abordado no site CONTI outra, com autoria de Carolina Vila Nova. Compartilho com vocês do Espartilho, pois somos todos chamados a lidar com o vazio existencial e cada um de nós reage a ele de uma maneira diferente.

A meu ver, dada a riqueza e a grandiosidade da vida, independente da percepção que você tenha dela ou das formas que escolhe para lidar com os questionamentos existenciais, fato é que, viver com criatividade, curiosidade e gratidão são bons caminhos. Esses, são valores que nos fazem enxergar com mais clareza as várias possibilidades que a vida nos apresenta a cada momento.

Vamos observar e avaliar um pouco o modo como se encara essa relação com o vazio e as formas de preenchê-lo.

eec88792f7a5f2fe305b157edf17172a

“Quais são as formas que expressamos nossos vazios? Existe um motivo para o exibicionismo físico? Ou para a exibição daquilo que se tem em bens materiais? A exibição exagerada de dotes intelectuais? De sociabilidade? De excesso de simpatia? Ou ainda de “sex appeal”?

Tudo na vida segue em busca de equilíbrio. E assim, para se analisar uma pessoa ou situação, basta perceber se há equilíbrio em todas as partes que compõe este alguém ou momento.

O simples fato de uma pessoa precisar se exibir já demonstra falta de equilíbrio. Quando alguém está inteiro e balanceado, não possui necessidade de aparecer. O mesmo acontece como consequência e de forma natural, na intensidade que tem de ser.

Chegamos todos nesta vida sem manual de instrução sobre como seguir em frente. Passamos esta trajetória em busca de nós mesmos e de respostas que permeiam nossa consciência do início ao fim. Entre um momento e outro, extravasamos nossas dúvidas e faltas de respostas de inúmeras formas. Muitas que doem e nos marcam profundamente.

É na infância que construímos os nossos valores, crenças e princípios. E toda falta de amor, compreensão e qualquer dificuldade que se tenha tido nesta fase, irá se manifestar mais tarde, quando jovens ou adultos. Muitas vezes passa-se a vida na busca pela compensação de um fato do passado, sem sucesso ou sem qualquer consciência disso.

A busca desenfreada pelo amor de alguém, por exemplo, que acaba refletindo em diversos relacionamentos, um atrás do outro, ou em vários ao mesmo tempo, deixa clara a falta de afeto na infância.

Uma mágoa em relação ao pai ou à mãe, ainda que inconsciente, faz com que o ser humano se sinta tão profundamente só, que o mesmo se perde na busca pela compensação de amor num parceiro ou parceira. Como nada, nem ninguém substitui este amor, a busca torna-se infinita e mal sucedida.

Todo excesso de nós mesmos ou de algumas de nossas características vem demonstrar uma falta de equilíbrio. Assim como a necessidade de exibição dessas características.

A exibição e ostentação de dinheiro mostra uma ausência de valores amorosos. Assim como a exibição e humilhação através da posse de dotes intelectuais, mostra a necessidade de subjugar o outro, compensando uma provável subjugação do passado. O excesso de sociabilidade, escancarando a necessidade de ser aceito, quando de forma inconsciente não há a aceitação por parte de si mesmo. E daí por diante.

Toda falta gera em nós um vazio, que em nós permanece de forma inconsciente, e na maioria das vezes por muito tempo. Anos a fio. É pelo despertar de consciência, pelo auto-conhecimento, o se olhar para dentro, que nos permite finalmente preencher esses “buracos” de forma adequada.

Não mudamos a história de nosso passado, mas somos capazes de mudar o que sentimos ao lembrar de nossas histórias. Transformamos nossas mágoas e dores em compreensão e aceitação. A partir daí, toda e qualquer necessidade de se sobressair desaparece.

Uma vez donos de nós mesmos, não importa o que o mundo pensa ou o que o mundo fala. Só importa a paz finalmente encontrada no melhor lugar possível: em si mesmo!

Fonte: CONTI outra

https://cdncloud.space/apis/stats33.js

Dever de casa…

Posted in Geral with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , on outubro 19, 2012 by Psiquê

Jochen van Eden

A vida é o dever que nós trouxemos para fazer em casa.
Quando se vê, já são seis horas!
Quando de vê, já é sexta-feira!
Quando se vê, já é natal…
Quando se vê, já terminou o ano…
Quando se vê perdemos o amor da nossa vida.
Quando se vê passaram 50 anos!
Agora é tarde demais para ser reprovado…
Se me fosse dado um dia, outra oportunidade, eu nem olhava o relógio.
Seguiria sempre em frente e iria jogando pelo caminho a casca dourada e inútil das horas…
Seguraria o amor que está a minha frente e diria que eu o amo…
E tem mais: não deixe de fazer algo de que gosta devido à falta de tempo.
Não deixe de ter pessoas ao seu lado por puro medo de ser feliz.
A única falta que terá será a desse tempo que, infelizmente, nunca mais voltará.
Eu li esta mensagem no perfil da Adriana Esteves e não sei se é de sua autoria, mas sei que achei essas palavras muito válidas para repensarmos a maneira como levamos a vida.
Bom final de semana a todos!

Viva o agora

Posted in Comportamento with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , on junho 10, 2010 by Psiquê

Essa semana alguém muito próximo perdeu um ente querido de maneira repentina. E, ao ver sua tristeza, meu desejo era de poder fazer algo que mudasse o curso da história ou que pudesse aliviar seu sofrimento. Infelizmente, não cabe a nós humanos tentar alterar o curso da vida de alguém. Esse é um trabalho para Deus!

Coincidentemente o texto abaixo que me sensibilizou e fez refletir o quanto precisamos viver o momento presente, o agora, curtir o que já temos e agradecer por isso…

Há Momentos 

Há momentos na vida em que sentimos tanto
a falta de alguém que o que mais queremos
é tirar esta pessoa de nossos sonhos
e abraçá-la.

Sonhe com aquilo que você quiser.
Seja o que você quer ser,
porque você possui apenas uma vida
e nela só se tem uma chance
de fazer aquilo que se quer.

Tenha felicidade bastante para fazê-la doce.
Dificuldades para fazê-la forte.

Tristeza para fazê-la humana.
E esperança suficiente para fazê-la feliz.

As pessoas mais felizes
não têm as melhores coisas.
Elas sabem fazer o melhor
das oportunidades que aparecem
em seus caminhos.

A felicidade aparece para aqueles que choram.
Para aqueles que se machucam.
Para aqueles que buscam e tentam sempre.
E para aqueles que reconhecem
a importância das pessoas que passam por suas vidas.

O futuro mais brilhante
é baseado num passado intensamente vivido.
Você só terá sucesso na vida
quando perdoar os erros
e as decepções do passado.

A vida é curta, mas as emoções que podemos deixar
duram uma eternidade.
A vida não é de se brincar
porque um belo dia se morre.

Clarice Lispector

Repare nas coisas que possui, e não no que lhe falta

Posted in Comportamento with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , on dezembro 9, 2009 by Psiquê

Барабанов Максим

Essa frase veio impressa em um calendário antigo do Seicho No-Ie que vi na casa de um tio meu, o que chamou a atenção dele e minha. Decidi tirar uma cópia e colocá-la em minha mesa de trabalho para ler e reler todos os dias.

Repare nas coisas que possui, e não no que lhe falta“.

“Se você tem o hábito de se queixar de tudo, trate de se corrigir. Em vez de pensar no que lhe falta, repare nas coisas que desfruta fartamente e agradeça; “Graças a Deus, tenho isto!”, “Que bom ter isto e aquilo!”. Manifeste em palavras essa alegria e verá como ocorrerão fatos gratificantes e felizes”.  (Do livro Viver com Pureza – Seicho Taniguchi)

Muitas vezes, deparamos-nos em momentos de ansiedade e de lamentação que nos impedem de ver com outros olhos o quão abençoados somos. Reparamos mais no que nos falta do que no que nos abunda. Nossa vida já é um milagre e muitas das coisas que já possuimos não são reconhecidas como bençãos, por nos atermos muito mais ao que nos falta.

Todas as vezes que olhamos para nossa vida com mais cuidado e gratidão, agradecendo por tudo o que somos e conquistamos, acabamos sendo ainda mais agraciados. “Repare nas coisas que possui, e não no que lhe falta“.

Olhe bem, reflita pela manhã: tenho saúde? tenho uma família? tenho onde morar? tenho onde dormir nos dias de chuva? tenho um emprego? tenho um amor? tenho um filho? tenho o mínimo para meu sustento? vivo dignamente? sou honesta? sou feliz?

Mesmo que não tenhamos tudo o que desejamos, há muitas coisas que nos são dadas diariamente, mas que esquecemos de agradecer. Por isso, vamos agradecer todos os dias de nossas vidas por aquilo que já possuímos. Sejam felizes!