Arquivo para feminilidade

Boudoir

Posted in Comportamento, Erotismo, Moda with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , on maio 19, 2012 by Psiquê

Hoje, por acaso, fui apresentada ao ensaio boudoir ao conhecer o trabalho do fotógrafo Raoní Aguiar*, apesar de já ser uma grande admiradora dos ensaios sensuais. E como tem tudo a ver com o Espartilho, não poderia deixar de partilhar esse encanto com vocês.

O termo francês Boudoir (buduár) tem por definição toucador; quarto  de vestir adornado com requinte. O termo remonta o século XIV como um dos cômodos da suíte de uma dama em que ela se banhava e vestia. Era um ambiente privado e muito íntimo, composto de elementos femininos decorados ao gosto da mulher.

Era um local proibido para homens, e isso despertava a curiosidade e a fantasia quanto ao que acontecia ali dentro, consequentemente isso criava um certo ar de erotismo e sensualidade. Surgindo dai a fantasia e a magia que envolvem o termo boudoir, que carrega consigo a intimidade e a feminilidade.

O olhar boudoir, consiste em um estilo artístico de fotografar que retrata  momentos pessoais e íntimos onde a sensualidade, o romantismo e o glamour são a  tônica. Não importa a idade ou o tipo de corpo que você tem, o estilo boudoir é para todas as mulheres. É mais do que apenas um ensaio sensual, é uma experiência de auto-descoberta.

Quem mais já falou sobre e praticou:

Olhar de Boudoir

Raoní Aguiar

Loulou’s Boudoir

Boudoir Floripa

Fernanda Marques

La Papeterie Diva

* Raoní Aguiar, entretanto, não se limita a fotografar ensaios sensuais. Ele também faz fotografias de casamento e lançou uma promoção para dar um ensaio de casal ou boudoir. Minha torcida é que ele dê dois: um ensaio casal para minha querida prima e um ensaio boudoir adivinhe para quem? Mas como sorte não depende muito da nossa vontade, vou partilhar aqui para quem quiser concorrer.

Opinião de um homem sobre o corpo feminino

Posted in Comportamento, Estética e Beleza with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , on agosto 12, 2011 by Psiquê

Via Nu Photos

Hoje, visitando o blog O Adorador de Mulheres, deparei-me com um texto intitulado Opinião de um homem sobre o corpo feminino, que confesso me surpreendeu ser de autoria do Paulo Coelho. O texto revela alguns dos vários conflitos pelos quais nós, mulheres, passamos em diversos momentos da nossa vida em relação ao corpo e tenta apresentar a opinião dos homens sobre esses dilemas.

Embora acredite que devamos manter nossos cuidados em relação ao corpo, algumas dicas sobre relaxar e não levar a questão da beleza para uma via obsessiva são válidas. Reproduzo o texto abaixo para partilhar com vocês, embora não concorde com todas as afirmações dele, algumas carregadas de clichês quanto ao comportamento feminino ou, quem sabe, machistas. Porém, em geral, o texto traz uma visão bem bacana.

Opinião de um homem sobre o corpo feminino

Não importa o quanto pesa. É fascinante tocar, abraçar e acariciar o corpo de uma mulher. Saber seu peso não nos proporciona nenhuma emoção. 

Não temos a menor idéia de qual seja seu manequim. Nossa avaliação é visual, isso quer dizer, se tem forma de guitarra… está bem. Não nos importa quanto medem em centímetros – é uma questão de proporções, não de medidas. 

As proporções ideais do corpo de uma mulher são: curvilíneas, cheinhas, femininas

Essa classe de corpo que, sem dúvida, se nota numa fração de segundo. As magrinhas que desfilam nas passarelas, seguem a tendência desenhada por estilistas que, diga-se de passagem, são todos gays e odeiam as mulheres e com elas competem. Suas modas são retas e sem formas e agridem o corpo que eles odeiam porque não podem tê-los. 



Não há beleza mais irresistível na mulher do que a feminilidade e a doçura. A elegância e o bom trato, são equivalentes a mil viagras. 

A maquiagem foi inventada para que as mulheres a usem. Usem! Para andar de cara lavada, basta a nossa. Os cabelos, quanto mais tratados, melhor. 



As saias foram inventadas para mostrar suas magníficas pernas… Porque razão as cobrem com calças longas? Para que as confundam conosco? Uma onda é uma onda, as cadeiras são cadeiras e pronto. Se a natureza lhes deu estas formas curvilíneas, foi por alguma razão e eu reitero: nós gostamos assim. Ocultar essas formas, é como ter o melhor sofá embalado no sótão. 



É essa a lei da natureza… que todo aquele que se casa com uma modelo magra, anoréxica, bulêmica e nervosa logo procura uma amante cheinha, simpática, tranqüila e cheia de saúde. Entendam de uma vez! Tratem de agradar a nós e não a vocês. porque, nunca terão uma referência objetiva, do quanto são lindas, dita por uma mulher.

Nenhuma mulher vai reconhecer jamais, diante de um homem, com sinceridade, que outra mulher é linda.

As jovens são lindas… mas as de 40 para cima, são verdadeiros pratos fortes. Por tantas delas somos capazes de atravessar o atlântico a nado.

O corpo muda… cresce. Não podem pensar, sem ficarem psicóticas que podem entrar no mesmo vestido que usavam aos 18. Entretanto uma mulher de 45, na qual entre na roupa que usou aos 18 anos, ou tem problemas de desenvolvimento ou está se auto-destruindo. 



Nós gostamos das mulheres que sabem conduzir sua vida com equilíbrio e sabem controlar sua natural tendência a culpas. Ou seja, aquela que quando tem que comer, come com vontade (a dieta virá em setembro, não antes; quando tem que fazer dieta, faz dieta com vontade (sem sabotagem e sem sofrer); quando tem que ter intimidade com o parceiro, tem com vontade; quando tem que comprar algo que goste, compra; quando tem que economizar, economiza. 


Algumas linhas no rosto, algumas cicatrizes no ventre, algumas marcas de estrias não lhes tira a beleza. São feridas de guerra, testemunhas de que fizeram algo em suas vidas, não tiveram anos ‘em formol’ nem em spa… viveram!

O corpo da mulher é a prova de que Deus existe.

É o sagrado recinto da gestação de todos os homens, onde foram alimentados, ninados e nós, sem querer, as enchemos de estrias, de cesárias e demais coisas que tiveram que acontecer para estarmos vivos. 


Cuidem-no! Cuidem-se! Amem-se! 



A beleza é tudo isto. 
 
(Texto de autoria de Paulo Coelho)

A mulher de Espartilho

Posted in Comportamento with tags , , , , , , , , , , on abril 21, 2008 by Psiquê

Via Amante das Imagens

Esse post não tem uma razão especial, apenas inspira-se em uma imagem que escolhi do Amante das Imagens e que retrata o Espartilho em toda a sua sedução, sensualidade e feminilidade. Para não passar em branco ainda coloquei um texto sobre ser sensual.

Sensual

Ah! Esse seu jeito sensual que me fascina,
E o teu modo de dizer e de cantar…cantas a vida,
Que me convida, o teu corpo provocar…
Desfruto dele, cada milímetro exploro,
E em cada canto (um encanto) apreciar …
Embora mulher, sofrida de dores e amores …
É no teu peito que eu quero despertar,
Me faz menina pra poder de encantar e ao mesmo tempo…
Ser mulher e te amar.
Digo palavras desconexas, culpo o desejo …
Quem sabe (foi) o vinho que nos fez embriagar,
Quero sentir teu gosto, tua boca a me sugar…
E extasiada explodir em emoção!
Deixar-te louco de desejos e amores,
De tal maneira que não possas recuar!

(Fonte: Feiticeira – Site de Poesias)

O encanto da Dança do Ventre

Posted in Comportamento, Curiosidades, Estética e Beleza, Saúde with tags , , , , , , , , , , , , , , , , on abril 20, 2008 by Psiquê

Ventre Poético – Cris Passinato

derrama cada verso em meu colo
faz que eu sinta o seu maior valor
o germinar do poema no ventre
sem mais nada calar
cada palavra floresce contente
com prazer do calor do amar
impossível de os sentidos conseguir controlar
vem, meu amor, me faz suar
o cantar do seu poetar.

Apesar de estar há um ano parada – o que lamento diariamente – por vários motivos: restrição financeira, falta de tempo, pouca disponibilidade para dedicar-me aos ensaios, etc; a dança do ventre me fascinou desde o primeiro contato. Esse tema já estava pensado desde o início do blog, mas ontem sem saber sobre o que escrever o Léo sugeriu que o abordasse.

Quando me refiro ao encanto, não estou me reportando ao interesse masculino ou fetiches que os homens podem carregar em relação à dança do ventre. Não tem nada a ver com eles. A dança exerce um verdadeiro encanto sobre a feminilidade. Ela aflora a sensibilidade, auto-estima e feminilidade. Quando estamos movimentando os quadris parece que um misto de hormônios, psicológico e físico desencadeiam juntos um bem-estar e uma satisfação incríveis. Não sei explicar. Só sei que não vejo a hora de voltar. O que preciso deixar de lado é o meu estresse em querer perfeição técnica e voltar a fazer por puro prazer.

Meninas experiemente: vocês entenderão desde o início tudo isso que eu tentem expressar em relação à essa dança.

Em entrevista ao Portal Terra Mulher, Lulu Sabongi – uma diva da dança do ventre no Brasil – resume o encanto que mencionei:

“A dança do ventre mexe com a fantasia e o emocional, estimulando o corpo e acabando com as inibições. Quem acha que tem o corpo feio, vai descobrir uma silhueta linda, num processo natural”, diz a professora de dança do ventre, Lulu Sabongi. A matéria ainda destaca que através da dança a guerreira, que faz tripla jornada de trabalho, pode deixar a feminilidade aflorar e consegue atingir a naturalidade, livrando-se do estresse e colocando as pressões do dia-a-dia bem longe de toda a delicadeza permitida ao universo forte e sensível das mulheres.

Veja alguns dos benecícios da dança do ventre:

  1. Desenvolve a auto-estima;
  2. Estimula a memória, a concentração e a atenção;
  3. Aumenta a confiança no seu potencial individual;
  4. Resgata a feminilidade;
  5. Ativa a circulação, aumenta os reflexos e alivia as tensões;
  6. Aumenta a flexibilidade e alongamento;
  7. Auxilia em problemas menstruais, hormonais e partos, diminuindo cólicas, equilibrando as funções sexuais e facilitando contrações e dilatações;
  8. Trabalha músculos, enrijecendo e tonificando;
  9. Atua diretamente no centro de energia do corpo, que se encontra no ventre, distribuindo a mesma de forma equilibrada.

Para saber mais sobre a dança, clique:

Aischa Hortale

Khan el Khalili

Kahina Belly Dance

Lulu Sabongi

O que mais já se falou a respeito:

Dança do Ventre melhora a auto-estima e o prazer

Dança do Ventre era um ritual privado

Dança do ventre, a dança do momento

Dança do Ventre: saiba como ela pode te auxiliar

Cuidado com os detonadores de auto-estima

Posted in Casamento, Comportamento, Relacionamento with tags , , , , , , , , , , , on março 24, 2008 by Psiquê

chapeu.jpg

Photo by Козина Юлианна

Esse post está sendo escrito por absoluta revolta. Revolta em relação a relatos que ouvi recentemente de que alguns maridos não admitem, nem aceitam que suas mulheres invistam em tratamento estético ou tratamento psicológico que lhes permita desenvolver sua auto-estima e feminilidade.

Se você já passou por isso escreva seu depoimento aqui ou mande por email. Não se preocupe, manteremos seu anonimato caso não queira se identificar.

O que pode estar por trás disso tudo é a insegurança do marido, que incapaz de desenvolver sua própria auto-estima investe em detonar a de sua esposa, com medo de deixá-la desenvolver o poder adormecido dentro dela. Segurança, auto-estima elevada, consciência de seu poder de sedução e sensualidade, ferramentas que podem melhorar a relação, muitas vezes são impedidas de serem desenvolvidas por pura insegurança de alguns homens. Não duvido que eles façam isso com suas esposas, mas valorizem em outras mulheres. Quanta ignorância!

Esses homens detonadores de auto-estima podem estar escondidos na função de maridos, amigos, pais, mas o que mais me preocupa são os maridos/namorados que fazem isso com suas parceiras. Para cuidar do corpo ou do psicológico elas precisam mentir para seus parceiros, inventar desculpas de que vão ao supermercado, ao médico, ao fisioterapeuta, à casa da mãe, mas não podem dizer que vão fazer tratamento estético, tratamento psicológico, curso de pompoarismo ou de strip-tease, irão ao sex shop, etc.

Meu Deus, estamos na idade das cavernas ou na idade do absoluto egoísmo e egocentrismo masculino. Esse tipo de homem se sente ameaçado por insegurança e medo. Não deixe isso acontecer. Mulheres se estão ao lado de um homem como este e não fazem nada vocês estão aceitando isso. Cabe a vocês impor limites a esses detonadores de auto-estima e se amarem de uma vez por todas. Vocês merecem o melhor, merecem ser amadas, respeitadas e acima de tudo admiradas. O desejo e o amor passam pela admiração e pelo respeito.

Sedução e feminilidade

Posted in Comportamento with tags , , , , , , , on março 20, 2008 by Psiquê

kapitu.jpg

Photo: Kapitu

A sedução da mulher começa com a sua aparência física. Uma pele bem cuidada, olhos bonitos, brilhantes, cabelos sedosos, corpo elegante, atraem os olhares e a admiração masculina. Para que esses olhares e essa admiração, porém, não se desviem decepcionados, é preciso que outros fatores, muito importantes, influenciem favoravelmente, formando o que poderíamos chamar a “personalidade cativante” da mulher.

A alegria, a delicadeza e a feminilidade nos gestos, nas atitudes, nas palavras, por exemplo. Uma criatura alegre predispõe sempre os outros à simpatia, desde que não seja uma alegria ruidosa ou vulgar. A moça tristonha, desinteressada de tudo, de ar doentio ou entediado, aborrece sempre aos homens. E eles fogem dela como de um castigo.

A feminilidade é outra qualidade positiva. Muitas mulheres modernas adotam atitudes masculinizadas, palavreado grosseiro, liberdade exagerada de linguagem ou de maneiras, e julgam que isso é bonito, que vão encantar os homens. Engano. Até hoje não consegui um só homem que não confessasse preferir a feminilidade a todas as demais virtudes da mulher.

Outro fator de sedução é a personalidade. Não a personalidade que se impõe aos gritos e com exigências, mas uma personalidade que forma ao lado da de seu companheiro, ajudando-o, incentivando-o, compreendendo. Nunca diminuí-lo, nunca recriminá-lo porque não é brilhante, não é rico ou atraente como outros que conhece. Uma personalidade formada de um pouco de vaidade, um pouco de coqueteria, um pouco de malícia risonha, um pouco de ternura, um pouco de abnegação. E muito, muito de feminilidade.

Clarice Lispector – Correio Feminino – Aulas de Sedução

Será mesmo o feminino mais dócil?

Posted in Comportamento, Geral, Maternidade, Relacionamento with tags , , , , , , , , , , , , on fevereiro 16, 2008 by Psiquê

gravidez1.jpg

Há pouco, quando escrevi sobre o possível domínio das mulheres no mundo, houve quem se manifestasse satisfatoriamente alegando que o mundo feminino seria mais pacífico. A justificativa para tal, seria a comum associação da docilidade, compreensão, maternidade, maleabilidade às mulheres.

Há também os que atribuem às mulheres o carinho para com as crianças e o desejo de ser mãe. Evidentemente, não há duvidas de que, seja por questões históricas ou não, a predominância feminina em várias esferas da vida é um fato. Mas questiono se isso tornaria o mundo mais dócil, mais amável, mais humano.

Afinal, em muitas posições hoje ocupadas por mulheres o que vemos é um comportamento tão agressivo, competitivo e violento quanto veríamos se fosse um homem a ocupar aquela posição. Talvez, por uma questão de sobrevivência ou de adaptação, a regra de que o “feminino” é mais amoroso não se aplique.

O mesmo ocorre quando uma mulher afirma que não tem vontade de ser mãe. A primeira reação é de choque, pois muitos atribuem à mulher – principalmente se ela for doce e gentil – o desejo intrínseco de ser mãe. Será que essa é uma regra do feminino, ou se olharmos em volta veremos que mais do que padrões pré-determinados de comportamento, as pessoas se comportam a partir de suas experiências, seus objetivos, anseios e até traumas?

“Na França, até a Revolução Francesa, as fidalgas consideravam a maternidade uma das mais desagradáveis incumbências. Sem o menor respeito ou amor pelas crianças, era moda abandonarem seus filhos, em lugares distantes, de preferência no campo, na companhia de empregados e amas. Lá, vivendo sem conforto e sem as regalias que seriam de esperar da riqueza dos pais, essas crianças ficavam até a idade de seis a oito anos, quando então iam conhecer sua mãe. Conta-se mesmo que os filhos de reis não fugiam às regras, e que o próprio Luiz XIV, em criança dormia numa velha cama de lençõis rasgados que mal o podiam cobrir.

Já os maometanos têm em tão alta conta a maternidade, que a mulher que morre de parto está dispensada de receber a extrema-unção. Para eles, a própria maternidade vale como uma santificação da mulher.” Clarice Lispector – Correio Feminino

Apenas uma reflexão…

Bela e sensual em qualquer idade: segredo de mulheres inteligentes!

Posted in Comportamento with tags , , , , , , , , , , on dezembro 18, 2007 by Psiquê

385005.jpg

 Via Fotokritik

Continuando a leitura do meu livrinho divertido de cabeceira Correio Feminino, de Clarice Lispector, cheguei a seus artigos sobre beleza  em qualquer idade. Pasmem, acabei descobrindo que Clarice comungava de minhas opiniões acerca da beleza.

Sempre disse e repeti para minha mãe e amigas que eu não entendo porque as pessoas querem ser o que não são ou se vestir de maneira totalmente incoerente com seu tipo físico ou faixa etária. Todas as mulheres podem ser elegantes, sensuais e bem vestidas se souberem usar o bom senso e aceitarem seu próprio tipo, sem escravizar-se diante dos  ditames da mídia ou da moda.

Veja as palavras de Clarice, que me animaram a escrever sobre isso:

“A mulher que não aceita os seus 40 anos com orgulho , mas procura escondê-los como a um crime, não é inteligente. O tempo, minhas amigas, é o senhor absoluto de todas as coisas, de todas as criaturas, e lutar contra ele é tão inútil quanto tolo. (…) Que faz a mulher inteligente? Aceita a realidade e dentro dela procura a beleza. Penteados, trajes, tipo de ‘maquillage’, gestos, tudo nela é harmonioso gentil e bonito, porque não destoam de sua maturidade. (…) A beleza não tem idade. A mulher inteligente sabe isso. Conheço senhoras de sessenta anos oumais, verdadeiros encantos de feminilidade e beleza.”

E continua: “O tempo não é tão inimigo nosso como o dizemos. Se nos leva a mocidade, dá-nos a experiência, a segurança e os encantos novos de uma mulher completa e confiante em si.”

Simplesmente incrível a maneira de Clarice escrever. Mulheres, amem-se e se cuidem em qualquer idade, buscando sempre estar bem e felizes a cada dia.

Feliz 2008! Rumo a uma nova atitude diante da vida!