Arquivo para fraqueza

Eu não pertenço…

Posted in Comportamento with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , on fevereiro 12, 2014 by Psiquê

37effca8018649bbc59170a1eb3206a6

Não sei se você também se depara, de vez em quando, com um forte sentimento de não pertencimento e inadequação…

…sinto-me muitas vezes não pertencente aos grupos que me cercam, aos valores que meus conhecidos defendem, às prioridades que eles têm, aos desejos que perseguem, aos gostos que propagam, aos interesses que nutrem…

Os diversos grupos que frequento, têm interesses bastante distintos, são mundos completamente diferentes e todos nós somos, de um de algum modo obrigados a transitar por esses diversos mundos. Se for aprofundar minha análise, diria que somos vários em um, às vezes nós mesmos somos ou nos sentimos pertencentes em alguma fase da vida a mundos variados, mas existem outros aos quais definitivamente não pertencemos e por mais que tentemos forçar a convivência, eles nos ferem, nos agridem, nos incomodam…

Eu tenho me sentido muito assim, não pertencente…ao mundo de alguns que me cercam, que são presos a ideias toscas, a sentimentos fúteis, que elegem como prioridade o consumo vazio de coisas e não ideias ou experiências…

Existem mil maneiras de se lidar com isso:

1. atuando como se fizesse parte daquele mundo, no momento da interação (essa atuação é a forma mais “eficiente” de lidar com a situação, porém não é fácil e confesso ter sérias dificuldades de atuar desta forma);

2.mostrando aos outros como é o seu mundo e tentando fazê-los gostar dele, agregando também um pouco do que eles têm a oferecer (essa talvez seja uma ótima maneira de agregar valor em ambos os lados, dependendo da capacidade dos dois lados de apreender o novo se assim o quiserem);

3. separando o “joio do trigo”, limitando-se a lidar com esse mundo não acolhedor como se fosse algo externo e transitório ao qual não precisamos nos entregar  (uma espécie de agente externo que não nos atinge, penetra, altera ou afeta). É difícil ter esse distanciamento sem que se cause algum tipo de mal-estar ou incômodo na convivência. Aqui deixamos claro que não fazemos parte daquele mundo e nem queremos fazer, abrindo guerra ou se isolando, sem abrir nada do seu próprio mundo ou receber do outro (essa posição seria um tanto quanto belicosa, dificultando bastante a convivência e interação).

Confesso que a situação é incômoda, mas faz parte do crescimento de qualquer pessoa. Nem sempre convivemos com grupos que nos evocam sentimentos de crescimento, pertencimento, satisfação, troca. Há momentos em que sentimos que nossa energia está sendo minada, nossas trocas estão sendo fracas e a interação parece ser maléfica…

Tenho me sentido assim e isso me incomoda. Quando isso acontece, não tendo como romper a relação ou o contato, o que podemos fazer é nos refugiar, buscando caminhos alternativos que nos nutrem, seja através da música, de leituras, filmes, pinturas, uma reportagem, viagem, passeios, danças, corridas, exercícios, ou outras formas de arte…e, tenha certeza, esses refúgios são muito eficazes (pelo menos para mim).

E você, como se sente e o que busca quando isso acontece?

Deficiência alimentar – sintomas

Posted in Estética e Beleza, Saúde with tags , , , , , , , , , , , , , , , on junho 29, 2010 by Psiquê

O portal Vida, Saúde & Beleza, publicou uma matéria bem interessante sobre o impacto que a deficiência de alguns alimentos pode causar em nosso organismo.

Sofremos ao longo de toda vida os sintomas provocados pela falta de alguns alimentos e a partir de uma certa idade, temos quase todos esses sintomas provocados pela falta dos alimentos abaixo mencionados.

1. Dificuldade de perder peso
Faltando: ácidos graxos essenciais e vitamina A
Onde obter: semente de linhaça, cenoura e salmão – além de suplementos específicos.

2. Retenção de líquidos
Faltando: na verdade um desequilíbrio entre o potássio, fósforo e sódio.
Onde obter: água de côco, azeitona, pêssego, ameixa, figo, amêndoa, nozes, acelga, coentro e os suplementos.

3. Compulsão à doces
Faltando: cromo
Onde obter: cereais integrais, nozes, centeio, banana, espinafre, cenoura e os suplementos.

4. Câimbra e dor de cabeça
Faltando: potássio e magnésio
Onde obter: banana, cevada, milho, manga, pêssego, acerola, laranja e água.

5. Desconforto Intestinal, gases e inchaço abdominal
Faltando: lactobacilos vivos
Onde obter: coalhada, iogurte, missô, yakult e similares.

6. Memória ruim
Faltando: acetil colina e inositol
Onde obter: lecitina de soja, gema de ovo e os suplementos.

7. Hipotireoidismo (Provoca ganho de peso sem causa aparente)
Faltando: iodo
Onde obter: algas marinhas, cenoura, óleo, pêra, abacaxi, peixes de água salgada e sal marinho.

8. Cabelos quebradiços e unhas fracas
Faltando: colágeno
Onde obter: peixes, ovos, carnes magras, gelatina e os suplementos.

9. Fraqueza, indisposição e mal estar
Faltando: vitaminas A, C, e E e ferro
Onde obter: verduras, frutas, carnes magras e os suplementos.

10. Colesterol e triglicerídeos altos
Faltando: Ômega 3 e 6
Onde obter: sardinha, salmão, abacate, azeite de oliva.

Como obter tudo isso em um só lugar?

Incluindo uma boa fonte de fibras alimentares, proteínas e carboidratos de boa qualidade e de baixos teores calóricos, além de minerais essenciais para o correto funcionamento de nosso organismo ( cálcio, ferro, vitaminas: A, D, B1, B2, B6, B12, C, E, ácido fólico, fósforo, magnésio, zinco, selênio, manganês e potássio, entre outros).

Com a ingestão destes nutrientes equilibrados, seu organismo estará bem alimentado e com todos os nutrientes necessários para uma boa saúde e uma boa forma física.

De repende 30…

Posted in Comportamento, Maternidade, Profissão, Relacionamento with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , on janeiro 30, 2010 by Psiquê

nu-photos-walmont

Em 2010 completarei 30 anos, ainda faltam alguns longos meses, mas acho que é um momento a ser refletir e celebrar. Estou aqui às voltas de um planejamento para refletir sobre o que devo fazer de meu futuro, que passos devo dar ainda em busca de minha satisfação profissional e pessoal. Ao mesmo tempo, preciso agradecer pelas conquistas já alcançadas até aqui, que foram muitas. E celebrar os anos vividos. Ainda não sei como vou comemorar, gostaria de uma comemoração marcante e divertida, mas preciso lançar mão de bastante criatividade para conseguir realizar uma comemoração legal, sem gastar muito.

Vocês sugerem algo? Estou ansiosa para ouvi-los.

De repente, elas percebemos que já somos balzaquianas, mas poucas balzacas leram A Mulher de Trinta, de Honoré de Balzac, escrito há mais de 150 anos.

Olhe o que ele diz: ‘Uma mulher de trinta anos tem atrativos irresistíveis. A mulher jovem tem muitas ilusões, muita inexperiência. Uma nos instrui, a outra quer tudo aprender e acredita ter dito tudo despindo o vestido. (…) Entre elas duas há a distância incomensurável que vai do previsto ao imprevisto, da força à fraqueza. A mulher de trinta anos satisfaz tudo, e a jovem, sob pena de não sê-lo, nada pode satisfazer’.

Os 30 anos chegam carregados de muitos questionamentos.

O que realizamos até aqui?

O que ainda vamos realizar?

Como alcançar a satisfação pessoal?Já alcançamos? Em que áreas?

Como conciliar carreira com vida pessoal, filhos, projetos, etc.

Ai, não sei onde vou chegar, mas é tempo de celebrar.