Arquivo para gestação

Parto normal humanizado

Posted in Comportamento, Saúde with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , on fevereiro 20, 2014 by Psiquê

1514601_10203115355475242_1244751303_n

Muitos médicos (se não a maioria deles) defendem a cesariana no Brasil por pura conveniência. De repente, quase todos os partos viraram de risco, quase todas as posições impedem o bebê de nascer por parto normal, ora é o cordão que está enrolado no pescoço (a amiga que teve mais recentemente disse que essa foi a justificativa para o médico agendar a cesariana) ora ele está fora da posição.

Nosso país é campeão de cesarianas e a meu ver, muitas vezes por comodismo, praticidade, facilidade de acoplar a uma agenda cada vez mais cheia de alguns médicos, facilidade de não ter que ficar à mercê da natureza…as mães, por outro lado, que consideram a opinião de seu obstetra a mais pura e perfeita verdade, sem procurar se informar a respeito das opções disponíveis na medicina e por medo, aceitam sempre a desculpa de que não dá para ser normal. O estranho é que é cada vez maior o número de cesarianas, modalidade recomendada em caso de risco para a mãe ou o bebê. Será que todas as cesarianas feitas em nosso país são mesmo resultado de uma avaliação de todos os riscos? Ou comodismo, praticidade, vício?

Segundo a matéria do GNT Mães,  de acordo com dados da Organização Mundial da Saúde (OMS), o Brasil é campeão mundial de cesarianas. Enquanto o percentual recomendado pela autoridade é de 15%, a média nacional, de acordo com o Sistema de Informações de Nascidos Vivos (Sinasc), do Ministério da Saúde, é de 52,2%. E as autoridades são uníssonas quando o assunto é a melhor maneira de ter o bebê: parto normal é, sem dúvidas, a melhor opção.

Isso porque a cesariana é um procedimento cirúrgico e indicado apenas quando a mãe ou o bebê corre algum risco: desproporção céfalo-pélvica (quando a cabeça do bebê é maior do que a passagem da mãe); hemorragias no final da gestação; ocorrência de doenças hipertensivas na mãe específicas da gravidez; bebê transverso (atravessado); e sofrimento fetal. A ocorrência de diabete gestacional, a ruptura prematura da bolsa e o bebê com trabalho de parto prolongado também são consideradas indicações relativas para a cesariana.

1798128_700475723338464_830899496_n

Uma postagem  hoje chamou minha atenção para uma questão que defendo ferrenhamente, mas nunca encontro grandes ecos entre amigas grávidas. O caso da mãe Ana Lemos Rosa (e pai Arthur Rosa), cuja filhinha Clara nasceu lindamente de um parto cheio de amor e respeito.  O momento foi registrado em uma linda imagem feita por Débora Amorim. A Clara (bebê que veio ao mundo, nesta foto),  estava com 3 circulares de cordão umbilical! Quem disse que isso é indicação de cesárea? É com o consentimento da Ana que posto essa foto.

Duas outras grandes mulheres que trabalham por incentivar essa modalidade de parto são citadas pela Débora e deixo aqui minha homenagem:  Melissa Martinelli e Joana Andrade.

Compartilho também o depoimento da Mariana Antoun: “É que acompanhei essa história desde o comecinho e tenho um orgulho imenso da mulher empoderada que minha amiga se tornou. Descobrimos juntas a Matrix do parto no Brasil e ela se apropriou com tanta sabedoria de toda a informação que consumimos que para parir a Clarinha, o fez quebrando tabu. Clara nasceu em casa. Mas acho que o mais “assustador” deles é a falácia do cordão. Você aí, lendo esse texto, tenho certeza que conhece uma história de um bebê nascido de cesária porque tinha voltas de cordão. Eu conheço. Tá aí: Clarinha linda, saudável, nascida com 3 voltinhas, sambando na cara da sociedade. Eu, Ana e tantas outras tivemos informação e condição de ter um parto natural, humano e respeitoso. Mas nem todas têm essa opção. É preciso que as pessoas entendam o que isso significa, para que todas as brasileiras tenham o mesmo DIREITO. Escolha a pílula vermelha!”

Vamos procurar informações amigas grávidas, perguntar, navegar, pedir opinião de outras mamães…

Há várias técnicas que podem fazer parte do seu pré-natal, facilitando e preparando seu corpo para receber o bebê de maneira saudável e segura.

Eu como adoro fazer yoga, busquei alguns benefícios da prática da yoga durante a gravidez …

  • Favorecimento da circulação sanguínea amenizando inchaços, dormências e varizes
  • Ampliação na respiração materna oxigenando melhor a mãe e o bebê
  • Fortalecimento do assoalho pélvico, preparando o períneo para o parto
  • Alívio e prevenção de dores nas costas
  • Recuperação mais rápida no pós-parto
  • Alívio na prisão de ventre
  • Favorecimento da comunicação mãe – bebe
  • Maior equilíbrio nas flutuações de humor
  • Redução da ansiedade

Outras fontes para ler a respeito:

Yoga e apoio à gestante:

Parabéns Ana Lemos por sua coragem e seu exemplo, que sirva de incentivo e inspiração a outras mães.

Opinião de um homem sobre o corpo feminino

Posted in Comportamento, Estética e Beleza with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , on agosto 12, 2011 by Psiquê

Via Nu Photos

Hoje, visitando o blog O Adorador de Mulheres, deparei-me com um texto intitulado Opinião de um homem sobre o corpo feminino, que confesso me surpreendeu ser de autoria do Paulo Coelho. O texto revela alguns dos vários conflitos pelos quais nós, mulheres, passamos em diversos momentos da nossa vida em relação ao corpo e tenta apresentar a opinião dos homens sobre esses dilemas.

Embora acredite que devamos manter nossos cuidados em relação ao corpo, algumas dicas sobre relaxar e não levar a questão da beleza para uma via obsessiva são válidas. Reproduzo o texto abaixo para partilhar com vocês, embora não concorde com todas as afirmações dele, algumas carregadas de clichês quanto ao comportamento feminino ou, quem sabe, machistas. Porém, em geral, o texto traz uma visão bem bacana.

Opinião de um homem sobre o corpo feminino

Não importa o quanto pesa. É fascinante tocar, abraçar e acariciar o corpo de uma mulher. Saber seu peso não nos proporciona nenhuma emoção. 

Não temos a menor idéia de qual seja seu manequim. Nossa avaliação é visual, isso quer dizer, se tem forma de guitarra… está bem. Não nos importa quanto medem em centímetros – é uma questão de proporções, não de medidas. 

As proporções ideais do corpo de uma mulher são: curvilíneas, cheinhas, femininas

Essa classe de corpo que, sem dúvida, se nota numa fração de segundo. As magrinhas que desfilam nas passarelas, seguem a tendência desenhada por estilistas que, diga-se de passagem, são todos gays e odeiam as mulheres e com elas competem. Suas modas são retas e sem formas e agridem o corpo que eles odeiam porque não podem tê-los. 



Não há beleza mais irresistível na mulher do que a feminilidade e a doçura. A elegância e o bom trato, são equivalentes a mil viagras. 

A maquiagem foi inventada para que as mulheres a usem. Usem! Para andar de cara lavada, basta a nossa. Os cabelos, quanto mais tratados, melhor. 



As saias foram inventadas para mostrar suas magníficas pernas… Porque razão as cobrem com calças longas? Para que as confundam conosco? Uma onda é uma onda, as cadeiras são cadeiras e pronto. Se a natureza lhes deu estas formas curvilíneas, foi por alguma razão e eu reitero: nós gostamos assim. Ocultar essas formas, é como ter o melhor sofá embalado no sótão. 



É essa a lei da natureza… que todo aquele que se casa com uma modelo magra, anoréxica, bulêmica e nervosa logo procura uma amante cheinha, simpática, tranqüila e cheia de saúde. Entendam de uma vez! Tratem de agradar a nós e não a vocês. porque, nunca terão uma referência objetiva, do quanto são lindas, dita por uma mulher.

Nenhuma mulher vai reconhecer jamais, diante de um homem, com sinceridade, que outra mulher é linda.

As jovens são lindas… mas as de 40 para cima, são verdadeiros pratos fortes. Por tantas delas somos capazes de atravessar o atlântico a nado.

O corpo muda… cresce. Não podem pensar, sem ficarem psicóticas que podem entrar no mesmo vestido que usavam aos 18. Entretanto uma mulher de 45, na qual entre na roupa que usou aos 18 anos, ou tem problemas de desenvolvimento ou está se auto-destruindo. 



Nós gostamos das mulheres que sabem conduzir sua vida com equilíbrio e sabem controlar sua natural tendência a culpas. Ou seja, aquela que quando tem que comer, come com vontade (a dieta virá em setembro, não antes; quando tem que fazer dieta, faz dieta com vontade (sem sabotagem e sem sofrer); quando tem que ter intimidade com o parceiro, tem com vontade; quando tem que comprar algo que goste, compra; quando tem que economizar, economiza. 


Algumas linhas no rosto, algumas cicatrizes no ventre, algumas marcas de estrias não lhes tira a beleza. São feridas de guerra, testemunhas de que fizeram algo em suas vidas, não tiveram anos ‘em formol’ nem em spa… viveram!

O corpo da mulher é a prova de que Deus existe.

É o sagrado recinto da gestação de todos os homens, onde foram alimentados, ninados e nós, sem querer, as enchemos de estrias, de cesárias e demais coisas que tiveram que acontecer para estarmos vivos. 


Cuidem-no! Cuidem-se! Amem-se! 



A beleza é tudo isto. 
 
(Texto de autoria de Paulo Coelho)

Gripe H1N1 – Influenza A (vulgo gripe suína)

Posted in Saúde with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , on julho 24, 2009 by Psiquê

112526

A pandemia de Influenza A está se espalhando em uma velocidade sem precedentes, segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS). Nas pandemias anteriores, os vírus gripais precisaram de mais de seis meses para se propagar tanto como aconteceu com o novo vírus A (H1N1) em menos de seis semanas”, afirmou, em um comunicado, a organização com sede em Genebra.

O número de mortes no Brasil cresceu de 4 para 34 em oito dias. Somente há uma semana o Ministério da Saúde confirmou que o vírus já está circulando no país. Até então, os casos de contágio eram de pessoas que tinham tido algum tidpo de contato com contaminados em outros países (pessoas que haviam estado no exterior).

O Governo do Estado do Rio de Janeiro criou um site para informar à população: Rio contra a Gripe A

CASO SUSPEITO DE DOENÇA RESPIRATÓRIA AGUDA GRAVE

Indivíduo de qualquer idade com doença respiratória aguda caracterizada por febre elevada, acompanhada de tosse OU dor de garganta, acompanhado ou não de manifestações gastrointestinais, E dispnéia ou outro sinal de gravidade, por exemplo, ausculta compatível com pneumonia ou quadro clínico, laboratorial ou radiológico compatível com pneumonia.

A presença de pelo menos UM dos sinais abaixo deve alertar o médico para o encaminhamento do paciente ao hospital de referência definido pela SES

Avaliação em adultos

– Confusão mental
– Freqüência Respiratória > 30 mrm
– PA diastólica < 60 mmHg ou PA sistólica < 90 mmHg
– Idade > 65 anos de idade

Avaliação em crianças

– Toxemia
– Tiragem intercostal
– Desidratação/Vômitos/Inapetência
– Estado geral comprometido
– Dificuldades familiares em medicar e observar cuidadosamente
– Presença de co-morbidades/Imunodepressão

Fatores de risco para complicações por influenza

Idade: inferior a dois ou superior a 60 anos de idade;
Imunodepressão: por exemplo, pacientes com câncer, em tratamento para aids ou em uso regular de medicação imunossupressora;
Condições crônicas: por exemplo, hemoglobinopatias, diabetes mellitus; cardiopatias, pneumopatias e doenças renais crônicas
Gestação

Todos os indivíduos que compõem o grupo de risco para complicações de influenza requerem – obrigatoriamente – avaliação e monitoramento clínico constante de seu médico.

Se o quadro clínico inspirar cuidados ou for grave, indicando necessidade de internação, o paciente será encaminhado para um dos hospitais de referência.

Para informações detalhadas, confira o PROTOCOLO DE MANEJO CLÍNICO E VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA DA INFLUENZA, atualizado pelo Ministério da Saúde em 15/07/2009

Veja o vídeo que o Ministro da Saúde apresenta, esclarecendo dúvidas sobre a influenza A aqui.

O Rio de Janeiro Disque Gripe Suína 0800-28-10-10.