Arquivo para informação

Parto normal humanizado

Posted in Comportamento, Saúde with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , on fevereiro 20, 2014 by Psiquê

1514601_10203115355475242_1244751303_n

Muitos médicos (se não a maioria deles) defendem a cesariana no Brasil por pura conveniência. De repente, quase todos os partos viraram de risco, quase todas as posições impedem o bebê de nascer por parto normal, ora é o cordão que está enrolado no pescoço (a amiga que teve mais recentemente disse que essa foi a justificativa para o médico agendar a cesariana) ora ele está fora da posição.

Nosso país é campeão de cesarianas e a meu ver, muitas vezes por comodismo, praticidade, facilidade de acoplar a uma agenda cada vez mais cheia de alguns médicos, facilidade de não ter que ficar à mercê da natureza…as mães, por outro lado, que consideram a opinião de seu obstetra a mais pura e perfeita verdade, sem procurar se informar a respeito das opções disponíveis na medicina e por medo, aceitam sempre a desculpa de que não dá para ser normal. O estranho é que é cada vez maior o número de cesarianas, modalidade recomendada em caso de risco para a mãe ou o bebê. Será que todas as cesarianas feitas em nosso país são mesmo resultado de uma avaliação de todos os riscos? Ou comodismo, praticidade, vício?

Segundo a matéria do GNT Mães,  de acordo com dados da Organização Mundial da Saúde (OMS), o Brasil é campeão mundial de cesarianas. Enquanto o percentual recomendado pela autoridade é de 15%, a média nacional, de acordo com o Sistema de Informações de Nascidos Vivos (Sinasc), do Ministério da Saúde, é de 52,2%. E as autoridades são uníssonas quando o assunto é a melhor maneira de ter o bebê: parto normal é, sem dúvidas, a melhor opção.

Isso porque a cesariana é um procedimento cirúrgico e indicado apenas quando a mãe ou o bebê corre algum risco: desproporção céfalo-pélvica (quando a cabeça do bebê é maior do que a passagem da mãe); hemorragias no final da gestação; ocorrência de doenças hipertensivas na mãe específicas da gravidez; bebê transverso (atravessado); e sofrimento fetal. A ocorrência de diabete gestacional, a ruptura prematura da bolsa e o bebê com trabalho de parto prolongado também são consideradas indicações relativas para a cesariana.

1798128_700475723338464_830899496_n

Uma postagem  hoje chamou minha atenção para uma questão que defendo ferrenhamente, mas nunca encontro grandes ecos entre amigas grávidas. O caso da mãe Ana Lemos Rosa (e pai Arthur Rosa), cuja filhinha Clara nasceu lindamente de um parto cheio de amor e respeito.  O momento foi registrado em uma linda imagem feita por Débora Amorim. A Clara (bebê que veio ao mundo, nesta foto),  estava com 3 circulares de cordão umbilical! Quem disse que isso é indicação de cesárea? É com o consentimento da Ana que posto essa foto.

Duas outras grandes mulheres que trabalham por incentivar essa modalidade de parto são citadas pela Débora e deixo aqui minha homenagem:  Melissa Martinelli e Joana Andrade.

Compartilho também o depoimento da Mariana Antoun: “É que acompanhei essa história desde o comecinho e tenho um orgulho imenso da mulher empoderada que minha amiga se tornou. Descobrimos juntas a Matrix do parto no Brasil e ela se apropriou com tanta sabedoria de toda a informação que consumimos que para parir a Clarinha, o fez quebrando tabu. Clara nasceu em casa. Mas acho que o mais “assustador” deles é a falácia do cordão. Você aí, lendo esse texto, tenho certeza que conhece uma história de um bebê nascido de cesária porque tinha voltas de cordão. Eu conheço. Tá aí: Clarinha linda, saudável, nascida com 3 voltinhas, sambando na cara da sociedade. Eu, Ana e tantas outras tivemos informação e condição de ter um parto natural, humano e respeitoso. Mas nem todas têm essa opção. É preciso que as pessoas entendam o que isso significa, para que todas as brasileiras tenham o mesmo DIREITO. Escolha a pílula vermelha!”

Vamos procurar informações amigas grávidas, perguntar, navegar, pedir opinião de outras mamães…

Há várias técnicas que podem fazer parte do seu pré-natal, facilitando e preparando seu corpo para receber o bebê de maneira saudável e segura.

Eu como adoro fazer yoga, busquei alguns benefícios da prática da yoga durante a gravidez …

  • Favorecimento da circulação sanguínea amenizando inchaços, dormências e varizes
  • Ampliação na respiração materna oxigenando melhor a mãe e o bebê
  • Fortalecimento do assoalho pélvico, preparando o períneo para o parto
  • Alívio e prevenção de dores nas costas
  • Recuperação mais rápida no pós-parto
  • Alívio na prisão de ventre
  • Favorecimento da comunicação mãe – bebe
  • Maior equilíbrio nas flutuações de humor
  • Redução da ansiedade

Outras fontes para ler a respeito:

Yoga e apoio à gestante:

Parabéns Ana Lemos por sua coragem e seu exemplo, que sirva de incentivo e inspiração a outras mães.

Inveja

Posted in Comportamento with tags , , , , , , , , , , , , , , , , on maio 30, 2011 by Psiquê


Viver traz consigo um grande desafio: conviver com outros seres humanos e conseguir contornar e controlar nossas próprias fraquezas e saber lidar e relevar as dos outros. Respeito é bom, todo mundo gosta, mas nem todo mundo consegue aplicá-lo.

Já escrevi algumas vezes aqui no Espartilho, que acredito que todo mundo tem seu espaço no mercado, na vida e pode ser feliz e bem sucedido. Tudo a seu tempo! Diante desta crença acho um absurdo querer derrubar o outro por pura insegurança. As pessoas tem seu espaço e se cada um respeitar o do outro, ninguém precisa temer.

Em alguns momentos precisamos lidar com reações desagradáveis das pessoas que nos cercam, por pura insegurança. Sei que insegurança é algo que atinge a todos nós seres humanos em algum momento da vida, mas é preciso ter auto-controle para não colocar os pés pelas mãos e ofender ou atravancar o trabalho alheio.

Passamos por muitas situações que nos testam cotidianamente. É uma resposta atravessada, um email grosseiro, um bom dia não respondido, uma informação boicotada…confesso estar cansada de situações como esta. Eu visto a camisa quando estou trabalhando para algo ou alguém e acredito que uma equipe deve se unir em benefício daquilo que defendemos e para quem trabalhamos, mas nem todo mundo pensa assim. E… às vezes, é preciso muita paciência para não sucumbir!

Senhor, dai-me paciência e sabedoria para continuar sabendo como agir nesses momentos.

Quem ama cuida.

Posted in Comportamento, Saúde, Sexo with tags , , , , , , , , , , , on fevereiro 21, 2008 by Psiquê

homem.jpg

Assintindo o programa da TV Record,  Hoje em Dia acabei mudando completamente o tema do post de hoje. Resolvi escrever sobre um tema de grande importância para os homens, acreditando que o público do Espartilho – homens e mulheres – devem atentar para essa questão grave.

O doutor Paulo Egydio (urologista), foi convidado ao programa para falar sobre Próstata. Em 2008, a previsão é de 500 mil novos casos de câncer no Brasil. A maioria será de pele, em seguida serão os de próstata e de mama com 50 mil novos casos cada um. Estima-se que 1 a cada 6 homens sofram coma doença.

Pode-se diagnosticar a doença por exame de sangue e exame de toque – o que assussta muitos homens por preconceito. São 50 mil novos casos por ano diagnosticados pelo exame de toque. A cura, entretanto, pode ser alcançada em 90% dos casos, principalmente se diagnosticados em sua fase inicial. Mas para isso, é preciso ir ao médico regularmente.

O que mais me chamou atenção foi a frase do médico Paulo Egydio, em que destacou o seguinte problema: as mães levam suas filhas ao ginecologista bem cedo, mas os pais não levam os filhos ao urologista desde cedo e com isso doenças mais simples como a varicocele (varizes no testículo), por exemplo, que muitas vezes são desenvolvidas na adolescência (15% dos casos), só são detectadas muito tarde. O diagnóstico preventivo pode tratar o problema tranqüilamente sem que se chegue aos 30 anos e o homem tenha que passar por vários estresses para engravidar sua parceira, por exemplo.

O toque funciona como o toque nas mamas que as mulheres desde cedo fazem quando visitam o ginecologista. O urologista deve ser o médico de referência do homem como a mulher tem um ginecologista como médico de referência.

Outra informação que surpreendeu foi um caso em que o paciente sentia dores na coluna, tomou analgésico e quando foi ao urologista estava com câncer de próstata metastásico, pois o primeiro lugar que ele espalha é para os ossos. Só que ele nunca tinha feito exame antes.

Deve-se instituir no homem a necessidade de fazer exame urológico, mesmo sem sintomas. Para examinar testículo, varicocele e câncer, entre outros.  Vários casos de câncer de próstata no início, não apresentam sintomas e podem ser curados se detectados com antecedência.

Mulheres incentivem os homens de sua vida a visitar o urologista regularmente como nós visitamos o ginecologista. Mães/Pais levem seus filhos desde cedo ao médico, assim como levam suas filhas ao ginecologista.

Importante: a maior incidência de câncer de próstata está nos países desenvolvidos e principalmente em função de alimentação rica em gordura. Portanto, mantenham uma alimentação balanceada com pouca gordura e rica em produtos com licopeno, presente em frutas vermelhas: tomate, goiaba, melancia, etc. O selênio também previne e está presente na castanha do pará.

Para saber mais sobre: Varicocele ; PróstataInfertilidade Masculina