Arquivo para Internet

Literatura erótica

Posted in Comportamento, Erotismo, Sexo with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , on março 24, 2013 by Psiquê

Michaelb Burke 22

Finalmente encontrei um texto que resumiu muito bem a minha percepção sobre esta nova onda de literatura erótica ou pseudoerótica que tomou conta de várias rodinhas de mulheres, que querem expor para pessoas com as quais sequer tem intimidade, ideias para as quais ainda carregam uma série de pudores e tabus. Eu ainda não conheço todas estas obras, mas confesso que me interessei por ir aos poucos conhecendo.

Tive contato com o texto abaixo através do site Papo de Homem, sob o título Literatura erótica para sua mulher gozar sem você, achei as dicas muito legais e a escrita muito bem feita. Interessante é que a autoria é de uma mulher, a Francesinha, cujo blog não conhecia, mas linkei aqui: Para pensar em  sexo. Vejam no final deste post, algumas informações sobre ela.

Vamos ao texto e às indicações:

“Toda mulher gosta de uma historinha. O recente fenômeno editorial da trilogia dos Cinquenta tons mostrou o quanto as moças andavam ávidas por palavras que as fizessem tremer, sonhar, imaginar, fantasiar e, quiçá, gozar em segredo. Mas os livros de soft porn da dona de casa britânica estão mais para contos de fadas do que para literatura erótica de gente grande.

Existem obras muito mais interessantes e excitantes, capazes de despertar a capacidade multiorgástica feminina apenas com parágrafos.

A literatura erótica não precisa ser exclusivamente feminina para agradar às mulheres. Muitos autores homens também conseguem provocar o desejo com suas narrativas, geralmente, mais explícitas e diretas. A linguagem erótica sem eufemismos às vezes assusta as menos habituadas a esse tipo de leitura, porém depois de alguns capítulos deixa de incomodar e passa a desencadear reações bem diferentes. O novo vocabulário pode até ajudar no repertório de sacanagens para usar durante o sexo, que nem sempre sai com facilidade da boca das mulheres.

Ler pornografia, de preferência de boa qualidade, ajuda a estimular a libido e as fantasias. O efeito da literatura erótica nas mulheres pode ser comparado ao da pornografia da internet nos homens, pelo menos enquanto não houver oferta suficiente de putaria visual ao gosto feminino. Para namorados, maridos, amantes, ficantes e afins, incentivar esse tipo de literatura não é um tiro no pé. A mulher até pode querer gozar sozinha, livre para se encaixar na história como bem entender, mas certamente vai sobrar bastante apetite para completar muito mais páginas.

Selecionei alguns livros, de diversas épocas e estilos, de literatura erótica para valer, sem muitos disfarces. Escolhi obras bem diferentes, para ter mais chance de agradar aos mais variados paladares femininos. Os livros estão em ordem aleatória de tesão, com trechos destacados que dão uma ideia do que esperar da leitura.

A vida sexual de Catherine M., de Catherine Millet

É um livro de memórias da autora, uma crítica de arte francesa bastante conhecida no meio, que resolveu escancarar sua vida sexual sem pudores, de forma crua e libertária. Catherine Millet se entrega ao sexo sem restrições, com homens, mulheres, feios, sujos; a dois, a três, a quatro, a muitos, deixando-se levar sem resistência. A francesa não economiza detalhes na descrição de suas experiências transgressoras.

Trecho:

“Eu era manipulada por partes; uma mão estimulava a parte mais acessível de meu púbis com movimentos circulares, outra roçava meu dorso ou esfregava meus mamilos…Mais até do que as penetrações, as carícias me proporcionavam muito prazer, principalmente as picas que passeavam na superfície do meu rosto ou as glandes esfregadas nos meus seios. Eu adorava segurar de passagem uma com a boca, fazê-la ir e vir entre meus lábios enquanto outra reclamava minha boca do outro lado, roçando em meu pescoço esticado para, logo depois, virar a cabeça e pegar a recém-chegada.”

Mulheres, de Charles Bukowski

Terceiro romance do velho safado, como também é conhecido, foi publicado em 1978. Bukowski nasceu na Alemanha, mas morou a maior parte de sua vida nos Estados Unidos. O livro narra as estripulias do alter ego do autor, Henry Chinaski, com mulheres insanas e reais. Escritor, alcoólatra e quebrado, o personagem seduz de jovens a balzacas, com as quais geralmente faz sexo quando não bebe demais e dorme. Apesar de tarado, Chinaski também é romântico e não resiste a um beijo.

Trecho:

Mercedes virou seu rosto para mim. Beijei-a. Beijar é mais íntimo que trepar. Por isso eu odiava saber que as minhas mulheres andavam beijando outros homens. Preferia que só trepassem com eles. Continuei beijando Mercedes. E já que beijar era tão importante para mim, tesei de novo. Montei nela, sôfrego, aos beijos, como se vivesse minha última hora na terra. Meu pau deslizou dentro dela. Agora eu sabia que ia dar certo. O milagre seria refeito. Ia gozar na buceta daquela cadela. Ia inundá-la com meu sumo e nada que ela fizesse poderia me deter. Era minha. Eu era um exército conquistador, um estuprador, o senhor dela. Eu era a morte.”

O amante, de Marguerite Duras

É uma obra de arte sensual e poética. Funciona melhor se lida em voz alta. A autora usa frases curtas, quase telegráficas, porém sempre carregadas de significado. “Muito cedo na minha vida ficou tarde demais” aparece na primeira página. O romance, que seria a narração de um episódio autobiográfico, centra-se na história de amor, desejo e melancolia entre uma jovem de 15 anos e um chinês rico de Saigon, na Indochina, onde a autora viveu. Ganhou o Prêmio Goncourt de 1984 e também virou filme.

Trecho:

“Ela lhe diz: preferiria que você não me amasse. Ou, mesmo me amando, que se comportasse como se comporta com as outras mulheres. Olha para ela espantado e pergunta: é o que você quer? Responde que sim. Ele começou a sofrer lá, naquele quarto, pela primeira vez, não nega isso. Diz que sabe que ela jamais o amará. Ela o deixa falar. (…) Ele lhe arranca o vestido, joga-o longe, arranca a calcinha branca de algodão e a leva nua para a cama. Então, vira-se para o outro lado e chora.”

A casa dos budas ditosos (Luxúria), de João Ubaldo Ribeiro

João Ubaldo escolheu usar uma protagonista mulher, uma senhora de 68 anos, para contar suas memórias libertinas nesse romance feito por encomenda para a coleção Plenos Pecados. De tão obscena, a velhinha quase parece um homem, mas é incrivelmente divertida e excitante do mesmo jeito. Para ela, tudo é natural no sexo e as taras mais escabrosas, incluindo o incesto, são descritas em um só fôlego, sem máscaras nem preliminares.

Trecho:

“Imediatamente, já possessa e numa ânsia que me fazia fibrilar o corpo todo, resolvi que tinha que montar na cara dele, cavalgar mesmo, cavalgar, cavalgar e aí gozei mais não sei quantas vezes, na boca, no nariz, nos olhos, na língua, na cabeça, gozei nele todo e então desci e chupei ele, engolindo tanto daquela viga tesa quanto podia engolir, depois sentindo o cheiro das virilhas, depois lambendo o saco, depois me enroscando nele e esperando ele gozar na minha boca, embora ninguém antes me tivesse dito como realmente era isso, só que ele não gozou na minha boca, acabou esguichando meu rosto e eu esfreguei tudo em nós dois.”

Pequenos pássaros, Anais Nïn

Anais Nïn foi uma vanguardista do feminismo e da revolução sexual. Os contos eróticos escritos na década de 40 foram publicados nesse livro somente na década de 1970, depois da morte da autora, nascida na França. Anais foi amante do escritor Henry Miller e retratou detalhes da sua vida dupla em diários, editados somente após a morte de seu marido. Seus textos retratam bastante o perfil da mulher na época, cheia de desejos e repressões.

Trecho:

“Depois, me tocava devagar, como se não quisesse me despertar, até que eu ficava molhada. Ai, seus dedos passavam a se mover mais depressa. Ficávamos com as bocas coladas, as línguas se acariciando. Aprendi a pôr o pênis dele em minha boca, o que o excitava terrivelmente. Ele perdia toda a delicadeza, empurrava o pênis e eu ficava com medo de me engasgar. Uma vez eu o mordi, o machuquei, mas ele não se incomodou. Engoli a espuma branca. Quando ele me beijou, nossos rostos ficaram cobertos com ela. O cheiro maravilhoso de sexo impregnou meus dedos. Eu não quis lavar as mãos.” (O modelo)

Hell, de Lolita Pille

Relato revoltadinho de uma patricinha de Paris, que vive rodeada de amigos fúteis, em uma vida que gira em torno de roupas de grife, bares, bebidas, sexo, álcool e drogas. Sem muita autocomiseração, Hell, pseudônimo da autora na história, define-se como uma putinha insuportável e consumista. Ao mesmo tempo que retrata o seu cotidiano e cita uma penca de marcas famosas, a personagem não deixa de ser a própria crítica à essa sociedade rica e vazia de afeto.

Trecho:

“O que a gente chama de amor é apenas o álibi consolador da união de um perverso com uma puta, é somente o véu rosado que cobre o rosto assustador da solidão invencível. Vesti uma carapaça de cinismo, meu coração é castrado, sou a dependência lamentável, a zombaria do engodo universal; Eros com uma foice enfiada na sua aljava. Amor, isto é tudo que a gente encontrou para alienar a depressão pós-cópula, para justificar a fornicação, para consolidar o orgasmo. Ele é a quintessência do belo, do bem, do verdadeiro, que remodela a sua cara escrota, que sublima a sua existência mesquinha.”

A filosofia na alcova, de Marquês de Sade

Publicado em 1795, esse romance na forma de diálogos faz a maioria dos livros eróticos de hoje parecer literatura infantil. Em meio a orgias com intuito de educar sexualmente uma jovem, o autor critica os costumes burgueses e a religião. Logo no início faz um apelo aos libertinos e pede para que as “mulheres lúbricas” desprezem tudo que contrarie as leis do prazer. A linguagem erudita e arcaica não diminui o erotismo e a narrativa transgressora de Sade, com direito a ménages e sodomias homos e héteros.

Trecho:

“Dolmancé – Na posição em que me encontro, senhora, meu pau está bem perto de vossas mãos. Peço-vos a gentileza de agitá-lo, enquanto chupo este cu divino. Introduzi a língua mais fundo, senhora, não vos limiteis a sugar o clitóris…Fazei penetrar essa voluptuosa língua até a matriz: não há melhor meio de apressar a ejaculação da porra.

Eugénie, contraindo-se – Ah, não posso mais…Vou morrer! Não me abandoneis, meus amigos, estou quase desmaiando!…(Esporra entre os dois preceptores).

Saint-Ange – E então, minha amiga, o que achou do prazer que te proporcionamos?”

História do olho, Georges Bataille

Publicado em 1928, o primeiro livro de Bataille é um clássico do erotismo. A novela acompanha as aventuras sexuais de dois adolescentes, em passagens tão surreais que se assemelham a experiências oníricas. A obra, como o autor tenta explicar no final, funde imagens e episódios da infância com suas obsessões, que decidiu escrever por sugestão de seu psicanalista. A fixação pelo olho, que surge em metáforas como ovo e testículos, tem diversos significados, relacionando-se inclusive com as lembranças do autor acerca do pai cego.

Trecho:

“A partir dessa época, Simone adquiriu a mania de quebrar ovos com o cu. Para isso, colocava a cabeça no assento de uma poltrona, as costas coladas ao espaldar, as pernas dobradas na minha direção enquanto eu batia punheta para esporrar em seu rosto. Só então eu punha o ovo em cima do buraco: ela se deliciava a mexer com ele na rachadura profunda. No momento em que a porra jorrava, as nádegas quebravam o ovo, ela gozava, e eu, mergulhando o rosto no seu cu, me inundava com aquela imundície abundante.”

Sobre a autora: Francesinha é uma mulher que gosta de falar e escrever sobre sexo. Também adora contar suas experiências e aventuras. Depois que descobriu a masturbação, aos 19 anos, nunca mais parou. Para estimular a libido feminina, criou o blog Para Pensar em Sexo, que traz artigos, imagens e contos eróticos para ajudar a mulherada a aumentar a quantidade de pensamentos-em-sexo-por-minuto.
Anúncios

Viver ultrapassa qualquer entendimento…

Posted in Comportamento with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , , on janeiro 23, 2013 by Psiquê

Autoestima

É muito difícil encontrar fidelidade nas citações da internet…

Eu gostei muito do trecho que cito entre aspas a seguir, porém encontrei atribuições a Clarice Lispector e a Bob Marley. Na minha opinião ele não pertence integralmente a nem um nem outro. Mas foi feito um mix de frases de vários autores. É triste que as citações não tenham sua autoria preservada, mas eu achei as palavras, tão bem escolhidas que resolvi partilhar aqui com vocês.

“Eu gosto do impossível, tenho medo do provável, dou risada do ridículo e choro porque tenho vontade, mas nem sempre tenho motivo. Tenho um sorriso confiante que às vezes não demonstra o tanto de insegurança por trás dele. Sou inconstante e talvez imprevisível. Não gosto de rotina. Eu amo de verdade aqueles pra quem eu digo isso, e me irrito de forma inexplicável quando não botam fé nas minhas palavras. Nem sempre coloco em prática aquilo que eu julgo certo. São poucas as pessoas pra quem eu me explico…”

“Correr atrás daquilo que realmente queremos é uma obrigação nossa!! Viva.. ame.. pense.. erre.. e depois do erro corra atrás de refazer o seu acerto.. nada é pra vida toda… O importante é ser feliz sempre! Não pense no mal, pense apenas no bem, que assim a felicidade um dia vem.. Renda-se, como eu me rendi… Mergulhe no que você não conhece como eu mergulhei…”

“Não se preocupe em entender, viver ultrapassa qualquer entendimento – esta frase com certeza é da Clarice.”

Desejo a todos uma excelente semana!

Etiqueta Virtual

Posted in Comportamento, Curiosidades with tags , , , , , , , , , , , , , , , , on janeiro 4, 2011 by Psiquê

Depois de alguns dias longe de vocês, por estar na fase de planejamento e reestruturação das minhas metas, resolvi partilhar um pouco das minhas leituras em momentos de lazer. Estava lendo a revista Você S/A – Edição especial para Mulheres e nela encontrei várias ideias bem interessantes que vou colocando aqui aos poucos. Uma delas é uma dica de comportamento virtual.

Segundo a matéria, uma pesquisa realizada pela consultoria Robert Half mostrou que no Brasil 21% das empresas usam redes sociais para recrutamento de profissionais. Tal percentual coloca o Brasil em primeiro lugar dos 13 países estudados. Diante dessa realidade, os pesquisadores alertam para o cuidado antes de postar sem pensar.

Dicas para o que se deve evitar

  • Tomar posições radiciais em assuntos como religião e política;
  • Escrever errado;
  • Comportamento discriminatório em fóruns de discussão;
  • Fazer críticas ao chefe ou empresa (atuais e anteriores);
  • Mentir;
  • Revelar informações confidenciais da empresa;
  • Participar de comunidades racistas ou sexistas.
  • Vale usar o bom senso!

    Bom ano novo!!!

    Espartilho na rádio

    Posted in Curiosidades, Geral, Selos, Memes, Mimos e Prêmios with tags , , , , , , , , , , , on outubro 21, 2009 by Psiquê
    ALEX VANZETTI

    ALEX VANZETTI

    Recebi a grande notícia de que hoje, quarta-feira, dia 21/10, o Espartilho seria destaque no Programa Blog da Vez na Rádio ELO FM, almocei correndo e fui conectar a Internet, mas não consegui ouvir o link ao vivo.

    Tentei em três máquinas diferentes no meu trabalho, mas infelizmente não consegui ouvir, talvez por problemas de acesso dos computadores de lá, não sei. Espero que consiga ouvir depois o link do Programa passado o período. Já pedi aos representantes da rádio. O apresentador e produtor do Programa Blog da Vez, Alexandre Lana Lins, foi quem deixou recado aqui avisando, mas não consegui ouvir ao vivo, uma pena!

    Esperamos ter em breve o Programa para que todos os amigos, admiradores e leitores do Espartilho possam ouvir!!!

    Beijos,

    Chris.

    O mundo é feito de boas idéias

    Posted in Comportamento with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , on maio 15, 2009 by Psiquê

    Hoje, navegando pelo Ladybugbrazil encontrei dicas muito interessantes de se Mudar o Mundo e conscientizar os amigos a fazer sua parte também.

    Também hoje ao pegar minha conta de luz, tive outro incentivo…

    76964765ms5

    No último mês resolvi desligar todos os aparelhos não usados das tomadas (ao sair de casa e ao deitar), ao invés de deixá-los em stand by. O resultado foi bastante satisfatório no preço da minha conta de luz. Caiu bastante e isso é muito animador. Reduzir os gastos com energia alegram o bolso e o ambiente.

    No que diz respeito ao ambiente, e a conscientização ambiental, o site Mude o Mundo lançou no Natal passado uma série de cartões virtuais que incentivam o consumo consciente, a economia de água, o consumo de alimentos orgânicos, a economia de luz, deixar o carro em casa, utilizar menos papel e sacolas plásticas, ser voluntário, salvar o mundo…

    Não precisa nem dizer que EU APOIO ESSA IDEIA  e  que defendo a tese de que, em 2009, esses cartões poderiam ser relançados.

    24913737pw8

    Como disse, as pequenas novas atitudes podem ser adotadas em nossa rotina diária. Por exemplo, se no seu condomínio, casa ou edifício não há coleta seletiva que tal implementar?

    Coleta Seletiva de lixo: separação e recolhimento dos resíduos descartados. Os materiais são separados do lixo orgânico (restos de carnes, frutas, verduras e demais alimentos), o qual é descartado em aterros sanitários para a fabricação de adubos orgânicos. Nesse sistema de coleta seletiva, os itens recicláveis são separados pelo material com que são produzidos: papéis,   plásticos, metais e vidros.

    38162235qr2

    Outros lixos não recicláveis também devem ser separados, pois ao serem depositados no meio ambiente provocam contaminação do solo: a) pilhas, baterias. Elas devem ser separadas e entregues em postos de coleta para que tenham um destino específico; b) lixos hospitalares também costumam estar infectados com vírus e bactérias e devem ser armazenados de forma segura e levados para incineração em locais apropriados.

     Além de ser uma fonte de renda, a coleta seletiva é uma ação que pode beneficiar as gerações futuras e reaproveitar de modo sustentável o nossos bens naturais.

    89926855yg0

    Outra iniciativa importante do Mude o Mundo, foram as 50 dicas contra o Aquecimento Global adaptadas e traduzidas do Global Warming Facts.

    1. Troque suas lâmpadas incandescentes por fluorescentes
      Lâmpadas fluorescentes gastam 60% menos energia que uma incandescente. Assim, você economizará 136 quilos de gás carbônico anualmente.
    2. Limpe ou troque os filtros o seu ar condicionado
      Um ar condicionado sujo representa 158 quilos de gás carbônico a mais na atmosfera por ano.
    3. Escolha eletrodomésticos de baixo consumo energético
      Procure por aparelhos com o selo do Procel (no caso de nacionais) ou Energy Star (no caso de importados).
    4. Não deixe seus aparelhos em standby
      Simplesmente desligue ou tire da tomada quando não estiver usando um eletrodoméstico. A função de standby de um aparelho usa cerca de 15% a 40% da energia consumida quando ele está em uso.
    5. Mude sua geladeira ou freezer de lugar
      Ao colocá-los próximos ao fogão, eles utilizam muito mais energia para compensar o ganho de temperatura. Colocar roupas e tênis para secar atrás deles então, nem pensar! Mas isso ninguém mais faz hoje em dia… faz?
    6. Descongele geladeiras e freezers antigos… se é que você ainda tem um!
      Se for o caso, considere trocar de aparelho. Os novos modelos consomem até metade da energia dos modelos mais antigos, o que subsidia o valor do eletrodoméstico a médio/longo prazo.
    7. Feche suas panelas enquanto cozinha
      Simples, não? Ao fazer isso você aproveita o calor que simplesmente se perderia no ar. Já as panelas de pressão economizam cerca de 70% do gás utilizado!
    8. Use a máquina de lavar roupas/louça só quando estiverem cheias
      Caso você realmente precise usá-las com metade da capacidade, selecione os modos de menor consumo de água. Se você usa lava-louças, não é necessário usar água quente para pratos e talheres pouco sujos. Só o detergente já resolve.
    9. Tome banho de chuveiro
      E de preferência, rápido. Um banho de banheira consome até quatro vezes mais energia e água que um chuveiro.
    10. Use menos água quente
      Aquecer água consome muita energia. Para lavar a louça ou as roupas, prefira usar água morna ou fria.
    11. Pendure ao invés de usar a secadora
      Você pode economizar mais de 317 quilos de gás carbônico se pendurar as roupas durante metade do ano ao invés de usar a secadora.
    12. Nunca é demais lembrar: recicle
    13. Faça compostagem
      Cerca de 3% do metano que ajuda a causar o efeito estufa é gerado pelo lixo orgânico doméstico. Aprenda a fazer compostagem: além de reduzir o problema, você terá um jardim saudável e bonito.
    14. Reduza o uso de embalagens
      Embalagem menor é sinônimo de desperdício de água, combustível e recursos naturais. Prefira embalagens maiores, de preferência com refil. Evite ao máximo comprar água em garrafinhas, leve sempre com você a sua própria.
    15. Compre papel reciclado
      Produzir papel reciclado consome de 70 a 90% menos energia do que o papel comum, e poupa nossas florestas.
    16. Utilize uma sacola para as compras
      Sacolinhas plásticas descartáveis são um dos grandes inimigos do meio-ambiente. Elas não apenas liberam gás carbônico e metano na atmosfera, como também poluem o solo e o mar. Quando for ao supermercado, leve uma sacola de feira ou suas próprias sacolinhas plásticas.
    17. Plante uma árvore
      Uma árvore absorve uma tonelada de gás carbônico durante sua vida. Plante árvores no seu jardim ou inscreva-se em programas como o SOS Mata Atlântica ou Iniciativa Verde.
    18. Compre alimentos produzidos na sua região
      Fazendo isso, além de economizar combustível, você incentiva o crescimento da sua comunidade, bairro ou cidade.
    19. Compre alimentos frescos ao invés de congelados
      Comida congelada consome até 10 vezes mais energia para ser produzida. É uma praticidade que nem sempre vale a pena.
    20. Compre orgânicos
    21. Coma menos carne
      O metano, emitido por bois e vacas é um dos maiores responsáveis pelo efeito estufa. Além disso, a produção de carne demanda uma quantidade enorme de água e terras.
    22. Ande menos de carro
      Use menos o carro e mais o transporte coletivo (ônibus, metrô) ou o limpo (bicicleta ou a pé). Se você deixar o carro em casa 2 vezes por semana, deixará de emitir 700 quilos de poluentes por ano.
    23. Não deixe o bagageiro vazio em cima do carro
      Qualquer peso extra no carro causa aumento no consumo de combustível. Um bagageiro vazio gasta 10% a mais de combustível, devido ao seu peso e aumento da resistência do ar.
    24. Mantenha seu carro regulado
      Calibre os pneus a cada 15 dias e faça uma revisão completa a cada seis meses, ou de acordo com a recomendação do fabricante. Carros regulados poluem menos. A manutenção correta de apenas 1% da frota de veículos mundial representa meia tonelada de gás carbônico a menos na atmosfera.
    25. Dirija com atenção e não desperdice combustível
      Escolha as marchas corretas, utilize o freio de mão ao invés do pedal quando possível, desligue o carro quando ele ficar mais de 1 minuto parado. Dessa forma, você economiza dinheiro, combustível e o meio-ambiente.
    26. Lave o carro a seco
    27. Quando for trocar de carro, escolha um modelo menos poluente
    28. Use o telefone ou a Internet
      A quantas reuniões de 15 minutos você já compareceu esse ano, para as quais teve que dirigir por quase uma hora para ir e outra para voltar? Usar o telefone ou skype pode poupar você de stress, além de economizar um bom dinheiro e poupar a atmosfera.
    29. Voe menos
      Deixar de pegar um avião apenas uma ou duas vezes por ano faz uma diferença significativa para a atmosfera. Se você não pode se dar esse luxo, que tal neutralizar suas emissões?
    30. Incentive sua escola, trabalho ou condomínio a reduzir suas emissões
    31. Economize CDs e DVDs
      CDs e DVDs sem dúvida são mídias eficientes e baratas, mas você sabia que um CD leva cerca de 450 anos para se decompor e que, ao ser incinerado, ele volta como chuva ácida (como a maioria dos plásticos)?
      Utilize mídias regraváveis, como CD-RWs, drives USB ou mesmo e-mail ou FTP para carregar ou partilhar seus arquivos. Hoje em dia, são poucos arquivos que não podem ser disponibilizados virtualmente ao invés de em mídias físicas.
    32. Proteja as florestas
      Por anos os ambientalistas foram vistos como “eco-chatos”. Mas em tempos de aquecimento global, as árvores precisam de mais defensores do que nunca. O papel delas no aquecimento global é crítico, pois mantém a quantidade de gás carbônico controlada na atmosfera.
    33. Considere o impacto de seus investimentos
      O dinheiro que você investe não rende juros sozinho. Isso só acontece quando ele é investido em empresas ou países que dão lucro. Na onda da sustentabilidade, vários bancos estão considerando o impacto ambiental das empresas em que investem o dinheiro dos seus clientes. Informe-se com o seu gerente antes de escolher o melhor investimento para você e o meio ambiente.
    34. Informe-se sobre a política ambiental das empresas que você contrata
    35. Desligue o computador
      Muita gente tem o péssimo hábito de deixar o computador de casa ou da empresa ligado ininterruptamente, às vezes fazendo downloads, às vezes simplesmente por comodidade. Desligue o computador sempre que for ficar mais de 2 horas sem utilizá-lo e o monitor por até quinze minutos.
    36. Considere trocar seu monitor
      O maior responsável pelo consumo de energia de um computador é o monitor. Monitores de LCD são mais econômicos, ocupam menos espaço na mesa e estão ficando cada vez mais baratos. O que fazer com o antigo? Doe a instituições como o Comitê para a Democratização da Informática.
    37. Não troque o seu iPod ou celular
    38. No escritório, desligue o ar condicionado uma hora antes do final do expediente
      Num período de 8 horas, isso equivale a 12,5% de economia diária, o que equivale a quase um mês de economia no final do ano. Além disso, no final do expediente a temperatura começa a ser mais amena.
    39. Não permita que as crianças brinquem com água
    40. No hotel, economize toalhas
      Em alguns hotéis, o hóspede tem a opção de não ter as toalhas trocadas diariamente, para economizar água e energia.
    41. Participe de ações virtuais
      A Internet é uma arma poderosa na conscientização e mobilização das pessoas. Um exemplo é o site ClickÁrvore, que planta árvores com a ajuda dos internautas. Informe-se e aja!
    42. Instale uma válvula na sua descarga
      Instale uma válvula para regular a quantidade de água liberada no seu vaso sanitário: mais quantidade para o número 2, menos para o número 1!
    43. Economize água em suas viagens
      Ao viajar para regiões onde a água é escassa, economize mais ainda.
    44. Recicle árvores e cartões de Natal
    45. Não peça comida para viagem
      Se você já foi até o restaurante ou à lanchonete, que tal sentar um pouco e curtir sua comida ao invés de pedir para viagem? Assim você economiza as embalagens de plástico e isopor utilizadas.
    46. Regue as plantas à noite
      Ao regar as plantas à noite ou de manhãzinha, você impede que a água se perca na evaporação, e também evita choques térmicos que podem agredir suas plantas.
    47. Frequente restaurantes naturais/orgânicos
    48. Vá de escada
      Para subir até dois andares ou descer três, que tal ir de escada? Além de fazer exercício, você economiza energia. Se você vai de elevador, a boa-educação manda que você espere quem ainda está chegando, certo?
    49. Faça sua voz ser ouvida pelos seus representantes
      Use a Internet, cartas ou telefone para falar com os seus representantes em sua cidade, estado e país. Mobilize-se e certifique-se de que os seus interesses – e de todo o planeta – sejam atendidos.
    50. Divulgue essa lista!

    Vamos nessa, meus amores. Cada um de nós pode fazer a sua parte. BOM TRABALHO!

    82571574xc3