Arquivo para lágrimas

Quando menos se espera…

Posted in Comportamento, Curiosidades with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , , on março 14, 2014 by Psiquê

0e547fe96f24babea1882cfb849110ee

Muitas vezes somos tão ansiosos em esperar resultados, que as coisas mudem, que as respostas cheguem, mas não nos damos conta que os resultados não vêm apenas quando queremos, mas quando estamos preparados…

Derramamos lágrimas, roemos unhas, brigamos, desistimos e de repente, algo inesperado acontece, uma resposta surge e as coisas parecem se encaixar tão perfeitamente que nos parece impossível não ter algo ou alguém no controle.

Muitas vezes queremos algo, mas ainda não estamos preparados para recebê-lo e se nos fosse dado antes da hora, provavelmente teríamos dificuldade de administrar com o nosso melhor aquela oportunidade.

Precisamos sempre correr atrás dos nossos objetivos e sonhos, sabendo viver as experiências, aprendendo com elas quando forem boas ou ruins, pois com certeza o resultado será sempre para melhor. Mesmo sofrendo, ficamos mais fortes para enfrentar situações posteriores similares.

Quantas vezes queremos muito algo e não conseguimos e logo em seguida, quase sem percebermos, uma outra porta se abre, talvez até melhor do que aquela. As oportunidades podem até levar um tempo, mas cabe a nós sabermos sempre aprender com aquilo que vivemos. Essa é a grande sabedoria. Difícil, talvez, mas sábio.

“Eu aprendi que tudo nessa vida tem um propósito. As vezes até pensamos que o mundo está desabando em nossa cabeça ou que Deus está contra nós, por isso que já vi tanta gente perdendo a fé. Mas acredite, vai passar, sempre passa… Eu sei, as vezes demora, para mim também já foi assim, mas isso não significa que o mundo está contra você. Ou você tem coisas a mais para aprender ou tem coisa muito melhor reservada pra ti. Ou uma ou outra. Pode crer, no final das contas você vai sair ganhando!” Adriana Mayer

Bom final de semana a todos!

Anúncios

Violências…

Posted in Comportamento, Curiosidades, Geral with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , on fevereiro 10, 2014 by Psiquê

9a606f1365bc70e4060e5add70d3c2d8

Neste final de semana assisti ao filme 12 anos de escravidão. Fiquei encantada com o filme de Steve McQueen e com muita vontade de ler o livro, que conta a história real de Solomon Northup, um negro liberto que é sequestrado e vendido como escravo, condição em que passa a viver por 12 longos anos até conseguir que sua história chegasse aos ouvidos daqueles que o conheciam. Em meio a um show de interpretação do ator Chiwetel Ejiofor, o filme também conta com a atuação de Michael Fassbender,  Lupita Nyong’oBenedict Cumberbatch e produção de John Ridley e Brad Pitt. 

As cenas de violências são ‘emudecedoras’…minha garganta parecia estar sendo transpassada, quando finalmente resolvi chorar para aliviar a pressão que as cenas das agressões, chibatadas e violência proporcionam… Um verdadeiro espetáculo de filme! Não é à toa que o filme teve 9 indicações ao Oscar, dentre elas: 1) melhor filme, 2) melhor diretor, 3) melhor ator, 4) melhor ator coadjuvante, 5) melhor atriz coadjuvante, 6) melhor roteiro adaptado, 7) melhor figurino, 8) melhor montagem e 9) melhor design de produção. O filme nos faz pensar sobre o que somos capazes de fazer: fomos capazes escravizando, discriminando, segregando, ‘permitindo’ a existência de regimes ditatoriais, opressores, campos de concentração, prisões arbitrárias. Todas as diferentes formas de violência que direta ou indiretamente permitimos em algum momento da nossa história…

Eu não pensei em escrever sobre o filme aqui no blog, mas o resultado de uma manifestação aqui no Brasil me fez pensar em diversos tipos de violência que nós perpetramos diariamente uns contra os outros… Hoje faleceu um jornalista que cobria uma manifestação na cidade do Rio de Janeiro contra o aumento das passagens. Não foi a primeira vítima e não sei se será  a última…

…mas seja qual for o lado que oprime e que vitima, precisamos repensar nossas atitudes, nosso comportamento, nossos discursos e até o nosso silêncio…

Circulou na internet há pouco, depois de atestada a morte cerebral de Santiago Ilídio Andrade, um texto de autoria de Vanessa Andrade, sua filha, também jornalista:


Fica a saudade de um companheiro sereno e de um pai valente.
Meu nome é Vanessa Andrade, tenho 29 anos e acabo de perder meu pai.
Quando decidi ser jornalista, aos 16, ele quase caiu duro. Disse que era profissão ingrata, salário baixo e muita ralação. Mas eu expliquei: vou usar seu sobrenome. Ele riu e disse: então pode!
Quando fiz minha primeira tatuagem, aos 15, achei que ele ia surtar. Mas ele olhou e disse: caramba, filha. Quero fazer também. E me deu de presente meu nome no antebraço.
Quando casei, ele ficou tão bêbado, que na hora de eu me despedir pra seguir em lua de mel, ele vomitava e me abraçava ao mesmo tempo.
Me ensinou muitos valores. A gente que vem de família humilde precisa provar duas vezes a que veio. Me deixou a vida toda em escola pública porque preferiu trabalhar mais para me pagar a faculdade. Ali o sonho dele se realizava. E o meu começava.
Esta noite eu passei no hospital me despedindo. Só eu e ele. Deitada em seu ombro, tivemos tempo de conversar sobre muitos assuntos, pedi perdão pelas minhas falhas e prometi seguir de cabeça erguida e cuidar da minha mãe e meus avós. Ele estava quentinho e sereno. Éramos só nós dois, pai e filha, na despedida mais linda que eu poderia ter. E ele também se despediu.
Sei que ele está bem. Claro que está. E eu sou a continuação da vida dele. Um dia meus futuros filhos saberão quem foi Santiago Andrade, o avô deles. Mas eu, somente eu, saberei o orgulho de ter o nome dele na minha identidade.
Obrigada, meu Deus. Porque tive a chance de amar e ser amada. Tive todas as alegrias e tristezas de pai e filha. Eu tive um pai. E ele teve uma filha.
Obrigada a todos. Ele também agradece.
Eu sou Vanessa Andrade, tenho 29 anos e os anjinhos do céu acabam de ganhar um pai.”

Agradecer!

Posted in Comportamento with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , on novembro 13, 2013 by Psiquê

Imagem

Hoje eu só quero agradecer! Agradecer pela minha vida, por meus verdadeiros amigos, aqueles que torcem por mim todos os dias, que me dão as mãos quando preciso, que me repreendem quando estou errada, ao invés de me tesourar ou criticar pelas costas, que ficam felizes com minhas vitórias, que secam minhas lágrimas quando elas escorrem, que me perdoam quando eu erro ou me excedo.

Recentemente eu recebi uma mensagem linda, que compartilho aqui com vocês:

Existem pessoas raras, difíceis de se encontrar,

Elas são lindas por fora…, mas principalmente, são lindas por dentro.

São feitas de carinho… E recheio de verdade!

Costumam chegar de mansinho… E te conquistam dia a dia…

Conquistam com verdades e muito amor! Elas não tem medo de competição.

Valorizam qualidades… Não defeitos!

Querem te ver crescer…

Querem te ver feliz… querem te ver sorrir…

Estão sempre perto…

Não te deixam só…

Mesmo quando você não percebe… Estão cuidando de você!

Se você teve a sorte, como eu tive…

De encontrar uma dessas pessoas…

Não se esqueça de dizer…

Obrigada por você existir!!! 

Façamos um trato esta noite…

Posted in Poesia Erótica with tags , , , , , , , , , , , , , , on agosto 22, 2012 by Psiquê


Façamos um trato esta noite… não sejamos tão realistas.
Você geme e suspira, eu ouço
enquanto minha boca te explora como louco
flutuando em luas surrealistas.
Façamos um trato esta noite… efêmera é esta carne que nos lacra.
O tempo pára enquanto te despes.
O mundo desaba quando te vestes.
Ama-me antes que o pudor te rasgue como faca.
Façamos um trato esta noite… as lágrimas são cristais do coração.
Eu sinto o fel em teus lábios maculados.
Vejo o abismo de teus olhos mascarados
que se escondem atrás de tormentos vãos…
Façamos um trato esta noite… não adianta fugir da própria vida !
Ainda temes a flor pelos espinhos.
Ainda crês que terminaremos sozinhos.
E o amor é não mais que uma mentira.
Façamos um trato esta noite… prometo te convencer na quietude
que o amor ideal é ao desfolhar dos dias
a felicidade nublando nosso ódio
e ter consigo sempre esta virtude.

Autor: Angel Hazel

Não se esqueça o quanto vale

Posted in Comportamento with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , on junho 2, 2010 by Psiquê

Hoje recebi uma mensagem muito bonitinha por email. Achei tão legal que resolvi até partilhar com vocês. Como estou em clima de descanso, já que vou passar 4 dias fora do ar, deixo aqui um recadinho para todas as mulheres desse mundo.

UM DEFEITO NA MULHER

Quando Deus fez a mulher já estava em seu sexto dia de trabalho fazendo horas extras.

Um anjo apareceu e Lhe disse: ‘Por quê leva tanto tempo nisto?’

E o Senhor respondeu: ‘Já viu a minha ficha de especificações para ela?’

Deve ser completamente lavável, mas sem  ser de plástico, ter mais de 200 peças móveis e ser capaz de funcionar com uma dieta de qualquer coisa, até sobras, ter um colo que possa acomodar quatro crianças ao mesmo tempo, ter um beijo que possa curar desde um joelho arranhado até um coração partido e fará tudo isto somente com duas mãos.’

O anjo se maravilhou com as especificações:  ‘somente duas mãos….Impossível!’ E este é somente o modelo básico?

É muito trabalho  para um dia…Espere até amanhã para terminá-la.’

Isso não, protestou o Senhor. Estou tão perto de terminar esta criação que é favorita de Meu próprio coração.

Ela se cura sozinha quando está doente e pode trabalhar jornadas de 18 horas.’ O anjo se aproximou mais e tocou a mulher.

‘mas o Senhor a fez tão suave…’

‘É suave’, disse Deus, mas a fiz também forte. Você não tem idéia do que pode agüentar ou conseguir.

‘Será capaz de pensar?’ perguntou o  anjo.

Deus respondeu: ‘Não somente será capaz  de pensar, mas também que raciocinar e de negociar’

O anjo então notou algo e estendendo a mão tocou a bochecha da  mulher….

‘Senhor, parece que este modelo tem um vazamento…

Eu Lhe disse que estava colocando muita coisa nela…’

‘Isso não é nenhum vazamento… é uma lágrima’ corrigindo-o  o Senhor..

‘Para que serve a lágrima,’ perguntou o anjo.

e Deus disse: ‘As lágrimas são sua maneira de expressar seu destino, sua pena, seu desengano, seu amor, sua solidão, seu sofrimento, e seu orgulho.’

Isto impressionou muito ao anjo ‘O Senhor é um gênio, pensou em tudo. A mulher é  verdadeiramente maravilhosa’

Sim é!

A mulher tem forças que maravilham aos homens.

Agüentam dificuldades, levam  grandes cargas, mas têm felicidade,  amor e  alegria.

Sorriem quando querem gritar.

Cantam  quando querem chorar, choram quando estão  felizes e riem quando estão nervosas.

Lutam pelo que crêem.

Enfrentam à  injustiça.

Não aceitam ‘não’ como resposta quando elas crêem que há uma solução melhor.

Privam-se para que a sua família possa ter.

Vão ao médico com uma amiga que tem medo de ir.

Amam incondicionalmente.

Choram quando seus filhos triunfam e se alegram quando seus amigos ganham prêmios.

Ficam  felizes quando ouvem sobre um nascimento ou um casamento.

Seu coração se parte quando morre uma amiga.

Sofrem com a perda de um ente querido, entretanto são fortes quando pensam que já não há mais forças.

Sabem que um beijo e um abraço podem ajudar a curar um coração partido.

Entretanto, há um defeito na mulher: É que ela, as vezes, se esquece o quanto vale.

Nota 1000! Altas Aventuras

Posted in Comportamento, Geral with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , on setembro 28, 2009 by Psiquê

Hoje o Espartilho recebeu seu milésimo comentário. Pode parecer pouco perto de vários blogs badaladíssimos, mas para mim é um motivo para celebrar! A dois meses de completarmos 2 anos. Com menos tempo para postar, mas com o mesmo amor de sempre!

Do filme: Up Altas Aventuras - Pixar/Disney Pictures

Do filme: Up Altas Aventuras - Pixar/Disney Pictures

Momento de rever os planos, de pensar os caminhos futuros e de sempre: construir o presente! Quero partilhar com vcs a animação que vi com meu maridão neste domingo e que me rendeu muitas lágrimas hahaha (só pq sou chorona!). Trata-se do último lançamento da Pixar/Disney Pictures, Up Altas Aventuras,  a parte que me rendeu lágrimas diz respeito à historinha de dois personagens Carl e Ellie que tem vários planos de aventuras muito ousados, mas que acabam construindo uma vida juntos, sem no entanto realizar um dos sonhos juntos: chegar à América do Sul, na terra das cachoeiras.

Do filme: Up Altas Aventuras - Pixar/Disney Pictures

Do filme: Up Altas Aventuras - Pixar/Disney Pictures

O livro de aventuras de Ellie não pôde ser completado com aquele que parecia ser o seu maior sonho, pois ela falece sem conseguir chegar América do Sul. Entretanto, a vida que construiu ao lado de Carl foi reconhecida por ela como as melhores aventuras de sua vida, mesmo que ele só descubra isso no final.

Apesar dessa historinha que me chamou atenção, Carl seguirá suas aventuras rumo àquela parte sul do continente americano e vale a pena se divertir vendo!

Tudo isso partilhei com vocês por que Ellie, como todos nós,  carregava sonhos de um futuro feliz, promissor, divertido, relaxante, satisfatório, seja o que for, mas o que nos tornará felizes é viver intensamente o presente, pois o futuro a Deus pertence.

Grande beijo e fica aqui a dica de cinema!

Do filme: Up Altas Aventuras - Pixar/Disney Pictures

Do filme: Up Altas Aventuras - Pixar/Disney Pictures

Visio

Posted in Poesia Erótica with tags , , , , , , , , , , on julho 16, 2008 by Psiquê

Visio

Eras pálida. E os cabelos,
Aéreos, soltos novelos,
Sobre as espáduas caíam…
Os olhos meio-cerrados
De volúpia e de ternura
Entre lágrimas luziam…
E os braços entrelaçados,
Como cingindo a ventura,
Ao teu seio me cingiram…Depois, naquele delírio,
Suave, doce martírio
De pouquíssimos instantes
Os teus lábios sequiosos,
Frios trêmulos, trocavam
Os beijos mais delirantes,
E no supremo dos gozos
Ante os anjos se casavam
Nossas almas palpitantes…
Depois… depois a verdade,
A fria realidade,
A solidão, a tristeza;
Daquele sonho desperto,
Olhei… silêncio de morte
Respirava a natureza —
Era a terra, era o deserto,
Fora-se o doce transporte,
Restava a fria certeza.

Desfizera-se a mentira:
Tudo aos meus olhos fugira;
Tu e o teu olhar ardente,
Lábios trêmulos e frios,
O abraço longo e apertado,
O beijo doce e veemente;
Restavam meus desvarios,
E o incessante cuidado,
E a fantasia doente.

E agora te vejo. E fria
Tão outra estás da que eu via
Naquele sonho encantado!
És outra, calma, discreta,
Com o olhar indiferente,
Tão outro do olhar sonhado,
Que a minha alma de poeta
Não vê se a imagem presente
Foi a imagem do passado.

Foi, sim, mas visão apenas;
Daquelas visões amenas
Que à mente dos infelizes
Descem vivas e animadas,
Cheias de luz e esperança
E de celestes matizes:
Mas, apenas dissipadas,
Fica uma leve lembrança,
Não ficam outras raízes.

Inda assim, embora sonho,
Mas sonho doce e risonho,
Desse-me Deus que fingida
Tivesse aquela ventura
Noite por noite, hora a hora,
No que me resta de vida,
Que, já livre da amargura,
Alma, que em dores me chora,
Chorara de agradecida!

Machado de Assis