Arquivo para malefícios

Glúten e obesidade

Posted in Comportamento, Estética e Beleza, Saúde with tags , , , , , , , , , , , , on agosto 16, 2009 by Psiquê

Comprei recentemente e devorei o livro Glúten e obesidade, a verdade que emagrece, da Regina Racco.

Capa

O livro enfatiza os malefícios do Glúten no organismo, mesmo para pessoa não portadoras de doença celíaca. Para os celíacos, o glúten deve ser banido da dieta, pois ele provoca efeitos colaterais seríssimo a saúde dessas pessoas. Eu tenho duas amigas celíacas e até semana passada estava investigando se além da intolerância à lactose, também tinha intolerância ao glúten.

Depois de comprovado que não tenho intolerância por dois exames: o antiendomísio e antitransglutaminase que em mim deram não reagentes.

Entenda o que é a doença celíaca: trata-se de  uma intolerância permanente, isto é, por toda a vida, ao glúten. O glúten é uma proteína que está presente nos seguintes alimentos: trigo, aveia, centeio, cevada e malte.

A doença celíaca ocorre em pessoas com tendência genética à doença. Geralmente aparece na infância, nas crianças com idade entre 1 e 3 anos, mas pode surgir em qualquer idade, inclusive nas pessoas adultas.

Quais são os sinais mais comuns da doença? Podem variar de pessoa a pessoa, porém os mais comuns são:

  1. Diarréia crônica (que dura mais do que 30 dias)
  2. Prisão de ventre;
  3. Anemia;
  4. Falta de apetite;
  5. Vômitos;
  6. Emagrecimento;
  7. Atraso no crescimento;
  8. Humor alterado: irritabilidade ou desânimo;
  9. Distensão abdominal (barriga inchada);
  10. Dor abdominal;
  11. Perda de peso ou pouco ganho de peso;
  12. Osteoporose.

Regina Racco, no seu livro,  propõe uma dieta de 8 semanas para desintoxicar o organismo do glúten, que ela entende como vilão inclusive em organismos não intolerantes.  Segundo a autora,  alimentos contendo glúten levam 26 horas no trato intestinal, enquanto os que não apresentam essa proteína em sua composição levam 18 horas.

Ao chegar no meu gastroenterologista e conversar sobre o glúten, tendo meu exame dado não reagente, ele disse que não deveria exagerar. Em suas palavras, a retirada total do glúten da dieta só deveria ser feita em caso de diagnóstico de intolerância ou alergia. Mas eu tentarei reduzir em algumas coisas, por exemplo, comprei um macarrão de arroz (bifum) para fazer uma sala de atum com creme de leite de soja e ficou uma delícia.

Para quem quiser saber mais sobre a doença celíaca visite o site: Rio sem glúten.

Há também uma série de receitas sem glúten para se fazer em casa no livro e neste site. Receitas com massa alimentícia de arroz, Bifum.

Cuidado com o SÓDIO

Posted in Estética e Beleza, Saúde with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , on maio 10, 2008 by Psiquê

Photo A. Brito

Esse mês a revista Nova publicou uma matéria sobre a “Ameaça Oculta do Sódio”. Fiquei tão perplexa com os índices que resolvi partilhar com vocês esse delicado tema.

Sabemos que nossos dias são tão corridos e atribulados que dificilmente conseguimos prestar atenção cuidadosa nos alimentos que escolhemos. Muitas vezes, nesse corre-corre acabamos comento embutidos, enlatados, fast foods, congelados. Até aí, nada demais, uma vez ou outra que mal há nisso, não é mesmo? Sem pensar apenas nas calorias a mais que esses alimentos carregam, a quantidade de sódio que ingerimos junto com eles é impressionante. O sódio demais pode ser tão prejudicial à saúde quanto as gorduras e os açúcares em excesso.

BENEFÍCIOS: Antes de mais nada é necessário que saibamos que o sódio é fundamental no organismo para regular as funções básicas do organismo como o ritmo cardíaco, pressão arterial, a absorção da glicose, transporte de várias substâncias ao organismo e o volume do sangue no corpo, além de participar do equilíbrio ácido-básico do organismo, auxiliar na transmissão de impulsos nervosos, contração e relaxamento dos músculos. Mas a quantidade diária de sódio recomendada é de 2.4g (2.400 mg) segundo a American Heart Association, mas a média de ingestão diária do brasileiro é bem superior a isso: entre 4 e 6g/dia, segundo a reportagem.

MALEFÍCIOS: E o que há de mal em comermos sódio demais? Sódio em excesso pode aumentar o risco de hipertensão, acidente vascular cerebral, catarata, pedra nos rins (cálculo renal), câncer de estômago. Você sabia, por exemplo que 8 nuggets (fritos ou assados) carregam 5,7g de sódio?

O perigo maior que o grau de tolerância ao sódio varia de pessoa para pessoa. Segundo a médica ortomolecular Heloísa Rocha, os negros são geneticamente mais sensíveis ao sódio e as mulheres mais poupadas até a menopausa.

Se o nível de sódio fica alto no organismo, também pode liberar hormônios que causam a retenção de líquido e inchaço, o que esteticamente é um desastre. Heloísa ainda complementa, “como essa retenção de água é intravascular, e não na pele, não influi no aumento da celulite, mas pode sobrecarregar o coração, elevando o risco de acidente vascular cerebral e enfarte”. Os rins também tem capacidade limitada de filtrar e excretar o sódio e o consumo elevado de sódio sobrecarrega suas funções e compromete seu desempenho.

Cuidado: sódio e sal não são sinônimos, por isso outros componentes podem ter muito sódio e serem prejudiciais à saúde (6 g de sal equivalem a 2,4 g de sódio, além de magnésio, selênio, potássio, cálcio, zinco e iodo). Alguns produtos dietéticos, por exemplo, contém o ciclamato de sódio (um adoçante) que acabam por também comprometer os níveis de sódio ingeridos.

Dicas importantes para evitar a ingestão de muito sódio na rotina corrida do dia-a-dia:

  1. Evite colocar o saleiro sobre a mesa ou atacar envelopes de sal;
  2. Cuidado para não viciar o paladar com delícias muito condimentadas;
  3. Invista em temperos alternativos como: orégano, hortelã, salsinha, cebolinha, limão, alho, cebola ou azeite;
  4. Cuidado na escolha das compras, pois o sal é um conservante natural, por isso vários alimentos recebem o mineral como conservante. Segundo Heloísa, “estima-se que 75% do sódio consumido diariamente venha de itens processados industrialmente, como conservas, embutidos, alimentos em salmoura (picles, azeitonas), mostardas, ketchup, shoyu, molhos e temperos prontos, consomê, enlatados, sucos e sopas em pó”. Viram só como o perigo mora ao lado?
  5. Pizzas em caixinha têm mais sódio do que as feitas artesanalmente na hora;
  6. Produtos diet ou light normalmente têm concentrações maiores de sódio. Fique de olhos nas informações nutricionais presentes nas embalagens;
  7. Ande com uma garrafinha de água SEM gás para manter a hidratação e consequentemente reter menos sódio. Atenção a versão com gás também tem sódio.

Saiba mais sobre a necessidade de ingestão e reposição de sódio em água em:

Requerimentos de água e sódio diários

Sódio em excesso pode ser tão prejudicial quanto gordura