Arquivo para mãos

Relações líquidas

Posted in Comportamento with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , on outubro 20, 2014 by Psiquê

f741700f55228df8ae7394167e49570f

Estamos cada vez mais aparelhados com iPhones, tablets, notebooks, tudo para disfarçar o antigo medo da solidão. O contato via rede social tomou o lugar de boa parte das pessoas, cuja marca principal é a ausência de comprometimento. Este texto tem como base a ideia de líquido, característica presente nas relações humanas atuais, inspirado na obra “Amor Líquido” – sobre a fragilidade dos laços humanos, de Zygmunt Bauman. As relações se misturam e condensam com laços momentâneos, frágeis e volúveis. Em um mundo cada vez mais dinâmico, fluido e veloz, seja real ou virtual.

Publicado no portal Obvious, pela autora Giseli Betsy, o texto que aqui compartilho, fala um pouco sobre nossos relacionamentos nos dias de hoje, sua fragilidade, fugacidade e falta de comprometimento. Acho bastante válida a reflexão.

O sociólogo polonês Zygmunt Bauman é um dos intelectuais mais respeitados da atualidade. Aos 87 anos seus livros publicados venderam mais de 200 mil cópias. Um resultado e tanto para um teórico. Entre eles “Amor líquido” é talvez o livro mais popular de Bauman no Brasil. É neste livro que o autor expõe sua análise de maneira mais simples e próxima do cotidiano, analisando as relações amorosas e algumas particularidades da “modernidade líquida”. Vivemos tempos líquidos, nada é feito para durar, tampouco sólido. Os relacionamentos escorrem das nossas mãos por entre os dedos feito água.

Ele tenta nos mostrar nossa dificuldade de comunicação afetiva. Todos querem relacionar-se, mas chega na hora, não conseguem. Seja por medo ou insegurança. Bauman cita como exemplo um vaso de cristal, na primeira queda, quebra. As relações terminam tão rápido quanto começam, as pessoas pensam terminar com um problema cortando seus vínculos, mas o que fazem mesmo é criar problemas em cima de problemas.

É um mundo de incertezas. E cada um por si. Temos relacionamentos instáveis, pois as relações humanas estão cada vez mais flexíveis. Acostumados com o mundo virtual, e com a facilidade de se “desconectar” as pessoas não conseguem manter um relacionamento de longo prazo. É um amor criado pela sociedade atual (modernidade líquida) para tirar-lhes a responsabilidade de relacionamentos sérios e duradouros. Pessoas estão sendo tratadas como bens de consumo, caso haja defeito, descarta-se ou até mesmo troca-se por versões mais atualizadas.

O romantismo do amor parece estar fora de moda. O amor de verdade foi banalizado, diminuído a vários tipos de experiências vividas pelas pessoas, na qual se referem a estas utilizando a palavra amor. Noites descompromissadas de sexo são chamadas “fazer amor”. Não existem mais responsabilidades de estar amando, a palavra amor é usada mesmo quando as pessoas nem sabem direito seu real significado.

Ainda para tentar explicar a relações amorosas em “Amor Líquido”, Zygmunt Bauman fala da “ Afinidade e Parentesco.” O parentesco seria o laço irredutível e inquebrável é aquilo que não nos dá escolha

A afinidade é, ao contrário do parentesco, voluntária. A afinidade é escolhida. Porém, e isso é importante, o objetivo da afinidade é ser como o parentesco. Entretanto, vivendo em uma sociedade de total “descartabilidade” até as afinidades estão se tornando raras.

Bauman fala também sobre o amor próprio. Afirma que as pessoas precisam se sentir amadas, ouvidas, amparadas ou que sintam sua falta. Segundo ele ser digno de amor é algo que só o outro pode nos classificar, o que fazemos é aceitar essa classificação. Mas com tantas incertezas, relações sem forma, líquidas, na qual o amor nos é negado como teremos amor próprio? Os amores e as relações humanas de hoje são todos muito instáveis. E assim não temos certeza do que esperar. Relacionar-se é caminhar na neblina, sem a certeza de nada. É uma descrição poética da situação.

“Para ser feliz há dois valores essenciais que são absolutamente indispensáveis […] um é segurança e o outro é liberdade, você não consegue ser feliz e ter uma vida digna na ausência de um deles. Segurança sem liberdade é escravidão. Liberdade sem segurança é um completo caos. Você precisa dos dois. […] Cada vez que você tem mais segurança você entrega um pouco da sua liberdade. Cada vez que você tem mais liberdade você entrega parte da segurança. Então, você ganha algo e você perde algo”. Bauman

 

Agradecer!

Posted in Comportamento with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , on novembro 13, 2013 by Psiquê

Imagem

Hoje eu só quero agradecer! Agradecer pela minha vida, por meus verdadeiros amigos, aqueles que torcem por mim todos os dias, que me dão as mãos quando preciso, que me repreendem quando estou errada, ao invés de me tesourar ou criticar pelas costas, que ficam felizes com minhas vitórias, que secam minhas lágrimas quando elas escorrem, que me perdoam quando eu erro ou me excedo.

Recentemente eu recebi uma mensagem linda, que compartilho aqui com vocês:

Existem pessoas raras, difíceis de se encontrar,

Elas são lindas por fora…, mas principalmente, são lindas por dentro.

São feitas de carinho… E recheio de verdade!

Costumam chegar de mansinho… E te conquistam dia a dia…

Conquistam com verdades e muito amor! Elas não tem medo de competição.

Valorizam qualidades… Não defeitos!

Querem te ver crescer…

Querem te ver feliz… querem te ver sorrir…

Estão sempre perto…

Não te deixam só…

Mesmo quando você não percebe… Estão cuidando de você!

Se você teve a sorte, como eu tive…

De encontrar uma dessas pessoas…

Não se esqueça de dizer…

Obrigada por você existir!!! 

Sérum para as mãos

Posted in Estética e Beleza with tags , , , , , , , , , , , , , on janeiro 28, 2013 by Psiquê

136937644889222601_RvItmgVk_c

Há algum tempo fui apresentada ao Sérum transformador para mãos da linha Chic, de Chá Branco, da Panvel. Só de experimentar um pouquinho eu fiquei encantada! Hoje, para minha boa surpresa, ganhei um frasco e adorei! Que vontade de passar toda hora! Imediatamente entrei no site da Panvel e encomendei mais 3 frascos. A fragrância é deliciosa e a textura excepcional. Ainda não sei se os efeitos hidratantes são realmente eficazes, mas sei que a sensação que dá depois de passarmos nas mãos é de uma maciez indescritível.

Segundo a descrição  da embalagem o Serum hidratante Panvel Chic Chá Branco traz uma extraordinária combinação de poderosos silicones que revestem a pele com um filme protetor, proporcionando uma textura sedosa e aveludada à pele. Pode ser usado nas mãos, ou em todo o corpo.

Quem também já experimentou o produto foi a Sheila Lovato, do The Beauty Factory, , se quiser conferir a opinião dela clique aqui.

Quem mais já falou sobre o produto:

Duda Prestes

Viagem e Beleza

Eterna Beleza

Espaço Vaidade

DBeauty

Testei e Aprovei

Blog da Teca Maria

Dicas de Comadre

Não vivo sem cosméticos

O produto é um verdadeiro luxo para tornar todos os seus momentos únicos e muito especiais. Vale muito a pena experimentar!!!

Querer

Posted in Erotismo, Poesia Erótica with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , on janeiro 20, 2013 by Psiquê

677283_75

Quero massagear o teu corpo,
Como se te prestasse um tributo de paixão.
E com minhas mãos, como que num ritual,
Percorrer-te todos os caminhos
E dele extrair a chama da combustão.
E cheirá-la por inteiro,
No ardor de farejar o âmago de tua alma fêmea.
E beijá-la voluptuosamente e com meus lábios
Sorver o suor ensandecido de teus poros
Quero, então, corpos unidos,
Dançar ao som de teus gemidos e sussurros
A dança terna e alucinante do amor.

Autoria: José Eduardo Mendes Camargo

Soneto à luz de velas

Posted in Poesia Erótica with tags , , , , , , , , , , , , , , on agosto 4, 2009 by Psiquê
Rodrigo Nunez - Via Fresh Nudes
Rodrigo Nunez – Via Fresh Nudes

Soneto à luz de velas

Velas iluminavam o ambiente
E nossos olhos brilhavam
Diante nossos corpos nus e incandescentes
Impressão que as chamas davam

Começamos um jogo de exploração
Mãos percorrendo dorso
Causando inebriante sensação
Trazendo à mente um novo universo

Olhos ardendo em desejo
Bocas entre-abertas…
Meu corpo em seus braços despejo

Rolamos pelas cobertas
Pelo mundo temos desprezo,
Pois nossas almas somente para o nosso amor estão abertas…

Autora: Simone Barbariz

Tango

Posted in Poesia Erótica with tags , , , , , , , , , , , , , on maio 16, 2008 by Psiquê

Photo by Dimitri Baranov

Tango

Chorava um bandoneon
Num canto de bar.
Meu vestido vermelho
O cabelo preso numa flor,
E o tango falando de amor,
Contrastavam com a luz neon.
Nossos corpos em uníssono,
Um balé tão sensual…
Movimentos em compasso,
Acompanhavam cada passo
Deste tango figurado,
Como um estranho ritual.
Batia o coração descompassado!
Teus lábios sensuais me enfetiçavam,
Tuas mãos macias brincavam em mim
Como o vento brinca, namorando
As flores de um jardim.
Teus olhos escuros, meio ciganos,
Insinuavam promessas,
Dessas, que misturam
Amor, desejo, paixão e mais, muito mais…
Um perfume no ar
E abraçado ao violino
Solitário bailarino,
O bandoneon a chorar
Um velho tango de amor,
Naquele canto de bar!

( C. Almeida Stella)