Arquivo para mau humor

5 Motivos para não praticar yoga

Posted in Comportamento, Saúde with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , on janeiro 30, 2014 by Psiquê

7d6917dbc215b4496edcf3725980c372

É  isso mesmo, tudo tem dois lados. Hoje estou aqui para alertar aqueles que pensam em praticar Yoga com seriedade, ou que começaram a praticar há pouco tempo, dos riscos que estão correndo. Leiam com atenção e tirem suas próprias conclusões sobre se isso é algo que você pretende continuar a fazer ou não.

1. Você começa a enxergar a vida de outra forma. Uma forma mais relaxada, consciente e feliz. E isso, aos olhos das outras pessoas, faz com que você talvez pareça um louco. Essa história de gratidão, consciência, vida simples… você vai virar um peixe fora d’água. É sério, estou falando isso pro seu bem. E o pior é que você entende porque as pessoas não te entendem. E isso, ao invés de melhorar, só piora a situação, pois te torna ainda mais estranho aos olhos dos outros.

2. Você naturalmente passa a fazer escolhas mais saudáveis, porque começa a perceber com clareza quais são aqueles hábitos que fazem bem e aqueles que fazem mal. Você não vai mais curtir exageros, porque cuidar da sua saúde passará a ser prioridade. Aquela cervejinha de todo fim de semana até altas horas talvez não soe mais tão atraente. Aquela festa de camisa, aquele churrasco de família então… Pode ter certeza de que se você for, vão ficar falando sobre o quanto você está diferente, e se não for, certamente será a pauta do dia. Terá que se acostumar a isso!

3.Você vai ficando mais forte e flexível, tanto física quanto mentalmente, e uma vez que se conquista isso, é muito difícil voltar atrás. Então, eu lhes digo, muito cuidado ao entrar nesse caminho. As pessoas vão falar sobre isso, sobre o quanto você anda “metido”, só porque a sua auto estima está lá em cima e tem energia de sobra, mesmo que não fique se exibindo por isso.

4.Você começa a perceber que precisa de cada vez menos pra viver, e por isso, passa a buscar uma vida cada vez mais simples. Isso é perigoso, porque não movimenta a economia, não é bom para o país… Talvez o governo resolva ir atrás de você, pra saber se está fazendo algo ilegal. Talvez você receba ligações do banco, porque o seu padrão de consumo está mudando (para menos). Ter que lidar com tudo isso pode ser realmente muito chato, afinal, como é que você vai se defender? “Não, sr. Fulano, eu estou bem sim, só estou mudando minhas prioridades, sabe, percebi que não preciso de tudo o que eu gastava antes pra viver…” Oi? Não precisa gastar tanto pra viver? Em que mundo você vive?

5. Você se torna uma pessoa mais amorosa e feliz. É, amigos, talvez esse seja o motivo principal. Isso prejudica a vida social, simplesmente porque quando você estiver em um grupo onde as pessoas estejam mal-humoradas e/ou reclamando da vida, você não vai ter assunto, ou então vai ficar tentando mostrar pra elas o lado bom das coisas, e isso pode deixa-las extremanente irritadas. Conheço pessoas que tiveram sérios problemas de bullying por causa disso… Só porque eram otimistas demais ou porque simplesmente não conseguiam ficar de mau humor.

Pois é, então se você não quer ser essa pessoa, esqueça esse negócio de Yoga, porque isso não é pra você. Fuja do tapetinho. Quando ouvir alguém entoando o mantra OM, tape os ouvidos e saia correndo. Estou avisando, esse é um caminho sem volta. Depois não diga que não lhe avisei.

Texto de Daniela Navaes, retirado da internet… Pedimos licença a Daniela para compartilhar este texto tão verdadeiro. Quem compartilhou antes de mim foi o Boa Yoga.

Namastê

Seja a mulher que seu ex vai sentir falta

Posted in Comportamento, Relacionamento with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , on janeiro 16, 2014 by Psiquê

8c7040ef69a6fbadc35dfa41cda1c166

Hoje, por acaso, descobri um blog muito legal, o MPJ – Mariliz Pereira Jorge, ou seja, são as iniciais de sua autora, uma jornalista que vive no Rio e hoje atua como editora na TV Globo para o programa Encontro com Fátima Bernardes. Eu adorei o texto que compartilho aqui com vocês, de autoria da Mariliz.

“Já faz algum tempo, recebi uma mensagem de um ex-namorado, que dizia: “vou passar o resto da vida me perguntando por que não deu certo”. Eu tinha todas as respostas, mas achei que nem era mais hora de falar.

Depois de oito anos de namoro, ele ficou em dúvida. Sofri com a dúvida dele. Mas a dúvida dele acendeu um ponto de interrogação dentro de mim. Terminei o namoro e não olhei pra trás. Nunca olho.

Sofro como um cachorro por um amor que quero que dê certo, mas quando desisto, deixo de lado como meia lata de cerveja quente. Você sabe que era bom, mas jamais será novamente.

Nem vem ao caso se sou ou não uma namorada inesquecível, mas fiquei pensando o que faz uma mulher se tornar assim tão singular para um homem. E nem estou falando de homens atormentados, daqueles que gostam de sofrer nas mãos de mulheres malvadas, aquelas que gostam somente delas e nada além delas mesmas. Homens se deixam seduzir por criaturas assim. Bem, quem não deixa?

Mas, então, me lembrei de um amigo que, depois de anos de libertinagem barata, começou a namorar. Sumiu, desapareceu, escafedeu-se, um dos maiores baladeiros e pegadores que já conheci na noite paulistana. “Ela não é a mulher que mais amei, mas é a que me faz mais feliz. Vou casar”, me disse.

Ela me ama; ri das merdas que eu falo; não é linda, mas se cuida; tem um cheiro gostoso; cuida da vida dela; é independente, mas me pede ajuda pra usar um pendrive; está sempre ocupada, mas nunca deixa de atender quando eu ligo; é parceira, descolada, maluquete; aguenta meus ataques de mau humor; quer sexo sempre; é ciumenta, mas até acho graça, eu era um galinha. “Sabe como é, mulher tá fácil hoje, mas dessas que fazem a gente feliz mais do que uma semana… encontrei poucas.”

Sempre penso no que faz uma história dar certo ou não. E, no fundo, acho uma bobagem quando dizem que melhor do que ser amado, é amar. Não tem nada melhor na vida do que sentir, ver, ouvir, ler, que alguém perde seu precioso tempo pensando, querendo, gastando, amando você.

Mas é verdade que amar alguém é uma arte. Quem ama abre mão de si mesmo muitas vezes. Esquece convicções. Pede desculpas mesmo quando acha que está certo. Sofre de saudade. Morre de ciúme. Parcela passagem em 12 vezes. Sorri quando o telefone toca. Tem dor de barriga quando ele lê sua mensagem no whatsapp – e não responde. A gente fica praticamente ridícula.

Mas o outro, que também ama (e essa é a melhor parte), acha a gente, que no fundo é ridícula, o último biscoito do pacote, a última cerveja gelada do deserto, os últimos 5% de bateria no celular.

Amor é isso.

O importante é que a gente nunca seja mais ou menos. Que a gente faça tudo mesmo por amor. Que seja especial. Que seja inesquecível. Seja o tipo de mulher, que os nossos ex-namorados vão sempre lembrar e pensar: que pena que não deu certo.”

Um beijo a todos os meus queridos seguidores do Espartilho.

Amem muito, leiam muito, vejam muitos filmes maravilhosos, pois a vida é enriquecida cada vez que abrimos nossos corações para novas experiências, novas sensações, novas maneiras de olhar.

 

Mau humor apaga o brilho dos olhos

Posted in Comportamento, Estética e Beleza with tags , , , , , , , , , , , , , , , , on março 16, 2008 by Psiquê

mulher-1.jpg

“As pessoas que se comprazem no sofrimento, que gostam de sentir-se infelizes e fazer aos outros infelizes, jamais poderão orgulhar-se de sua beleza. O mau humor, o sentimento de frustração, a amargura marcam a fisionomia, apagam o brilho dos olhos, cavam sulcos na face mais jovem, enfeiam qualquer rosto. Essa é a razão porque a mulher, que cultiva a beleza, deve esforçar-se para ser feliz. Felicidade é estado de alma, é atmosfera, não depende de fatos ou circunstâncias externas.” Clarice Lispector

Muitas vezes tenho vontade de dizer isso às pessoas, mas quando não tenho intimidade para tanto, fico quieta. O que posso fazer é dizer isso para mim todos os dias para evitar ser conduzida pelo mau humor.

Ontem foi um desses dias. Chuva, poças, atraso, engarrafamento, ônibus e carros jogando água sobre quem estava andando na calçada, lugares lotados, filas, mas repetia para mim mesma: de que adiata ficar de mau humor? O jeito é ter paciência e avisar que vai chegar atrasada, fugir da poça para não se molhar, escolher um restaurante não muito cheio, etc.

Há quem acorde todos os dias reclamando da vida e se vendo como a mais injustiçada das vítimas dessa vida… É difícil uma pessoa com tais pensamentos não contribuir para que sua vida seja mais repleta de desastres e inconvenientes ainda.

A vida é uma benção, os problemas acontecem com todo mundo, mas cabe a nós sabermos se tiraremos deles algum aprendizado ou apenas um peso insuportável que se acumula todos os dias. Só podemos mudar a nós mesmos e vale a pena mudar essa postura diante da vida.

Como disse Heloísa Pérrisé em sua coluna de hoje no TDB: Não adianta a gente perder tempo reclamando da vida. Eu detesto. Reclamar é solução para pessoas que não conseguem pensar. Tem que agir. Crias soluções inteligentes. Se pega trânsito todos os dias a solução é aprender a usar esse tempo morto.

Quando você não pode com o inimigo, alie-se a ele, completa Pérrissé. Se estiver naqueles mega engarrafamentos diários, leia um livro, ouça uma música, grave sua aula e ouça no mp3, reze, relaxe, faça uma meditação. Porque de outro jeito a gente adoece e conserva um mau humor o dia todo.