Arquivo para moda

GRIMMER desembarca em Nova York!

Posted in Moda with tags , , , , , , , , , , , on maio 8, 2016 by Psiquê

É com muito, muito orgulho e admiração que venho anunciar uma novidade incrível na trajetória da marca da minha querida Karen Grimmer. Ela merece todas as vitórias de um caminho de sonhos e muito trabalho, mas também de muita criatividade e arte.

Se vocês ainda não sabem, a Coleção da Grimmer, inspirada no trabalho de um dos maiores paisagistas brasileiros, Roberto Burle Marx, estará à venda no Museu Judaico de Nova York, durante o período de exposição dedicada ao artista, que começa nesta semana.

Grimmer Burle

A Grimmer foi convidada a expor a sua última coleção, totalmente inspirada no mestre brasileiro da arquitetura e do paisagismo, Roberto Burle Marx, na loja do Museu Judaico de Nova York. O artista ganha exposição inédita nos Estados Unidos a partir desta sexta-feira, dia 06, e ficará em cartaz até o dia 08 de setembro. A mostra será composta por 140 obras dos acervos do Sítio Roberto Burle Marx e do escritório Burle Marx & Cia, ambos localizados no Rio de Janeiro.

As peças que estarão à venda no museu também podem ser adquiridas por meio da nossa loja online em pronta-entrega ou sob encomenda, dependendo do produto.

“Busco trazer referências artísticas ou suscitar percepções estéticas para que cada peça ganhe vida e história. Não é apenas algo belo, mas que também carrega conteúdo e valor. A estampa que desenvolvi inspirada em Burle Marx homenageia o mestre e representa uma vontade de mostrar o Rio de Janeiro de forma não convencional. Afinal, a cidade abriga importantes espaços com a sua assinatura”, afirma Karen Grimmer, proprietária e designer de estampas da marca.

Aproveitem e conheçam mais da marca aqui: http://www.grimmer.com.br/

Amor e arte

Posted in Comportamento with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , on agosto 9, 2015 by Psiquê

561fc9e41887dd02fe0839a3db1f5217

O sonho de quase todo mundo é viver daquilo que ama, daquilo que faz sem sentir nenhum sacrifício, daquilo que nutre. Eu não sou diferente disso, e também gostaria de ganhar a vida fazendo apenas aquilo que me nutre. Claro que isso não é simples, pois antes de definir o que gostamos de fazer ou o que nos nutre, é fundamental olhar para dentro, buscando o autoconhecimento.

Entendo que a arte consegue despertar em mim, um amor pela vida, um prazer pelos dias de trabalho para que eles fluam sem nenhum sacrifício, mas com muita alegria e satisfação. E isso é possível, quando olhamos para dentro de nós mesmos e entendemos o que nos dá prazer e o que nos faz feliz. Há várias coisas me trazem esta sensação: cinema, arte, pintura, leituras, boas conversas, dança, teatro, fotografia, moda e o Espartilho, claro. Espero estar por aqui mais vezes por semana. Em busca da liberdade e do equilíbrio para construir uma vida melhor e compartilhar o que há de melhor com vocês.

Estejam sempre presentes em minha vida.

Namastê!

Estilo Grimmer

Posted in Moda with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , , on maio 30, 2015 by Psiquê

A Grimmer é uma marca que alia criatividade ao clássico, produz bolsas, acessórios e outro produtos com estampas lindíssimas que conseguem refletir a arte e arquitetura brasileiras com criações típicas da cultura brasileira. Com estampas e modelos exclusivos, a Grimmer apresenta um produto contemporâneo e despojado.

Grimmer Bags

A durabilidade dos seus couros e de seus produtos é uma marca do cuidado com que as peças são produzidas. Atenta à arte e à arquitetura desenvolvidas no país e com estampas criadas especialmente para suas produções, suas peças são verdadeiras obras que merecem ser apreciadas.

Indico a Grimmer não apenas como consumidora, mas como admiradora do seu estilo. Caso queira acompanhar as coleções, promoções, novidades e adquirir suas peças visite: Grimmer

Grimmer 2

Estilo

Posted in Comportamento, Curiosidades with tags , , , , , , , , , , , , , , , , on julho 29, 2014 by Psiquê
Amelie

Via Estilistas Independentes

Hoje, por acaso, descobri o site Estilistas Independentes e, além de amar a ideia do site, acabei sabendo que no próximo final de semana o Rio de Janeiro será palco de um Mercado de Estilistas Independentes onde vários expositores estarão presentes. Um deles, o La Película, segundo o site Estilistas, apresenta várias peças com estamparias de filmes, música e arte, o que me deixou muito atraída para tentar conhecer.

Olha essa blusa da minha querida Amélie Poulain, há várias outras estampas legais.

Quem estiver pelo Rio de Janeiro e quiser dar um pulinho nO Mercado, as informações são:

O Mercado

Dias 02 e 03 de agosto, de 14 às 21h
Entrada Gratuita – Local: Fluminense Football Club
Moda + Arte + Decor + Gastronomia + Música
Compre direto de quem faz com atendimento personalizado e preço justo!
Presença de + de 100 marcas

Exposição especial “Nerd Pop” comandada pelos sites Conselho Jedi Rio de Janeiro, Abacaxi Voador e Nível Épico
Arena Jedi, produtos temáticos, painel para fotos, artistas e colecionadores
*Concurso Cosplay – vá vestido como seu personagem preferido do cinema, quadrinhos ou série e concorra a um kit com presentes de várias marcas!

Mais informações: www.estilistasindependentes.com

Moda para parecer mais jovem e moderna

Posted in Moda with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , on novembro 7, 2013 by Psiquê

maquiagem1

Eu acredito que estar na moda não é seguir o que a grande mídia ou o mercado de moda diz que está valendo nos tempos atuais… Acho que estar na moda é encontrar seu próprio estilo e brincar com ele e com as diversas opções que temos por aí. Alguns gostam de um look mais vintage, outros mais monocromáticos, outros jogam com cores, com tamanhos, com listas, estampas, etc.

Imagem

O post da Juliana Parisi de hoje me encantou porque apesar de adorar looks monocromáticos e sociais, eu adoro jogar com cores também, mas prefiro trabalhar nos acessórios, nos sapatos e ousar nos detalhes. Ousar fazendo uma maquiagem bem feita, um penteado discreto e maneiro, usando um anel maior ou colorido, etc. Nem precisa falar que a Juliana sempre traz dicas bem legais, mas o post que destaquei aqui, está bem legal.

Na proposta acima, eu por exemplo teria “medo” de ousar com a mistura do listrado com o coral, mas ficou muito lindo. Recentemente eu combinei uma calça preta, com uma blusa canoa preta e branca e o colar com os sapatos e a bolsa vermelhos. Ficou o máximo e todo mundo gostou!

Imagem

Então fica a dica minha e da Juliana para ousarmos nas combinações e sair por aí feliz da vida e arrasando.

Um ótimo dia a todos.

Rosa e Vermelho

Posted in Moda with tags , , , , , , on dezembro 31, 2012 by Psiquê

pinkvermelho

O blog Garotas Estúpidas soube com muito bom gosto combinar duas cores, que para mim, pareciam improváveis de se combinar: rosa e vermelho. De todos os looks que encontrei combinando as duas cores, o do referido blog é o mais acertado, mais lindo, mais chique e harmônico. Gostei e recomendo! Fica a dica.

vermelhopink

O lugar de cada um

Posted in Comportamento with tags , , , , , , on março 30, 2012 by Psiquê

Esta semana me deparei com uma frase bastante interessante: “Care about what other people think and you will always be their prisioner. ” Lao Tzu. Evidentemente que todos nós em algum momento, nos preocupamos com o que os outros pensam de nós, em sermos bem aceitos, em parecer belos e bem apresentáveis, etc.  Mas ser escravo da opinião dos outros é uma prisão que não trará felicidade a ninguém. Afinal, é impossível agradar a todos.

A autoconfiança é algo que se constrói com o tempo e com a maturidade, exercitá-la e buscá-la é sempre fundamental, mas é um exercício contínuo. Acredito que todos podem ser e estar o melhor possível, desde que respeitem seu estilo, seu corpo, seus limites, sua realidade.

Vejo muitas pessoas se comportarem como se fossem obrigadas a seguir estilos que aparecem nas revistas, na TV, nas ruas, sem se preocupar em adequar aquele estilo ao seu tipo de corpo, aos seus gostos, etc.  Isso é fundamental não apenas para se sentir bem e segura, como para viver da melhor maneira sem ferimentos e tentativas de se enquadrar em padrões que não nos pertencem.

Pensem nisso, acreditem em si mesmos!

Louis Vuitton

Posted in Curiosidades, Moda with tags , , , , , , , , , , , on fevereiro 15, 2012 by Psiquê

Apesar de não dar valor às coisas em função de sua marca, mas em função da sua qualidade e adequação ao gosto de cada um, acho que vale a pena entender um pouco do surgimento de cada ícone destes. Seu papel na história e a evolução dessa ideia de marca de qualidade. Navegando pelo blog Mundo das Marcas encontrei um post bem legal, contando a história da Louis Vuitton.

Segue um pouco de história:

“Tudo começou em 1851, quando para cada viagem do imperador francês Napoleão III, era trazido ao Palais des Tuilleries um jovem aprendiz de maleiro para embalar a bagagem da imperatriz Eugênia. O rapaz chamava-se Louis Vuitton, um suíço criado em Paris e filho de um marceneiro, que em 1854 fundou a MAISON LOUIS VUITTON MALLETIER na Rua Neuve-des-Capucines, no centro da capital francesa, próximo à famosa Place Vendôme. E mesmo depois de aberta a loja, ele ainda produzia sob encomenda produtos exclusivos e únicos, como um baú que virava cama, sob solicitação de um explorador europeu; outro baú que virava charrete, para um viajante muito especial; e ainda, um baú flutuante para os praticantes de balonismo que volta e meia caíam no mar. No ano seguinte, a Maison transferiu a oficina e a residência familiar para a pequena cidade de Asnières-sur-Seine, localizada cerca de 30 quilômetros de Paris. Desta forma, a produção estaria mais próxima dos fornecedores da madeira que servia de estrutura para as malas. Além disso, a empresa aproveitaria do transporte fluvial para o escoamento de sua produção.

Pouco tempo depois, em 1858, ele criou as primeiras malles plates, um novo formato de baú (com tampa reta, diferentemente do utilizado na época, com tampa abaulada para permitir o escoamento da água da chuva, leve e à prova d’água), que facilitava a arrumação nos porões dos navios e o empilhamento nos trens, e o revestiu com sua assinatura em cinza. Tudo para atender às madames da época que viajavam de navio e precisavam de uma mala que pudesse ao mesmo tempo transportar de tudo e com muita classe. O material utilizado era sempre o mesmo: madeira, zinco, cobre e lonas impermeáveis. A ferramenta: seu apuro artesanal que cativou muitos ricos e nobres da época. Com o crescimento da empresa e a divulgação da marca ao redor do mundo, Georges Vuitton, filho de Louis, uniu-se ao pai a partir de 1870 para a abertura de novas lojas fora de seu país de origem, que aconteceria somente quinze anos depois…” Para saber um pouco mais, visite o blog: Mundo das Marcas.

Adorei a história. Em breve falaremos de outras marcas legais, como Chanel, entre outras.

Coco Chanel

Posted in Comportamento, Moda with tags , , , , , , , , , , , , , , , , on julho 27, 2010 by Psiquê

Pode parecer contraditório, mas tenho verdadeira paixão pelas tendências da década de 20. As roupas elegantes, sensuais e confortáveis, os chapéus, os sapatos, os cortes curtos e chanel, ai, ai!

Apesar de se chamar Espartilho, o nosso espaço aqui, é voltado para o universo feminino em geral, prezando por seu conforto, bem estar e elegância.

E… como não poderia deixar de ser… o Espartilho quer dar destaque hoje à Coco Chanel, uma mulher que resumiu o espírito de luta que nós mulheres profissionais desejamos e que construiu – sem medo da ralação – uma carreira brilhante e de sucesso, a despeito daqueles que a criticavam por não entender os novos tempos que começavam.

“Eu criei um estilo para um mundo inteiro.
Vê-se em todas as lojas “estilo Chanel”. Não há nada que se assemelhe. Sou escrava do meu estilo. Um estilo não sai da moda; Chanel não sai da moda.”
Coco Chanel

Na semana passada comprei o filme Coco antes de Chanel, com Audrey Tautou e a mini série da GNT Coco Chanel com  Shirley MacLaine. O primeiro dirigido por Anne Fontaine, é muito romântico e um tanto quanto raso, o que culminou no desperdício da história de personagem tão fascinante. “Ela optou por mostrar, na tela, apenas o lado heroico da estilista, ignorando a complexidade da mulher que revolucionou a moda”.  Já a mini série é mais completa e além da infância pobre e sofrida e dos amores de Chanel, conta com mais detalhes parte de sua trajetória profissional.

Coco Chanel não estava apenas à frente de seu tempo. Ela estava à frente de si mesma. Se olharmos para o trabalho de estilistas contemporâneos, veremos que muitas de suas estratégias ecoam o que Chanel já fez. Há 75 anos ela fez uma mistura do vocabulário de roupas femininas e masculinas e criou uma moda que deu ao usuário um sentimento de luxo íntimo, em lugar da ostentação.” Definiu, a jornalista Ingrid Sischy, o trabalho de Coco Chanel para a revista norte-americana “Time”.

Um pouco da sua história:

Gabrielle Bonheur Chanel nasceu numa família pobre. Sua mãe morreu quando ela tinha seis anos, deixando-a com seus irmãos aos cuidados do pai. No período entre 1905 e 1908 adotou o nome de Coco, durante uma breve carreira de cantora de café-concerto.

Envolvendo-se primeiro com um rico militar, Etienne Balsan, e depois com um industrial inglês Arthur Boy Capel, Coco Chanel conseguiu recursos para abrir uma pequena chapelaria, em 1910. Depois abriu mais duas filiais, em Biarritz e em Deauville. Seus dois protetores também a ajudaram a conseguir clientes, homens e mulheres, que passaram a freqüentar sua loja. Suas criações logo caíram no gosto do público e seus negócios se expandiram para o ramo da moda.

Nos anos 1920, Chanel já era uma designer influente. Começou a desenhar roupas confortáveis, com tecidos fluidos, peças emprestadas do guarda-roupa masculino e saias mais curtas, em contraste com a silhueta feminina rígida da época. Em 1922 criou o famoso perfume Chanel n° 5, que alavancou seus negócios e se tornou legendário.

Exilada depois da Segunda Guerra Mundial, em 1954, Chanel voltou a Paris e retomou seus negócios na alta costura.

Sua carreira teve um renascimento nos anos 1950. O cárdigã, o vestido preto, as pérolas tornaram-se marca registrada do estilo Chanel. A marca Chanel acabou tornando-se um grande império, que inclui bolsas, sapatos, jóias, acessórios e perfumes. Em 1971, ano de sua morte, aos 87 anos, Coco Chanel ainda trabalhava ativamente, desenhando uma nova coleção.  (Veja mais)

Para saber mais sobre a marca Chanel, clique aqui

Quem mais falou sobre o tema:

Revista Bravo

Feminism Gender

Mademoiselle Chanel

Cor de Cravo

Biografia

Luxury & Lust

Fe Ronconi

Tamanho Único

Posted in Comportamento, Moda with tags , , , , , , , , , , , , , on maio 23, 2010 by Psiquê

Não sei se vocês já tiveram a oportunidade de assistir ao programa Tamanho Único do GNT. Eu nunca consigo assistir na sexta-feira, às 22:30h, pois o horário é muito ingrato, mas no domingo, sempre que posso, fico de olho, às 16:30h. Neste domingo, o programa reprisado, teve como tema um dos meus prediletos: acessórios.

Eu simplesmente amo colares, anéis, lenços, brincos, pulseiras, tiaras, etc. Uma verdadeira paixão! Na minha opinião, eles dão vida a qualquer produção, mas como tudo em moda e estilo, tem que saber usar e ousar, sem exagerar!

Já assisti a outros episódios em que se falou de baixinhas, gordinhas, prata e dourado, estampas, roupas selvagens (estampas de animais) etc. O programa é super democrático, além de permitir a participação de qualquer pessoa, ainda ajuda e aborda temas para todos os tamanhos, estilos e gostos. Vale a pena conferir!

O que mais me atrai no Tamanho Único é o fato de ser um programa de TV, que compartilha com uma ideia que sempre defendi. Muitos dizem que e visto muito bem e tenho bom gosto. Eu atribuo o bem vestir ao bom senso. Todas as pessoas podem estar bem, desde que tenham bom senso na escolha das peças, levando em conta seu tipo físico, sua faixa etária, seu estilo, seu tom de pele, etc. Com bom senso, todo mundo pode impressionar e estar sempre muito bem vestido.

Não perca a chance, assista! Conheça e respeite o seu estilo para arrasar por aí.

Beijo no coração.