Arquivo para palavras

Gratidão!

Posted in Comportamento with tags , , , , , , , , , , on setembro 11, 2016 by Psiquê

Gratidão!

Gratidão, é o que eu sinto hoje! Que dia maravilhoso, quanta energia boa recebida hoje, quanto carinho, quantas pessoas especiais.

708388_50

Eu hoje só tenho a agradecer muito!

Por tudo o que a vida me oferece, por todo amor, por tantas mensagens e presença boa. Tive um dia simples com um pequeno grupo mais próximo e recebi palavras, por vários meios, tão sinceras e genuínas, das pessoas mais importantes…

Sinto-me transbordando de tanta alegria e gratidão.

Obrigada ao universo por tanta generosidade.

Eu agradeço, agradeço, agradeço tanto que me faltam palavras para expressar.

Pessoas inteiras

Posted in Comportamento, Cultura e Arte with tags , , , , , , , , , on agosto 31, 2014 by Psiquê

“Eu sou uma eterna apaixonada por palavras, música e pessoas inteiras. Não me importa seu sobrenome, onde você nasceu, quanto carrega no bolso. Pessoas vazias são chatas e me dão sono.” Clarice Lispector

4f33294b97f3be47a4f5313250ce97ab

Ah, a sensualidade…

Posted in Comportamento, Erotismo, Poesia Erótica with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , on agosto 26, 2014 by Psiquê

 a750077723b338d82b518f951df3f315

A sensualidade não tem uma fórmula, uma receita, uma técnica, um segredo…

Ela é…

Às vezes me perguntam como faço a escolha das fotos, das palavras, das ideias que divido aqui com vocês e eu simplesmente não consigo transmitir uma fórmula, pois envolve o gosto, a estética, aquilo que acho belo, que me toca, que me faz “falar” através das palavras e das imagens que escolho.

O que sempre repito é que muitas vezes a imagem vem antes do texto, ela que me inspira, que me move, que concretiza aquilo que estou pensando ou sentido.

Outras vezes, começo pelo texto, mas busco na imagem a concretização daquilo que quero compartilhar. É neste sentido que hoje venho dividir com vocês um pouquinho do que estas imagens me transmitem ou espelham aquilo que quero transmitir…

Quero falar hoje sobre a sensualidade….

Ela não está necessariamente na pose, na fórmula, no perfume….

…ela simplesmente é, seja pela olhar do admirador ou espectador, seja pela atração que o contemplador já sente. O cabelo pode estar despenteado, a camisola caindo, pode não haver roupa, pode ser uma roupinha velha e desengonçada, pode ser um batom nude ou vermelho, uma nuca de fora ou cabelo solto, uma lingerie sexy…

…não importa…

Pode ser tudo, ou pode ser nada, às vezes até o perfume em uma peça usada pode provocar aquela imagens de sensualidade que o outro evoca em você…

Enfim, tem a ver com química, com pele, com olhar, com energia, sei lá…

Sei que me impressiona e me alimenta.

Boa noite meus amores. Obrigada por virem aqui!

Erótica, é… ótica!

Posted in Erotismo, Poesia Erótica with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , on novembro 3, 2013 by Psiquê

Imagem

Erótica, é… ótica!

Duas da madrugada,
as palavras ficaram ressoando,
erótica, erótica…
Deve haver um erro,
sem ar,
quente, abafado,
derreteu-se algo em mim,
e ficou: é… ótica!

É isso.
Visão.
Noite quente,
calor, fornalha,
corpo quente,
fogo…

Acendo a luz,
fecho a porta,
lembro do fado:
“de quem eu gosto,
nem às paredes confesso”;
o anúncio da TV, chama a atenção:
– me liga, vai… Liga!
Erótica…
Sim, visão…

Começo a me despir
lentamente,
solto os cabelos,
eles se espalham
e cobrem as protuberâncias
de minhas curvas…

Acaricio lentamente meu corpo,
descendo suavemente as mãos,
a carne é firme,
sinto as pernas trêmulas,
olho no espelho,
gosto do que vejo,
sou uma mulher bonita,
sensual,
firme, gostosa, macia,
lembro outra vez:
“liga, vai… Liga”

O telefone está perto,
companheiro único,
preto,
frio,
mudo,
estático…

Ainda espero.
Continuo descendo as mãos
com suavidade,
sinto falta de carinhos,
olho a imagem,
é… ótica…

As pessoas não se olham,
não conhecem seu corpo,
não olham a si mesmas,
não se amam,
não se desejam,
não se tocam…

“Eu me amo… Eu me amo
“Tinha uma música assim,
seriam loucos?
Coisa de jovens?
Rock?
Não.
Amar a si mesmo
é o ponto de partida,
se não nos amarmos,
não amaremos a mais ninguém!

Eu amo a muitos…
Em cada um, eu amo alguma coisa;
a voz,
o gosto,
o cheiro,
o pensamento,
o olhar,
as idéias,
o desafio,
o perigo,
o desejo,
o sexo…

Mas estou só,
absolutamente só,
eu, comigo!

Erótica?
Talvez nos pensamentos,
nas rimas,
na inspiração,
só na ponta dos dedos,
digitando freneticamente,
nada mais…
Na verdade, só é.. ótica!

Visão de uma realidade virtual
visão de um sonho
que embalo no seio
como um filho que suga
meu leite,
aquela deliciosa sensação
de ser sugada,
amada,
comida, esmagada!

Lembranças…
Gostos, cheiros, fatos,
o passado…

Hoje já é o passado de amanhã,
então, só tem eu aqui;
preciso me amar!
Se não me amar,
se não houver um tico de narcisismo,
chegará a depressão,
mulher mal amada,
mulher vencida!

Penso…
Que desperdício!
O tempo vai correndo,
eu grito,
meu grito não tem eco,
os ventos espalham as pétalas da Rosa,
e o tempo continua veloz,
implacável!

Preciso,
sinto que preciso,
dividir, somar,
esse corpo com alguém,
preciso sentir outras mãos
que não as minhas,
tocando minha pele macia,
buscando meus caminhos,
palavras quase inaudíveis
arrancando meus gemidos,
sugando meu sangue…

Jogo os cabelos para trás,
acabei de escová-los,
coloquei a roupa de dormir,
deixo minha imagem
reflexa no espelho,
sou capaz de ver o brilho
das estrelas cintilando nos meus olhos,
na minha pele,
desnudo meu pescoço
mas nenhum vampiro
entra pelas vidraças…

Silêncio total,
só a brisa da noite
e os raios da lua
banham meu corpo quase nu,
chega um misto de prazer e sono…

Começo a dormir e
viajo dentro de mim mesma…

O que encontro?
Minha sombra vagando
pelos espaços vazios dos caminhos,
solidão…

É… ótica.
Nada mais.
Não existe nada,
além da imaginação!

O devaneio adormece
em meus braços,
viajo nos sonhos
e encontro meu príncipe,
ele vem da floresta encantada,
cavalga em minha direção,
me joga meio sem jeito
no dorso do seu garanhão,
o galope é forte,
e, no embalo da ilusão,
adormeço, só,
completamente só!

Quando os raios de sol
entram e me aquecem pela manhã
a cada aurora,
volto à rotina…
Ali adormeceu a poesia
e, agora, acordou a realidade…

Um dia como outro qualquer,
a rotina,
a vida,
a esperança,
a solidão,
a mesma ótica… Erótica!

Autoria: Janete, Rosa dos Ventos

Escolhas…

Posted in Comportamento with tags , , , , , , , , , , , , , , , , on maio 21, 2011 by Psiquê

By João Marcelo de Oliveira Machado

É impressionante como a cada dia que passa, tenho mais uma prova/ um sinal de que existe um Deus que nos protege e prepara nosso caminho. Quando enfrentamos situações extremamente duras, em que pensamos ser fracos a ponto de sucumbir, quando as lágrimas escorrem de nossos olhos, porque as palavras não podem mais ser ditas e achamos que estamos esquecidos, surge ‘do nada’ um sinal de esperança. Ao londo da minha vida, sempre foi assim e eu agradeço todos os dias por isso.

Foi depois de ler ma frase atribuída ao Dr. House: “Você se surpreende ao perceber o quanto pode suportar!!!”, que eu me inspirei para este post.

A vida nos apresenta os caminhos e temos o livre arbítrio de escolher qual deles seguir. Os  problemas surgirão em todos eles e surpreendentemente, os caminhos podem até se cruzar no futuro. O mundo gira o tempo todo e as nossas escolhas de hoje, podem ser um meio de se alcançar aquilo que, por vezes, somos obrigados a  abrir mão por ora. O importante é ponderar, pesar os prós e contras e apostar naquilo que o nosso coração sente como melhor opção.

O mais incrível disso tudo é que, normalmente, não temos muito tempo de escolher e ponderar essas escolhas. Na maioria das vezes, quando elas surgem, temos pouquíssimo tempo para escolher…Nesta hora, a sensibilidade de perceber o caminho a seguir é a ferramenta mais precisa que temos em mãos. É por essas e outras, que a minha fé de que dias melhores virão e de que o caminho que estou trilhando é o caminho certo, apesar dos obstáculos, é a única força constante em meus dias…

Sou grata pelo que vivi até hoje e por tudo o que ainda hei de viver.

Sou grata pelos amigos verdadeiros que tenho e por aqueles que ainda vou ter.

Sou grata pelos problemas que já enfrentei e por aqueles que saberei enfrentar no futuro.

Sou grata pelas pessoas que conheci ao longo desses anos, as que valeram e as que não valeram a pena, pois todas elas tiveram um papel importante e único em minha vida.

Sou grata pelos desafios que o futuro ainda me reserva.

Muito obrigada!