Arquivo para Profissão

Ser mulher

Posted in Comportamento with tags , , , , , , , , , , , , , , on agosto 23, 2014 by Psiquê

2987683

 

Apesar de ainda vivermos algumas dificuldades, preconceitos e injustiças sendo mulheres, eu acho que uma das maiores bençãos da minha vida é ter nascido mulher e lutar pela defesa dos direitos iguais seja de vivenciar um talento, uma profissão, a divisão de tarefas domésticas, de direitos, deveres, custos, etc. Claro que há coisas intrínsecas à natureza feminina, que precisamos aceitar e outras de contemplamos e agradecemos…

Ainda assim, ter consciência da divindade de cada um de nós, da benção de poder viver esta vida tão fugaz da melhor maneira possível, buscando a harmonia, o equilíbrio, a paz, o respeito e o amor são fundamentais para viver intensamente cada minuto da melhor maneira possível.

Recentemente adquiri algumas obras interessantes sobre os estudos de gênero, ainda não os li, portanto, deixarei para postar meus comentários específicos sobre cada um depois de fazê-lo.

Um deles foi o premiadíssimo livro organizado pela Mary del Priore – História das Mulheres no Brasil e o outro do Peter N. Stearns, História das Relações de Gênero, ambos da editora Contexto.

O tema é muito interessante e merece ser cada vez mais discutido, vivenciado e naturalizado para que tenhamos cada vez menos espaço para atitudes e discursos sexistas e preconceituosos.

Tenham um lindo final de semana!

Chegou o momento de mudar!

Posted in Comportamento with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , on março 26, 2014 by Psiquê

Imagem

 

Chegou, finalmente o tão esperado momento de mudar.

Apesar de a mudança ser uma constante em minha vida e de normalmente eu ser favorável às transformações, por acreditar que elas nos impulsionem, nos transformem, nos incentivem…

Eu estou ao mesmo tempo muito feliz, esperançosa e ansiosa, mas também com medo e com algumas incertezas, nada que não seja perfeitamente esperado diante de qualquer mudança.

A Marcela Pimenta Pavan, escreveu um texto bem legal sobre o tema Mudar é preciso, o qual defendo, acredito e compartilho com vocês. Desejo e propago excelentes energias para que vivamos sempre dando o melhor de nós mesmos.

Compartilho o texto abaixo:

“As mudanças fazem parte da vida. Ir para uma nova cidade, decidir por uma carreira internacional, mudar de profissão, de estado civil, de emprego, de casa, de vida.

Existem as mudanças desejadas e também as imprevistas. Independente do jeito que for as novas situações nos levam a buscar diferentes formas de adaptação e nos dá a oportunidade de ampliar nossas experiências e amadurecer.

Às vezes a vontade de mudar existe, é legítima, mas o indivíduo se vê paralisado frente às transformações que deseja realizar.

Isso é muito comum ocorrer ao longo do processo terapêutico. À medida que o sujeito começa a se perceber e se conhecer melhor, ganha autonomia e tem vontade de reformular para melhor algumas áreas da vida.

No entanto, deixar um estado conhecido para atingir um novo traz consigo aspectos desafiadores.

Junto com a vontade da mudança surgem também as sensações de medo e insegurança. Será que vale a pena? Será que eu consigo? Essas indagações são naturais e é importante estar atento, para evitar possíveis boicotes e, assim, conseguir realizar as mudanças desejadas.

Vontade, coragem e estratégia

O anseio de mudar é importante, pois serve como motivador e encorajador para realizar as ações necessárias. Para isso, é fundamental ter um bom planejamento. Refletir, ponderar, criar estratégias e prazos é essencial para alcançar aquilo que se quer.

Alguns aspectos nesse processo merecem uma atenção especial. Abaixo estão alguns deles:

  • Toda mudança leva a algum tipo de perda. É preciso colocar isso em perspectiva. Para morar em uma nova cidade, por exemplo, é preciso perder o conforto do ambiente conhecido. As perdas são naturais e positivas em certa medida, fazem parte do movimento da vida e são necessárias para que novas situações possam de fato acontecer.
  • Por mais que haja planejamento e estratégias de ação, por mais que haja vontade, existe um elemento essencial para fazer a passagem da situação antiga para a nova: Coragem! Essa capacidade de enfrentamento dos desafios é essencial para abrir o caminho e chegar onde é preciso. A coragem junto à fé, de que a mudança é o melhor caminho a seguir, é o que sustenta a travessia. Quando abrimos mão da situação segura e estamos construindo uma nova, as dúvidas tendem a surgir intensamente: Será que fiz certo? Será que vou dar conta? Isso acontece porque a situação nova ainda está se formando, não é possível colher frutos ainda, é preciso investir tempo, energia e esperar com coragem e fé.
  • Mudar deve atender o anseio de levar o sujeito para uma realidade mais condizente com aquilo que traz sentido para a sua vida e consequentemente mais satisfação e alegria, mas isso não quer dizer que não haverão dificuldades. Problemas existirão sempre, o que muda é a condição emocional da pessoa. Quando se faz uma escolha em direção a uma nova situação e a mudança é concretizada, a sensação de realização traz contentamento e a pessoa tende a se tornar mais tolerante perante as adversidades e mais capaz de superar os próprios desafios.

A essência

Uma vez li uma frase que me chamou a atenção e cabe bem nesse momento: “É importante não perder de vista as coisas que te encantam, pois ali há um pouco da tua essência.”

Quanto mais nos distanciamos daquilo que nos encanta em função do que é puramente conveniente, mais a vida perde seu sentido. Ás vezes não percebemos esse distanciamento e quando nos damos conta estamos muito longe daquilo que nos traz alegria. Nesse momento a semente de uma transformação é plantada e é importante olhar para ela com coragem e avaliar se é a hora de iniciar uma transição com todos os desafios e satisfações que essa mudança irá trazer.”

Escrito por Marcela Pimenta Pavan todos os direitos reservados.

Cansaço…

Posted in Comportamento with tags , , , , , on fevereiro 1, 2012 by Psiquê

A meu ver todos os seres humanos deveriam poder tirar dias de férias a cada 6 meses. É produtivo, saudável e até vital. Em alguns cargos temos rotinas praticamente escravizantes. Apesar de ter passado por um curto período de férias no final do ano passado, confesso que precisaria viver mais um pouquinho. Queria mesmo era viver um período sabático para viajar por aí e repensar a minha vida, minha profissão, minhas escolhas…

Quero férias de novo!!!

 

Não sei como ela consegue

Posted in Casamento, Comportamento, Maternidade, Profissão, Relacionamento, Romance with tags , , , , , , , , , on dezembro 25, 2011 by Psiquê

O filme Não sei como ela consegue estrelado por Sarah Jessica Parker trata dos dilemas da mulher moderna que tentar conciliar beleza, forma física, casamento, trabalho e filhos. Confesso que esses são alguns dos dilemas que afligem não apenas a minha vida, mas a de várias amigas e olha que eu não tenho filhos e tenho dúvidas de como poderia lidar bem com a decisão de conciliar todas essas coisas.

No filme, Kate Reddy (Sarah Jessica Parker) é o modelo de mulher moderna. Divide habilmente seu tempo entre os afazeres domésticos como mãe de família e os profissionais, decorrentes de seu trabalho como analista financeira. Quando a grande oportunidade de ascender na carreira aparece, vê sua vida virar do avesso por causa das inúmeras viagens que têm de fazer ao lado de Jack Abelhammer (Pierce Brosnan), charmoso banqueiro com quem passa a desenvolver um projeto. Kate se vê, então, diante de um dilema: como conciliar amor, trabalho e família e não sucumbir aos encantos do colega de trabalho bonitão?

Meninas, vale a pena assistir!

Fazer 30 anos

Posted in Comportamento with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , on junho 8, 2010 by Psiquê

Como eu já comentei aqui, neste ano completarei 30 anos de idade. Não nego que isso traz para mim alegrias e receios em relação ao que está por vir. Encontrei um texto bem interessante na Internet que fala sobre essa fase.

Fazer 30 anos

Affonso Romano de Sant’Anna

“QUATRO pessoas, num mesmo dia, me dizem que vão fazer 30 anos. E me anunciam isto com uma certa gravidade. Nenhuma está dizendo: vou tomar um sorvete na esquina, ou: vou ali comprar um jornal. Na verdade estão proclamando: vou fazer 30 anos e, por favor, prestem atenção, quero cumplicidade, porque estou no limiar de alguma coisa grave.

Antes dos 30 as coisas são diferentes. Claro que há algumas datas significativas, mas fazer 7, 14, 18 ou 21 é ir numa escalada montanha acima, enquanto fazer 30 anos é chegar no primeiro grande patamar de onde se pode mais agudamente descortinar.

Fazer 40, 50 ou 60 é um outro ritual, uma outra crônica, e um dia eu chego lá. Mas fazer 30 anos é mais que um rito de passagem, é um rito de iniciação, um ato realmente inaugural.

Talvez haja quem faça 30 anos aos 25, outros aos 45, e alguns, nunca. Sei que tem gente que não fará jamais 30 anos. Não há como obrigá-los. Não sabem o que perdem os que não querem celebrar os 30 anos.

Fazer 30 anos é coisa fina, é começar a provar do néctar dos deuses e descobrir que sabor tem a eternidade. O paladar, o tato, o olfato, a visão e todos os sentidos estão começando a tirar prazeres indizíveis das coisas. Fazer 30 anos, bem poderia dizer Clarice Lispector, é cair em área sagrada.

Até os 30, me dizia um amigo, a gente vai emitindo promissórias. A partir daí é hora de começar a pagar. Mas também se poderia dizer: até essa idade fez-se o aprendizado básico. Cumpriu-se o longo ciclo escolar, que parecia interminável, já se foi do primário ao doutorado.

A profissão já deve ter sido escolhida. Já se teve a primeira mesa de trabalho, escritório ou negócio. Já se casou a primeira vez, já se teve o primeiro filho. A vida já se inaugurou em fraldas, fotos, festas, viagens, todo tipo de viagens, até das drogas já retornou quem tinha que retornar.

Quando alguém faz 30 anos, não creiam que seja uma coisa fácil. Não é simplesmente, como num jogo de amarelinha, pular da casa dos 29 para a dos 30 saltitantemente.

Fazer 30 anos é cair numa epifania. Fazer 30 anos é como ir à Europa pela primeira vez. Fazer 30 anos é como o mineiro vê pela primeira vez o mar. Um dia eu fiz 30 anos. Estava ali no estrangeiro, estranho em toda a estranheza do ser, à beira-mar, na Califórnia. Era um homem e seus trinta anos. Mais que isto: um homem e seus trinta amos. Um homem e seus trinta corpos, como os anéis de um tronco, cheio de eus e nós, arborizado, arborizando, ao sol e a sós.

Na verdade, fazer 30 anos não é para qualquer um. Fazer 30 anos é, de repente, descobrir-se no tempo. Antes, vive-se no espaço. Viver no espaço é mais fácil e deslizante. É mais corporal e objetivo. Pode-se patinar e esquiar amplamente.

Mas fazer 30 anos é como sair do espaço e penetrar no tempo. E penetrar no tempo é mister de grande responsabilidade. É descobrir outra dimensão além dos dedos da mão. É como se algo mais denso se tivesse criado sob a couraça da casca. Algo, no entanto, mais tênue que uma membrana. Algo como um centro, às vezes móvel, é verdade, mas um centro de dor colorido. Algo mais que uma nebulosa, algo assim pulsante que se entreabrisse em sementes.

Aos 30 já se aprendeu os limites da ilha, já se sabe de onde sopram os tufões e, como o náufrago que se salva, é hora de se autocartografar. Já se sabe que um tempo em nós destila, que no tempo nos deslocamos, que no tempo a gente se dilui e se dilema.

Fazer 30 anos é como uma pedra que já não precisa exibir preciosidade, porque já não cabe em preços. É como a ave que canta, não para se denunciar, senão para amanhecer.

Fazer 30 anos é passar da reta à curva. Fazer 30 anos é passar da quantidade à qualidade. Fazer 30 anos é passar do espaço ao tempo. É quando se operam maravilhas como a um cego em Jericó. Fazer 30 anos é mais do que chegar ao primeiro grande patamar. É mais que poder olhar pra trás.

Chegar aos 30 é hora de se abismar. Por isto é necessário ter asas, e sobre o abismo voar. (13.10.85)

O texto acima foi extraído do livro “A Mulher Madura“, Editora Rocco – Rio de Janeiro, 1986, pág. 36.

Chegou 2010!

Posted in Comportamento with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , , on janeiro 2, 2010 by Psiquê

Via Blogando por prazer

Começou mais um ano. E com ele, surgem esperanças renovadas, novos projetos e novas estratégias para alcançar todos os objetivos. 2009 foi maravilhoso e 2010 promete ser ainda melhor.

Quero falar um pouco sobre o significado do número 3, pois a soma de 2010 dá o número 3. E segundo a numerologia, esse é o número do crescimento.

Criatividade pessoal, Ação, Poder de persuasão, Iniciativa, Prestação de serviço. Simbolicamente o número TRÊS é a soma do UM com o DOIS, e é também o resultado harmonioso do efeito da união do UM sobre o aspecto da dualidade do DOIS. O ato criativo resolve o conflito da dualidade visto que o UM indica o “ser” e o DOIS representa o “ser ou não ser”, o número TRÊS vem caracterizar o “fazer”, quer se trate de criatividade pessoal, de ação, de iniciativa ou de prestação de serviço.

Há um sentido de plenitude no número TRÊS, onde quer que seja encontrado. Nas principais religiões mundiais, podemos encontrar Deus descrito de Três maneiras diferentes. Por exemplo, no Cristianismo o Pai, O Filho e o Espírito Santo – No hinduísmo o Brama (o Criador), Vixnu (o Defensor) e Xiva (o Destruidor). A criatividade pessoal é simbolizada pelo número TRÊS, e, quando existe um forte elemento deste número no nome de uma pessoa, pode esperar-se que ela realize e crie mais do que a média das pessoas. Como o número TRÊS simboliza a atividade em si, pode significar que uma pessoa com forte vibração deste número no nome atua em diversos campos. Normalmente estas pessoas tem dificuldade em exprimir-se e pode esperar-se dela atitudes agressivas, negativas e destrutivas.”  Veja mais aqui.

Também não poderia deixar de lado algumas previsões para meu tão querido signo de VIRGEM.

Características

As virginianas possuem uma capacidade instintiva de separar o útil do inútil. Críticas, gostam de colocar seus talentos a serviço dos outros. O problema é que focam tanto nos detalhes que podem se atrapalhar.

Regido por: Mercúrio
Pedras: Ágata amarela e citrino
Cores: Azul, preto e tons pastel
Flores: Açucena, cravo e jasmim
Perfumes: Lavanda e jasmim
Elemento: Terra

História

Deusa da colheita e da fertilidade, Deméter gostava de passear pela Terra. De um romance com Zeus ela teve uma filha, Perséfone. Certo dia, a moça chamou a atenção do senhor do subterrâneo, Hades, que a raptou. Furiosa, Deméter pediu a intervenção de Zeus. Este decidiu que Perséfone viveria nove meses com a mãe, na terra, e três meses com Hades, no reino dos mortos. A partir daí, quando sofre de saudade, Deméter não exerce sua influência sobre a natureza: é o inverno, época em que nada floresce.

Segundo o site MdeMulher, algumas previsões – coerentes, outras nem tanto – em diversas áreas dizem o seguinte:

Profissão

Você só se considera realizada quando se sente indispensável. Por isso, pode atuar como enfermeira ou terapeuta. Não deixe seu perfeccionismo prejudicá-la.

Se o chefe é virginiano: Se há um chefe paranóico por organização e a fim de saber tudo o que acontece ao seu redor, é esse. Quer aumento? Mande um e-mail enumerando pelo menos 12 motivos que provem seu merecimento. Provavelmente não funcionará na hora, mas ele vai adorar saber quanto é eficiente, detalhista e crítica. Quanto à sua criatividade, demonstre-a com modéstia, pois para ser reconhecida é mais importante ficar atenta aos pormenores. Ele não tolera descuido.

Dinheiro

Não costuma arriscar seu dinheiro. Separa uma parte do salário para não ser pega de surpresa. Ótimos parceiros: Leão, Peixes e Libra. Fuja: Touro e Virgem.

Família

A mãe virginiana considera que o erro faz parte do aprendizado. Tudo que você quer é que seu filho seja uma pessoa melhor. Mas evite impor tantas regras.

Mãe: Cumpre as obrigações e espera que os filhos cumpram as deles. Quanto mais organizados eles forem, melhor. Prestativa (às vezes em excesso), não sabe dizer “não” e fica triste quando não é reconhecida. Não há problema, dos filhos ou seus, que não tenha solução rápida. É prática para lidar com tudo. Tem tolerância de sobra, mas faz exigências e críticas com muita freqüência. Filhos criados? Dever cumprido. Um pouco mais de toque físico pode ser um passo para maior aconchego entre todos.

Saúde

Você se cobra demais e isso gera uma indisposição. Permita-se relaxar para prevenir uma gastrite.

Beleza

Gosta de manter um visual impecável, de quem acabou de sair do banho. Invista em uma boa limpeza de pele para ter um rosto de bebê.

Exercícios indicados: Preocupada, deve buscar atividades que gastem energia mas também relaxem, como ioga, tai chi chuan ou hidroginástica.

Dieta: Disciplinada e atenta, você pode – e deve – investir em uma reeducação alimentar.

Dicas: Como gosta da rotina, fica mais fácil cuidar da pele e dos cabelos se estipular dia e hora para passar hidratante, fazer tratamentos, etc. Atenção especial aos cabelos, que devem estar sempre limpos e brilhantes.

Cuidado: Beba muita água, especialmente para o intestino funcionar bem.

Agora que 2010 chegou, é tempo de pegar meu caderninho e listar todas as minhas metas para esse ano, lendo e relendo diariamente, buscando os meios de realizar todos os planos traçados. Sejam felizes e tenham muito sucesso neste novo ano!

Maneiro!

Posted in Geral, Selos, Memes, Mimos e Prêmios with tags , , , , , , , , , , , , , , , on agosto 9, 2009 by Psiquê

selinho2

Esse selinho eu não recebi, eu vi no blog da minha querida Patricia Caetano, que o recebeu de outra querida, a Rafaela Panisset. Ganhei da Pat Caetano um outro selinho que postarei em breve. Obrigada querida.

1. Você é casada?
Sim.

2. Você tem filhos?
Ainda não.

3. Fuma?
Não. Graças a Deus, tenho horror ao cheiro!

4. Bebe?
Esporadicamente. Preferência: espumante, vinhos, drinks gostosos, caipvodka, etc.

5. Tem compulsão por algum tipo de comida?
Não.

6. Prefere calor ou frio?
Calor, mas não muito.

7. Prefere doce ou salgado?
Depende da hora.

8. Qual é a sua profissão?
Jornalista…Internacionalista…quero explorar para o mundo todo!

9. Último filme que viu?
Não me lembro…

10. Qual foi o dia mais feliz da sua vida?
São tantos…

Indico os seguintes blogs:

Amante das Imagens

Patricia Figueira

Mulheres 3.0 plus

Mente Inquieta

Maternidade: quando?

Posted in Maternidade with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , on junho 8, 2009 by Psiquê
Кирилл Змурчук
Кирилл Змурчук

Há mais ou menos três anos, meus amigos entraram no ciclo dos casamentos. Entre 2006 e 2009, muitos deles casaram. Era casamento atrás de casamentos. Em janeiro deste ano foi a minha vez…

Agora, muitas das minhas amigas entraram no ciclo da maternidade. Entre 2006 e 2009 foram cerca de 15 gestações e atualmente 6 amigas estão grávidas, algumas do segundo filho, outras do primeiro. Parte desse grupo tem apenas um ou dois anos de casado. Até aí, nada demais. Porém quando todo mundo começa a só falar em gravidez, a cobrar a gravidez dos outros eu me pergunto: será a hora certa de ser mãe?

Será que existe hora certa? Se existe ou não eu não sei, mas no momento eu não sinto que deva ser mãe. Ainda tenho que realizar coisas na minha profissão, curtir alguns aninhos de casada ao lado do meu husband, poder viajar por aí, mas o que me incomoda é que algumas pessoas só falam nisso.

A meu ver: decidindo ser mãe agora ou não a escolha é de cada um e devemos respeitar…

Hoje cada vez mais mulheres engravidam com mais idade, seja por causa da carreira e da busca de alguma estabilidade financeira, seja por não se sentir madura antes dessa idade, ou por não ter encontrado o parceiro ideal para fazê-la se sentir pronta. Há inclusive, quem decida ser mãe indepedentemente de parceiro.

Segundo o portal Mais Vida não há idade certa para ser mãe e existem prós e contras em todas as faixas etárias. A matéria fala da tendência das mulheres europeias e brasileiras de engravidar cada vez mais tarde:

“Na Inglaterra, por exemplo, o número de mulheres que se tornam mães pela primeira vez entre os 40 a 44 anos aumentou em 50% na última década, aponta o Departamento de Estatísticas Nacionais do Reino Unido. No Brasil, de acordo com o IBGE, as mães pela primeira vez entre 40 a 49 anos têm aumentado especialmente nos grandes centros urbanos. São mulheres de um segmento populacional com alta escolaridade (59,1% tem oito anos ou mais de estudo) e de alto poder aquisitivo ( 25,7% com rendimento mensal familiar de mais de 10 salários mínimos).

O portal Bebe.com também fala sobre a tendência das mulheres que trabalham de engravidar cada vez mais tarde.

O portal da Revista Vida Simples, trouxe a matéria Filhos na hora certa que trata também do dilema das mulheres na sociedade atual, que por motivos diversos, adiam cada vez mais o momento de ser mãe.

Segundo a reportagem,  o problema é que essa liberdade de escolhas está ligada a algo muito atraente, mas perigoso como dinamite: o sonho (de homens e mulheres) de que se pode ter tudo na vida ao mesmo tempo. “Atualmente a mulher quer ser mãe, profissional de sucesso, boa esposa e ótima amante. O homem quer ser pai e marido presente, profissional empenhado na carreira e ainda ter tempo suficiente para praticar hobbies, viajar e aproveitar a vida. Na prática, isso é difícil. Quase insustentável”, diz o filósofo Renato Janine Ribeiro (Em entrevista à Revista Vida Simples).

A matéria continua: “O preço desse sonho inatingível é muita angústia e ansiedade. Se a mulher escolhe a carreira, sabe que tem um reloginho interno biológico que lhe diz que pode estar passando a melhor época para ter filhos sem maiores riscos…”. E vai além: “Para ter filhos, é preciso já ter encontrado seu lugar no mundo”, diz Beatriz Vidigal, psicóloga especializada em terapia de casais. Em outras palavras, é saudável, sim, buscar uma base firme antes de ter filhos, embora seja provável que uma boa estrutura só seja alcançada depois dos 30 ou mesmo a caminho dos 40 anos. Mas também é prudente admitir que perfeição não existe e que não é preciso esperar por uma situação superideal para se ter uma criança.

Outras dicas interessantes:

Existe hora certa para ser mãe?

Acompanhe a gravidez mês a mês

O corpo da mulher na gravidez

Perguntas e Respostas sobre o parto

Sexo na gravidez: posições confortáveis e prazeirosas

Estrias: como prevenir?

Alimentação na gravidez

Seis razões para tentar parto normal

Receitas para grávidas

Exercícios de Pilates para grávidas

Comendo certo na gestação

A hora certa de ter filhos, para a revista Crescer

Escalda-pés

Guia da futura mamãe