Arquivo para respeitar

Puro preconceito

Posted in Comportamento, Curiosidades, Profissão, Sexo with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , on janeiro 27, 2015 by Psiquê

678727_35Talvez minhas ideias neste post causem mal estar, mas há algo que preciso compartilhar aqui e considero nada mais do que puro preconceito, enraigado em uma sociedade extremamente machista, preconceituosa e (muitas vezes, hipócrita).

No Saia Justa Verão da semana passada, os meninos lançaram o tema prostituição, enquanto negócio, na pauta de discussão. Na ocasião, Léo Jaime relatou uma experiência pela qual passou em Amsterdam, em que passava pelo Red Light District, uma área onde a prostituição é comum (e legalizada): uma das profissionais saiu de uma casa de prostituição e seu marido/namorado/parceiro a esperava na porta, vindo do trabalho, com uniforme da companhia de luz. Ao vê-la, deu um selinho e seguiu de mãos dadas para casa. Na sequência, ele indaga aos demais apresentadores se eles lidariam bem com a possibilidade de sua esposa trabalhar como prostituta.

Certa vez, também conversando com uma psicóloga que gosto muito falei sobre este tema e ela destacou as dificuldades pelas quais passam as pessoas que trabalham se prostituindo e quando querem assumir um relacionamento estável ou ter filhos, sofrem preconceito de seus parceiros ou da sociedade.

Foi então que comecei a pensar que tudo isso só existe porque vivemos em uma sociedade absurdamente machista e preconceituosa, na qual os homens se gabam por pagar pelo sexo, mas consideram inferiores as mulheres (ou homens) que vendem o serviço.

Se a prostituição fosse realmente encarada como um profissão, na qual a pessoa vende um serviço e fora do trabalho vive como outra pessoa que exerça uma profissão qualquer, não haveria sentido algum em olhar torto, fazer piadinha, tratar mal  ou condenar aqueles que fazem desta uma profissão. Mas estamos muito distantes de uma sociedade que consiga deixar o preconceito de lado e respeitar o outro se a sua prática ou suas escolhas forem de encontro ao que se pensa ser certo ou moral.

Na minha opinião esta discussão demonstra o mais puro preconceito e machismo (no caso da experiência brasileira). Mas isso é só uma opinião…que não podia deixar de compartilhar com vocês.

Fiquem bem e respeitem o outro, sempre, independente das escolhas dele.

Exagero

Posted in Estética e Beleza, Saúde with tags , , , , , , , , , , , on maio 26, 2013 by Psiquê

4e58f98c12bef0e2b59be7bda2711392 (2)

Há algum tempo eu não sou adepta a nenhum tipo de exagero que acabe funcionando como uma agressão ao meu corpo. Seja comendo além do necessário ou ingerindo alimentos que o meu organismo não costuma digerir e aceitar bem, seja bebendo em demasia, trabalhando exageradamente, exercitando-me sem cuidado, dormindo pouco, etc.

Este final de semana, mais precisamente, este domingo foi um tanto quanto exagerado do ponto gastronômico. Estive com amigos, em momentos muito agradáveis, porém o meu organismo gostaria de ter ingerido uma quantidade mais comedida de alimento. Não sou adepta de atitudes exageradas nem para intoxicar, nem para desintoxicar o organismo, logo, o que posso fazer, além de ter cuidado para não repetir a dose, é hidratar-me bastante e beber alguns chás, dos quais sou uma verdadeira apreciadora…

Eu realmente detesto sentir que exagerei na dose…mas agora que está feito, o importante é aprender e agir de outra maneira da próxima vez. O interessante desta experiência é perceber o quanto o nosso organismo se acostuma a bons hábitos, boas e saudáveis escolhas, sem exageros.

Amanhã, uma nova semana se inicia e o importante é voltar a respeitar os limites do corpo, da alimentação, dos exercícios, do descanso.

Tenha uma ótima jornada.

Liberdade…

Posted in Comportamento, Relacionamento with tags , , , , , , , , , , , , , , , , on junho 12, 2011 by Psiquê

Via Amante das Imagens

Hoje acordei brega rsrs….

Na verdade acordei livre….

Livre para me dar ao direito de escolher a música que quero ouvir, por mais brega que seja, e a minha escolha foi Pássaro de Fogo, na voz da Paula Fernandes. Na verdade pouco importa a melodia da música, o que a letra exatamente expressa… Não importa a opinião dos outros, mas o que queremos escutar naquele momento. Ela é linda, a voz é linda e a letra também.

Andei pensando no quanto o ser humano pode ser cruel um com o outro. Somos seres livres, podemos ser  quem bem entendemos e estar com quem quisermos. A liberdade é uma jóia que precisa ser bem cuidada, mas devemos sempre respeitar a nós mesmos e ao outro. Cada ser humano é único e precisa ser respeitado. Seja livre, seja único, seja especial, brilhe sempre e não deixe ninguém apagar nunca a sua chama. Só nós podemos dar poder ao outro para nos ferir.

“Vai se entregar pra mim,
Como a primeira vez
Vai delirar de amor
Sentir o meu calor
Vai me pertencer

Sou pássaro de fogo
Que canta ao teu ouvido
Vou ganhar esse jogo,te amando feito um louco
Quero teu amor bandido

Minh’alma viajante, coração independente…
Por você corre perigo
To afim de seus segredos de tirar o seu sossego
Ser bem mais que um amigo

Não diga que não
Não negue a você
Um novo amor
Uma nova paixão

Diz pra mim…

Tão longe do chão
Serei os seus pés as asas do sonho rumo ao seu coração

Permita sentir

Se entrega pra mim

Cavalga em meu corpo ô minha eterna paixão…

Felicidade: um estado de espírito

Posted in Comportamento, Relacionamento with tags , , , , , , , , , , , , on abril 17, 2008 by Psiquê

Photo by A Brito

Minha vida está começando a se apertar em termos de tempo disponível para escrever. São tantas coisas para resolver em 24 horas que fica difícil parar para pensar facilmente no tema do post do dia.

Ainda assim resolvi escrever sobre felicidade. Essa história de ler, ler e ler sobre o poder da mente, o poder do pensamento, hipnose, lei da atração e colocar em prática várias dicas que essas mesmas leituras trouxeram, levaram-me a pensar sobre a felicidade como um estado de espírito.

É impressionante como nós atraímos o tempo todo tudo aquilo que pensamos em relação à nossa vida. Quando estamos pessimistas, com espírito de vítima, de arruinados, de injustiçados, conseguimos mais provas de que é isso que somos – na verdade nós construímos essa imagem de nós mesmos. Por outro lado, quando mesmo diante dos problemas do dia-a-dia (todos nós os temos), vemos razão e divindade em nossa vida, damos espaço para amar, para esperar mais da vida: conseguimos em contrapartida alegria de viver, sentido, disposição e satisfação.

Por essas e outras, nossa vida é fruto do que pensamos e fazemos dela. Por isso defendo e acredito que devamos amar muito, curtir muito, querer muito, respeitar muito, desejar muito, sonhar muito e acreditar que podemos colocar em prática uma vida feliz e digna.

Um beijo, meus amores!

P.S. Para quem estava sem inspiração, até que me inspirei rapidinho.