Arquivo para sex

Quadrinhos eróticos por mulheres

Posted in Comportamento, Erotismo, Sexualidade with tags , , , , , , , , , , , , , , , on agosto 5, 2016 by Psiquê

A Revista Trip fez uma matéria bem interessante sobre Quadrinhos eróticos feitos por mulheres. Um tema que muitas vezes é tratado com uma visão muito masculina, precisa ter outras abordagens. Compartilho aqui com vocês.

Beliza Buzollo

“A personagem olha para um pacote verde e pensa que é hora de experimentar aquele vibrador novo. Enquanto usa o novo brinquedo, exclama: “Ai, amo minha relação comigo mesma!”. A página da Garota Siririca, criada pela quadrinista Gabriela Masson, a Lovelove6, é uma das HQs eróticas mais comentadas por leitoras de várias partes do país. E ela não é a única autora brasileira a tratar de autodescoberta, masturbação e prazer feminino nos últimos anos. Cada vez mais são produzidos quadrinhos eróticos feitos por mulheres. Que bom!

“Só sei que me sinto menos sozinha e supernormal lendo LoveLove6, Sirlanney, Cynthia B e Thaís Gualberto, por exemplo. Ver tantas meninas falarem e desenharem sobre sexo me dá uma sensação de naturalidade, sabe? É como se cada vez mais eu estivesse acostumada a refletir e falar sobre um tema que antes eu achava um completo tabu e tinha um verdadeiro medo”, explica a editora Camila Cysneiros.

Muitas quadrinistas começaram a fazer HQs eróticas justamente para tornar cada vez mais confortáveis com seus próprios corpos e com os diversos modos de sentir prazer, um tabu para a sociedade até hoje. Aline Lemos, quadrinista que trabalha com diversas temáticas que abordam empoderamento feminino, conta que começou a fazer quadrinhos na mesma época em que passou a viver mais sua própria sexualidade, ler sobre feminismo e participar de projetos feministas. “Pus bastante disso nos primeiros quadrinhos que fiz. Quando eu era adolescente lia mais Hentai, mas fui me cansando dos estereótipos e do machismo”, conta.

LEIA TAMBÉM: Camila Torrano faz HQs com tripas pelo chão e masturbação feminina

A maior parte dos quadrinhos eróticos feitos por mulheres traz uma mudança na ótica do sexo nos quadrinhos, transferindo para a mulher o comando na hora de buscar prazer. A quadrinista cearense Sirlanney diz que escreve e desenha para que mulheres se identifiquem e se sintam à vontade com seus corpos. “Se uma mulher olhar meu quadrinho e pensar ‘eu sinto isso e isso é massa’, pra mim já é dever cumprido.” Sirlanney explica que começou a trabalhar com a temática naturalmente: “Eu já tinha ensaiado pequenas pornografias, para meu próprio prazer. Também sou uma fã de carteirinha de literatura pornográfica e, antes de desenhar, tinha escrito alguns contos pornográficos. Estava apaixonada e comecei a fazer quadrinhos direcionados para esse cara. Um deles dizia ‘Acordei com tanta vontade de te dar que comi o travesseiro’.”

Tesão

Aline Lemos conta que o que a excita nas HQs do gênero são as situações sexuais que mostram claramente o prazer dos envolvidos. “Gosto de ver pessoas se curtindo”, diz. Autoras de quadrinhos eróticos usam diferentes abordagens, inclusive a cômica. Um bom exemplo disso são as histórias de Beliza Buzollo, quadrinista que desenha o universo das mulheres LBT (Lésbicas, bissexuais e transexuais) e aborda tesão, sexo, relacionamentos e outros temas de maneira divertida e natural. Já a americana Erika Moen vai além das HQs e contempla também reviews de sites pornôs e objetos eróticos, além de guias ilustrados sobre sexualidade, no site Oh Joy Sex Toy.

LEIA TAMBÉM: Tesão ilustrado

Uma das maiores reivindicações de leitoras e autoras dos quadrinhos que tratam de sexo e prazer é a fuga da perspectiva excludente dos quadrinhos eróticos tradicionais. “Vivemos em uma sociedade onde a sexualidade feminina é reprimida e controlada. Quando uma mulher se manifesta, já está desafiando a situação vigente”, acredita Aline. No entanto, a quadrinista diz que ainda existem muitas barreiras a serem ultrapassadas, como a predominância de corpos padronizados: “Os tipos de corpos privilegiados, os ângulos e situações escolhidos, raramente dão destaque para o prazer e o consentimento feminino”. Para ela, isso é um reflexo da cultura do estupro, presente nos filmes pornôs e nos quadrinhos eróticos também. “Grande parte do que quadrinistas mulheres independentes vêm fazendo precisa continuar sendo feito, porque o mainstream ainda tem muito problema em aceitar corpos diversos tendo prazer de todo o tipo e de forma consensual”, diz.

Há quem diga esses quadrinhos mudaram sua visão do que é o sexo e, mais importante ainda: tem muita mulher descobrindo como ter orgasmos lendo e fazendo quadrinhos.

Texto da matéria, autoria de Aline Cruz.

Vai lá: um guia de autoras de quadrinhos que abordam relacionamentos, sexo, tesão e prazer

Aline Lemos – desalineada.tumblr.com
LoveLove6 – garotasiririca.com
Sirlanney – sirlanney.com
Beliza Buzollo – belizabuzollo.tumblr.com
Erika Moen – ohjoysextoy.com
Thais Gualberto – facebook.com/kisuki.me
Eleanor Davis – facebook.com/squinkyelo
Sirlanney – facebook.com/sirlanneynogueira
Alison Bechdel – dykestowatchoutfor.com

LEIA TAMBÉM: Visibilidade lésbica nos quadrinhos

 

Anúncios

Sex and the City

Posted in Comportamento, Curiosidades with tags , , , , , , , , , , , , , , , , , , on junho 7, 2008 by Psiquê

Foi ontem a estréia do filme Sex and the City no Brasil. Eu e meu boyfriend fomos assistir, pasmem havia uma quantidade enorme de mulheres e casais no cinema. Achei o filme bem legal, mas poderia ser mais surpreendente e ter menos 30 min. Alguns trechos parecem esticados demais. Entramos às 21.20h e saímos às 0h, tudo bem que são 20 min só de anúncio, pois o filme só começou mesmo às 21.40h.

Recomendo a todas as mulheres: vocês vão viver várias emoções no filme: risadas, choros, tristeza, alegria hehehe. Recomendo irem ao cinema e passar alguns minutos se divertindo com Carrie, Charlotte, Miranda e Samantha. Apesar de ter gostado do filme, eu achei que as personagens tem momentos um pouco incoerentes com o padrão de comportamento delas. Vejam e me digam o que acharam, ok?

Há algumas semanas eu já tinha experimentado o teste da Revista Cláudia: Quem é você em “Sex and the City“, não sei qual será o seu resultado, mas o meu deu Samantha Jones. Depois fui refazer e por duas vezes deu Charlotte York. Pelo visto dei uma mistura interessante: Samantha com Charlotte hahaha. Na verdade, creio que sejamos um mix de todas elas. Faça você também, apenas por diversão. Vejam os resultados.

Samantha Jones : Livre, linda e solta, essa é Samantha, personagem fogosa interpretada por Kim Catrall. Pessoas com esse tipo de personalidade são marcantes e brilham quando entram em qualquer ambiente. Você é provavelmente aquela amiga que não deixa ninguém de baixo astral, sempre mostrando o lado bom, divertido e glamuroso de tudo. Autoconfiança e sexualidade à flor da pele revelam uma mulher que sempre faz questão de ser forte e desejável. Mesmo que seja alguém incrível, o medo de se mostrar vulnerável pode atrapalhar seu crescimento pessoal, impedindo de vivenciar sentimentos bons.

Carrie Bradshaw: Assim como a colunista de sexo do seriado, interpretada por Sarah Jessica Parker, você é curiosa, perceptiva e companheira. Sempre procura interpretar o que está acontecendo na sua vida e na de seus amigos. Não é raro que seja o ponto central de sua turma, pois sem você as pessoas não se reúnem. Apesar de superconfiante em seu estilo e gosto, muitas vezes pode se flagrar indecisa quando o assunto é sua vida amorosa. O medo do futuro ou de mudanças pode atrapalhar seu crescimento, inclusive no aspecto financeiro. É aconselhável colocar os pés no chão e ter mais coragem para enfrentar o desconhecido sem perder sua alegria contagiante, que é traço marcante de sua personalidade.

Miranda Hobbes: Honestidade e competência são os adjetivos que melhor definem sua forte personalidade. Como Miranda, personagem vivida por Cynthia Nixon no seriado, você acredita em seu trabalho e o executa com grande prazer. Miranda sempre se sente dividida entre a profissional e a pessoa que se diverte e ama, isso pode ser comum na sua vida. Feminista por natureza, você defende seus direitos e de seus amigos com garras, principalmente se forem mulheres. Pode ser um grande desafio para você se permitir ser amada por um homem. Aprender a simplesmente “deixar para lá” certos conceitos podem parecer ferir seu orgulho, mas na verdade são apenas concessões normais para se relacionar com alguém.

Charlotte York: Amor por um homem, por crianças e por suas amigas, não necessariamente nessa ordem, são os sentimentos que fazem uma mãezona como Charlotte viver feliz. A personagem interpretada por Kristin Davis no seriado é a mulher que sonha em ter uma família tradicional. Perfeccionista, ela sempre faz questão que suas coisas estejam em ordem, inclusive seu corpo, o que pode pressionar tanto sua auto-estima como as pessoas a sua volta. Ficar exageradamente brava ou triste não é raro em pessoas com esse tipo de personalidade. No entanto, o carinho que tem por seus amigos pode torná-la uma pessoa indispensável na vida de todos. Mesmo que pareça difícil, romper conceitos e padrões pré-estabelecidos é seu maior desafio e, ao mesmo tempo, é o que pode trazer as recompensas mais incríveis.

Veja mais sobre Sex and the City aqui.