Arquivo de junho, 2011

Um Silêncio Cauto e Prudente é o Cofre da Sensatez

Posted in Comportamento with tags , , , , , , , , , on junho 30, 2011 by Psiquê

Já admiro Umberto Eco desde os tempos de minha faculdade. Mas neste texto ele foi certeiro em muitas das palavras que buscava dizer neste momento. Por isso tomei a liberdade de citá-lo com gosto:

(…)Vós quereis tentar a sorte na grande cidade, e sabeis bem que é lá que deveis gastar essa aura de valentia que a longa inacção dentro destas muralhas vos houver concedido. Procurareis também a fortuna, e devereis ser hábil a obtê-la. Se aqui aprendeste a escapar à bala de um mosquete, lá deveis aprender a saber escapar à inveja, ao ciúme, à rapacidade, batendo-vos com armas iguais com os vossos adversários, ou seja, com todos. E portanto escutai-me. Há meia hora que me interrompeis dizendo o que pensais, e com o ar de interrogar quereis mostrar-me que me engano. Nunca mais o façais, especialmente com os poderosos. Às vezes a confiança na vossa argúcia e o sentimento de dever testemunhar a verdade poderiam impelir-vos a dar um bom conselho a quem é mais do que vós. Nunca o façais. Toda a vitória produz ódio no vencido, e se se obtiver sobre o nosso próprio senhor, ou é estúpida ou é prejudicial. Os príncipes desejam ser ajudados mas não superados.

Mas sede prudente também com os vossos iguais. Não humilheis com as vossas virtudes. Nunca falei de vós mesmos: ou vos gabaríeis, que é vaidade, ou vos vituperaríeis, que é estultícia. Deixai antes que os outros vos descubram alguma pecha venial, que a inveja possa roer sem demasiado dano vosso. Devereis ser de bastante e às vezes parecer de pouco. A avestruz não aspira a erguer-se nos ares, expondo-se a uma exemplar queda: deixa descobrir pouco a pouco a beleza das suas plumas. E sobretudo, se tiverdes paixões, não as ponhais à vista, por mais nobres que vos pareçam. Não se deve consentir a todos o acesso ao nosso próprio coração. Um silêncio cauto e prudente é o cofre da sensatez. 

Umberto Eco, in ‘A Ilha do Dia Antes’, citado em Citador

Meia noite em Paris

Posted in Comportamento, Curiosidades, Relacionamento with tags , , , , , , on junho 20, 2011 by Psiquê

Eu que não sou grande fã da obra de Woody Allen, confesso que me rendi aos encantos de Meia noite em Paris. Não sei se são os encantos daquela capital ou se foi ele que pura e simplesmente acertou na mão.

O filme é excelente!!!

Digno de ser visto outra vez!

E, para completar, ainda consegue colocar na mesma história a Paris de hoje, dos anos 20 e da Belle Èpoque…ai e que figurinos divinos!

“Woody Allen, finalmente, encontrou a sua Nova York europeia. Depois de passar por Barcelona e, demasiadamente, insistir com Londres, o cineasta aporta na Cidade Luz para contar a sua mais bela história em anos. Com “Meia Noite em Paris”, Allen demonstra-se ousado através de um projeto que já parecia idealizado antes mesmo de ser produzido. A impressão é de que Paris e Allen aguardavam a possibilidade desse encontro há tempos e dele nasce uma química natural, descontraída e, acima de tudo, fantástica.” Leia mais em Cinema com Rapadura

Nunca pensei que fosse recomendar tão fortemente um filme do Woody Allen, mas Meia noite em Paris é imperdível!

Liberdade…

Posted in Comportamento, Relacionamento with tags , , , , , , , , , , , , , , , , on junho 12, 2011 by Psiquê

Via Amante das Imagens

Hoje acordei brega rsrs….

Na verdade acordei livre….

Livre para me dar ao direito de escolher a música que quero ouvir, por mais brega que seja, e a minha escolha foi Pássaro de Fogo, na voz da Paula Fernandes. Na verdade pouco importa a melodia da música, o que a letra exatamente expressa… Não importa a opinião dos outros, mas o que queremos escutar naquele momento. Ela é linda, a voz é linda e a letra também.

Andei pensando no quanto o ser humano pode ser cruel um com o outro. Somos seres livres, podemos ser  quem bem entendemos e estar com quem quisermos. A liberdade é uma jóia que precisa ser bem cuidada, mas devemos sempre respeitar a nós mesmos e ao outro. Cada ser humano é único e precisa ser respeitado. Seja livre, seja único, seja especial, brilhe sempre e não deixe ninguém apagar nunca a sua chama. Só nós podemos dar poder ao outro para nos ferir.

“Vai se entregar pra mim,
Como a primeira vez
Vai delirar de amor
Sentir o meu calor
Vai me pertencer

Sou pássaro de fogo
Que canta ao teu ouvido
Vou ganhar esse jogo,te amando feito um louco
Quero teu amor bandido

Minh’alma viajante, coração independente…
Por você corre perigo
To afim de seus segredos de tirar o seu sossego
Ser bem mais que um amigo

Não diga que não
Não negue a você
Um novo amor
Uma nova paixão

Diz pra mim…

Tão longe do chão
Serei os seus pés as asas do sonho rumo ao seu coração

Permita sentir

Se entrega pra mim

Cavalga em meu corpo ô minha eterna paixão…

Eduardo e Mônica

Posted in Comportamento, Relacionamento, Romance with tags , , , , , , , , , on junho 11, 2011 by Psiquê

Hoje fui apresentada ao vídeo da campanha da Vivo para o Dia dos Namorados. E eis que, apesar de um pouco cética em relação ao empenho do comércio em promover a data como algo mega importante e único, ao invés de lembrar que todos os dias deveriam ser dias de celebração entre os namorados…achei uma gracinha!

O vídeo é uma ótima sacada, não apenas por recuperar uma história que há 25 anos, Renato Russo nos apresentou, mas porque ilustra uma história de amor construída como a de muitos de nós.

E quem um dia irá dizer que não existe razão nas coisas feitas pelo coração…

Feliz Dia dos Namorados!